em

Com a crise financeira, reduzir os custos operacionais pode salvar seu negócio

Investir em novas ferramentas de automatização, eliminar desperdícios e realizar parcerias comerciais são algumas opções para minimizar gastos

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Junto com a crise sanitária gerada pelo novo coronavírus, passamos a conviver com a crise econômica. Muitos empreendedores perderam os seus negócios por dívidas ou falência e muitos adaptaram o seu modelo de negócios para manter-se financeiramente saudáveis. 

Um estudo promovido pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), em fevereiro de 2021, mostrou que 57% dos empresários sentem-se preocupados sobre o futuro de suas empresas – um crescimento de 14% em relação ao mês de setembro de 2020.

Uma opção que está sendo utilizada pelos empreendedores é a redução dos custos operacionais. Não é fácil reestruturar algumas bases de gastos de um negócio, mas deve-se pensar em manter a boa qualidade dos serviços ou produtos vendidos. 

Com uma visão ampla de todos os setores de uma empresa, é possível enxugar gastos, minimizar os desperdícios, adotar novos sistemas tecnológicos, fazer novas negociações e manter a transparência sobre a situação com todos os funcionários. 

A adoção dessa nova postura pode trazer maior margem de lucro para o empreendimento, e separar uma quantidade maior de capital para melhorias e investimentos de ponta. 

Estar com os custos muito elevados é um indicativo de possíveis obstáculos e problemas que a empresa esteja passando, como, por exemplo, ausência de otimizações, contratos com valores muito altos, desperdícios de materiais e de infraestrutura e despesas fixas muito caras. A partir dessa pequena análise, o empresário pode desenvolver algumas ações para reduzir os custos operacionais e fugir da crise financeira. 

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Mapeamento de gastos

Antes de fazer qualquer corte de capital, deve-se ter uma noção muito ampla de toda a receita do empreendimento. É necessário fazer um mapeamento detalhado de todas as atividades e processos vigentes. 

Conheça o seu fluxo de caixa

Um diagnóstico do capital que sai da empresa irá guiar o empresário a entender os pontos em que houve aumento do preço dos insumos ou dos custos logísticos. Aliando essa análise com o mapeamento dos gastos, será possível traçar novos planos e estratégias com mais segurança e precisão, sem prejudicar o seu negócio.

Acabe com o desperdício

O primeiro passo a ser tomado é eliminar qualquer gasto que não esteja sendo útil ou que seja algo exagerado e possa ser reduzido. Deve-se ser acordado com os funcionários uma política mais rígida do consumo dos insumos da infraestrutura, como materiais, acessórios, ferramentas, energia elétrica, água e até mesmo viagens. 

Utilize ferramentas de automação

Para otimizar o tempo gasto com algumas funções e até mesmo diminuir o tamanho das equipes, é indicado investir em chatbots – programas que promovem a interação com os clientes de forma autônoma, fornecendo soluções para seus problemas – e marketing automatizado, que amplia o relacionamento com os consumidores e apresenta todas as novidades, promoções e conteúdos exclusivos sobre a sua empresa.

Avalie contratos com fornecedores 

Analisando a razão entre preço e serviços ofertados dos contratos vigentes no seu negócio e outras possibilidades do mercado, pode-se encontrar opções mais vantajosas e com melhores condições e oportunidades por preços mais acessíveis.

Busque parcerias comerciais ou coworking

Formar uma parceria comercial pode ajudar a diminuir a concorrência e obter ganhos mútuos, podendo obter produtos ou serviços com preços menores e melhores condições de pagamento. Já o coworking é o compartilhamento de escritórios, limitando os gastos com infraestrutura.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Foto: Sesab)

Bahia registra 5.455 novos casos de Covid-19 e mais 120 óbitos pela doença

(Imagem ilustrativa/Pixabay)

Prefeituras têm até dia 31 para apresentar ao TCM plano de vacinação