Queijo canastra: qual o segredo por trás?
Siga nossas redes

Busque no site

Publicidade

Cultura

Queijo canastra: qual o segredo por trás desse laticínio tão aclamado?

Orgulho mineiro está entre os melhores queijos do mundo e é reconhecido como patrimônio cultural

Leitura: 2 minutos

Mais do que patrimônio nacional, o queijo canastra, produzido na região da Serra da Canastra, em Minas Gerais, já está há dois anos consecutivos entre os melhores queijos de todo o mundo. À frente do suíço gruyer e do italiano mozzarella, o queridinho mineiro desperta paixão e curiosidade. Afinal, por que ele é tão gostoso?

Segundo os internautas que participam do Taste Atlas, plataforma colaborativa dedicada à avaliação de sabores em todo o globo, o sabor é rico a ponto de merecer o 12° lugar no ranking dos 50 melhores do mundo. Em 2022, o canastra chegou a liderar a lista.

Produção

O queijo canastra tem mais de 200 anos de história e seu método de produção é reconhecido como patrimônio cultural desde 2008, com oficialização realizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). 

O método consiste na mistura do leite fresco ao coalho e o chamado pingo, um fermento natural, renovado e cultivado diariamente. Após a coagulação, o soro é drenado, o queijo ganha formato, é salgado e deixado para maturar por cerca de 21 dias.

O principal processo envolvido na produção é a fermentação, que ocorre por meio da atividade de bactérias benéficas encontradas no pingo e no leite. O segredo do sabor do canastra pode ser atribuído à configuração única de espécies de microrganismos e de fatores como composição do leite, temperatura da região e afins.

Uma comunidade única de microrganismos

Estudos feitos por cientistas ligados ao Centro de Pesquisa em Alimentos (FoRC) da Universidade de São Paulo (USP) revelaram que o QMA (Queijo Minas Artesanal) possui uma enorme biodiversidade no seu interior.

O genoma do canastra, analisado por meio de técnicas de sequenciamento avançado, apresenta características únicas e, de forma notável, inclui uma quantidade significativa de bacteriófagos, vírus que infectam apenas bactérias. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

A presença desses bacteríofogos, em tese, pode explicar o controle de bactérias nocivas e a prevalência de bactérias benéficas. Além deles, os cientistas também chegaram a encontrar espécies nunca antes registradas. 

O resultado da união de diversos fatores determina a configuração do microbioma no canastra, o que, por fim, confere a ele o seu sabor único. Mais do que isso, o método de produção também o torna uma fonte de nutrientes essenciais e benéficos para a saúde. Entre eles, está a vitamina K2, benefícios os quais vão desde o fortalecimento dos ossos até a melhoria da saúde cardiovascular.

Atualmente, o queijo canastra registrado é produzido em 8 municípios de Minas Gerais, reconhecidos pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). A indústria é apoiada pelo Sistema Estadual de Agricultura, e os produtores têm mais de 70 parceiros revendedores em todo o Brasil.

Colaboradora do Folha Geral - cada publicação é de responsabilidade da autora

Veja também

Cultura

Unidade de Conservação abrangerá uma área de 16 mil hectares, em uma região com mais de 200 cavernas já registradas

Saúde

Rio de Janeiro é uma das regiões mais afetadas, registrando um aumento histórico e entrando em estado de emergência

Dica

Confira nosso guia preparado para quem tem dificuldade de acessar sua conta, a fim de garantir que as informações sejam facilmente acessíveis e úteis

Notícia

O evento será gratuito e aberto ao público

Publicidade

Publicidade