em

Surto de dengue no Brasil: saiba como prevenir a doença

Rio de Janeiro é uma das regiões mais afetadas, registrando um aumento histórico e entrando em estado de emergência

(Imagem ilustrativa/Freepik)

O ano de 2024 começou com uma epidemia inesperada de dengue, afetando todo o território nacional e registrando uma alta histórica em diversos estados. Até o momento, os mais afetados foram Acre, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal e Rio de Janeiro — que entrou em estado de emergência devido ao aumento descontrolado de diagnósticos.

Em todos esses estados, o número de casos registrados em apenas um mês se aproxima ou supera a metade do total acumulado ao longo de 2023 inteiro. Em Goiás, já são 22.275 casos registrados e duas mortes decorrentes da doença, representando um aumento de 58% do mesmo período de 2023. 

Já em Minas Gerais, foram registrados 64.724 casos prováveis e 23.389 diagnósticos confirmados, com um óbito confirmado até o momento. O Distrito Federal acumula 29.492 casos e seis mortes. Os menores números estão no Acre, que até então contabilizou 2.532 diagnósticos.

Já o Rio de Janeiro está vivendo sua maior crise registrada em relação à dengue, com mais de 10 mil casos e 362 internações – quase metade dos números apresentados ao longo de todo o ano de 2023. A zona oeste do estado tem sido a mais afetada, muito devido a suas condições climáticas, que favorecem a proliferação do mosquito. A combinação de altas temperaturas com chuvas frequentes facilita a ação do Aedes Aegypti.

O Ministério da Saúde já está planejando uma grande campanha de vacinação contra a dengue, de início priorizando os estados e municípios mais afetados pela epidemia. A primeira remessa da vacina, com 720 mil doses cedidas gratuitamente pelo laboratório japonês Takeda Pharma, já chegou ao país no fim de janeiro. A segunda remessa prevê mais 600 mil doses, totalizando 1,32 milhão.

O governo também já confirmou a compra de 5,2 milhões de doses, que, somando às outras duas remessas, garantem 6,52 milhões de vacinas distribuídas ao longo do ano. A vacina da dengue é distribuída em duas doses, sendo necessário um intervalo mínimo de 90 dias entre cada uma; sendo assim, a iniciativa pública garantirá uma cobertura de 3,2 milhões de pessoas vacinadas até o fim do ano.

Como prevenir a doença?

A dengue é uma doença transmitida pela picada do mosquito Aedes Aegypti, que se prolifera em lugares com água parada. Qualquer armazenamento de água é o suficiente para a espécie procriar e botar seus ovos, o que reforça a necessidade de as pessoas eliminarem esses reservatórios durante os períodos de crise.

Os sintomas apresentados costumam variar conforme o organismo, mas não é incomum que algumas pessoas apresentem um quadro grave. Febre alta, dor nas articulações, dor atrás dos olhos, dor de cabeça, falta de apetite e manchas vermelhas no corpo são algumas das reações mais comuns, em alguns casos sendo necessária a internação do paciente.

O combate ao mosquito e à dengue é um trabalho coletivo, que exige a conscientização e participação de toda a população. Os profissionais graduados na faculdade de gestão ambiental recomendam medidas para impedir e controlar a proliferação do Aedes Aegypti. O primeiro passo é eliminar as fontes de água parada das casas — o que inclui tampar piscinas e caixas d’água — e qualquer reservatório exposto, como garrafas e vasos de plantas. 

Colocar telas nas portas e janelas da casa também é uma medida eficiente para reduzir a quantidade de mosquitos que entram no recinto. O uso de repelentes é recomendado, pois a ação desses produtos também afeta a espécie do Aedes Aegypti. Contudo, é importante reforçar que nenhum repelente é 100% eficaz, tornando necessário combinar a medida com as outras opções.

Até que a epidemia seja controlada, é essencial que todos se protejam e façam de tudo isso um hábito, principalmente aqueles que vivem nas zonas de risco.

Aurora

Especialista em publicações diversas. Sempre pronta para analisar as pautas, adaptar ou ajustar os conteúdos.

Projeto formaliza em lei a competência da Justiça Eleitoral nas eleições do Conselho Tutelar

(Imagem ilustrativa/Pixabay)

Qual é a melhor opção de pagamento para cassinos com depósito mínimo de R$ 1 a R$ 5?