em

IFJ apresenta a nova Carta Mundial de Ética para Jornalistas

Delegados de sindicatos e associações de jornalistas, membros da IFJ, adotaram em um histórico congresso organizado em Tunes, a nova Carta Mundial de Ética para Jornalistas, documento que defenderá e fortalecerá a ética profissional dos profissionais da mídia em todo o mundo

IFJ apresenta a nova Carta Mundial de Ética para Jornalistas - Global Charter of Ethics for Journalists. Foto: Divulgação
Global Charter of Ethics for Journalists. Foto: Divulgação

Agora, o documento, endossado por representantes de mais de 500.000 jornalistas e após meses de consultas em todo o mundo, formará o núcleo do fortalecimento dos padrões éticos para jornalistas em todo o mundo.

Reunidos na Tunísia para o 30º Congresso da Federação Internacional de Jornalistas (IFJ, na sigla em inglês), os 300 delegados apoiaram a nova carta, que atualiza e reforça os padrões éticos estabelecidos pela Declaração de Princípios da IFJ de 1954 sobre a Conduta dos Jornalistas, o texto mais amplamente reconhecido em ética jornalística, até à data. Essa Declaração foi elaborada em Bordeaux, França, há 65 anos, e foi atualizada em 1986, por isso, havia a necessidade de elaborar uma nova carta adaptada aos atuais desafios enfrentados pelos meios de comunicação.

A carta se baseia em grandes textos do direito internacional, em particular a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Ela contém 16 artigos mais um preâmbulo e define os deveres e direitos dos jornalistas em relação à ética.

O preâmbulo da carta declara: A responsabilidade do jornalista perante o público tem precedência sobre qualquer outra responsabilidade, em particular para com os seus empregadores e as autoridades públicas”. Lembra que o jornalismo é umaprofissãoquerequer tempo, recursos e meios para praticar. Outras disposições principais abrangem o respeito pela verdade, conflitos de interesse, proteção de fontes e discriminação.

Elaborado por um grupo de trabalho de 16 pessoas, incluindo membros da direção da IFJ, representantes regionais e especialistas em ética, a carta foi redigida sob coordenação do Secretário Geral da IFJ, Anthony Bellanger.

O documento foi validado durante a reunião do Comitê Executivo da IFJ em Ramala, Palestina, em novembro de 2018 e depois enviado para os 187 afiliados da IFJ para que cada um pudesse comentar e opinar entes da aprovação definitiva pelo Congresso da IFJ.

O secretário-geral da IFJ, Anthony Bellanger, disse:

“A adoção da Carta Mundial de Ética para Jornalistas é um marco na história da IFJ.” A ética profissional foi um dos pilares fundamentais da fundação da IFJ em Paris, em 1926. Este novo documento inclui as obrigações profissionais estabelecidas em 1954, mas também inclui os direitos dos jornalistas em um mundo onde a profissão está sendo abusada. Depois de amanhã, todos os jornalistas de todo o mundo poderão se identificar com a Carta Mundial de Ética da IFJ e utilizá-la para se defender dos empregadores sem escrúpulos.”

Clique aqui para baixar a carta em inglês

Edição e tradução: Adamy Gianinni