em

Cartão de Crédito: principais golpes e como se proteger

O uso do cartão de crédito cresce no país, mas embora dados sejam positivos é preciso ter muito cuidados com fraudes

Imagem ilustrativa (Freepik)(Imagem ilustrativa/Freepik)

Devido a pandemia de Covid-19, o e-commerce expandiu seu faturamento. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) registrou-se um aumento de 40% no número de vendas online nos últimos meses. Obviamente, esse novo hábito destacou um outro comportamento: o uso do cartão de crédito como forma de pagamento.

A preferência no uso do cartão entre os brasileiros não é recente. Segundo dados do Banco Central (BC), na pesquisa Estatísticas de Pagamentos de Varejo e de Cartões no Brasil, havia no fim de 2019, 123 milhões de cartões de crédito e 132 milhões de cartões de débito ativos, representando um aumento de 18% e de 14%, respectivamente, em relação a 2018.

Isso significa que a tendência no uso do cartão só cresce, o que abre espaço para outro importante dado de alerta: o Brasil ocupa o posto de segundo país da América Latina que mais registra golpes no cartão de crédito quando há uso no meio virtual, segundo pesquisa da Visa.

Ilustração. Foto: Arquivo/Folha Geral
Ilustração. Foto: Arquivo/Folha Geral

Todo o cuidado é pouco e conhecimento é a melhor maneira de inibir fraudes. Conheça os principais golpes de cartão de crédito:

1. Clonagem de cartão. Este é o tipo de fraude mais tradicional, mas vem sendo reduzido graças à tecnologia de chips dos cartões. De forma simplificada, o criminoso copia os dados do cartão e os registra em um outro cartão, fazendo compras em nome do titular.

2. Confirmação de dados bancários. Esse tipo de golpe é comumente aplicado através de ligações telefônicas ou SMS. Se passando por funcionários da sua instituição bancária, os criminosos coletam senhas, dados sensíveis do cartão de crédito e de contas bancárias.

3. Sites falsos (Phishing). Focado nas compras virtuais, neste tipo de fraude, criminosos criam sites falsos muito parecidos com sites reais. Com isso, os compradores deixam dados do cartão de crédito e até senhas por acharem que estão realmente no site correto.

4. Troca de cartão. Este é um tipo de golpe aplicado no uso da maquininha. O criminoso se aproveita a distração do consumidor, observa a senha sendo digitada e, ao entregar o comprovante de compra, troca o cartão por outro. Em posse do seu cartão e conhecendo a senha, faz compras.

Como se proteger de fraudes no cartão?

Ao observar situações como as descritas anteriormente, desconfie. Ofertas “boas demais” e descontos grandiosos são sempre sinal de que algo está errado. Além disso, ao comprar pela internet, vale sempre verificar se as informações da empresa são reais. O mesmo vale para compras em aplicativos: apenas as faça em apps oficiais.

Além dessas dicas de segurança, é importante reforçar a necessidade de ter uma vida financeira organizada de forma que, se algo for comprado no seu cartão, você rapidamente possa identificar. Por último, priorize a rede privada de conexão e não adicione seus dados em redes públicas ou wi-fi compartilhados.

*Conteúdo colaborativo para o Folha Geral

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Imagem: Folha Geral/Divulgação)

Bahia registra 1.817 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Colégio Renascença (Foto: Divulgação)

Como o pós-pandemia redefinirá a arquitetura das escolas