em

Por que e como Veneza quer limitar a presença de turistas?

Um dos principais pontos turísticos da Itália, a cidade adotou medidas para limitar a circulação de visitantes em seus domínios

Veneza, Itália. Foto: Pixabay

Veneza é, sem dúvidas, uma das principais atrações que movimentam o turismo na Itália. Conhecida por seus canais, que cortam toda a cidade, o local atrai milhões de turistas todos os anos que buscam conhecer as belezas artísticas e culturais do lugar.

Nos anos 1500, a cidade foi uma das principais rotas de comércio da Europa, ligando o continente às mercadorias e especiarias importadas da Ásia por meio do Mar Mediterrâneo. Essa posição conferiu à cidade uma posição de poder privilegiada, permitindo que a burguesia local investisse em projetos arquitetônicos e artísticos.

Paralelamente, a cidade também sedia o tradicional Carnaval de Veneza. A festa, que dura cerca de 10 dias, é caracterizada pelo uso de máscaras e pelos figurinos que simulam o estilo dos nobres que viviam por ali no século XVII e XVIII. Um evento que encanta turistas e atrai milhares de pessoas anualmente.

Pontos turísticos

Existem inúmeros pontos turísticos para se conhecer na cidade. O principal deles é a Praça San Marco, principal praça da cidade. Ela abriga outros pontos de interesse, como a Basílica di San Marco e Torre do Campanário, construções que datam do século IX e apresentam uma arquitetura muito chamativa.

Pontes que ligam as ruas e vielas da cidade também merecem a visita de quem quer conhecer o lugar, como a Ponte dos Suspiros e a Ponte Rialto. A Ilha de Murano é outro destaque, conhecida pela produção artesanal de vidros e peças em cristal que atraem turistas, além da Ilha de Burano, marcada por suas casas coloridas.

Mais do que os lugares, umas das principais coisas que tornam a experiência de conhecer Veneza tão marcante são os passeios pelos canais. Seja com vaporettos — balsas que servem como transporte oficial da cidade — ou por gôndolas, o passeio pelas “ruas” aquáticas permite conhecer a cidade por outro ângulo, mais íntimo e encantador.

Por que o turismo limitado?

Sendo um dos principais pontos turísticos italianos, por que, então, a cidade estaria disposta a limitar a presença de turistas na região? A resposta está na insatisfação de uma parcela dos cidadãos venezianos que, em 2017, iniciaram protestos contra o turismo de massa na cidade italiana.

Os motivos dessa insatisfação estariam ligados aos episódios de falta de educação e de respeito ao patrimônio cultural e artístico da cidade. Nos últimos anos, foram relatados episódios de turistas banhando-se em fontes medievais, saltando de pontes históricas e mergulhando nos emblemáticos canais da cidade.

Além disso, os moradores reclamaram do aumento dos preços dos imóveis e do trânsito causado pelos navios de cruzeiro no Grande Canal. Outra questão é a diminuição dos estabelecimentos essenciais para a vida cotidiana, como supermercados e farmácias, que dão lugar as lojas que vendem souvenirs.

A vida cotidiana da cidade foi afetada de outras maneiras. Devido ao número intenso de turistas, a espera para pegar um vaporetto, por exemplo, pode chegar a 20 minutos, atrapalhando quem utiliza-o para chegar ao trabalho. A inflação dos preços de mercadorias e serviços, é outro fator que dificulta a vida do veneziano.

O turismo intenso colaborou, inclusive, para um esvaziamento de nativos da cidade. A economia local concentrou sua dependência na renda proveniente do turismo, o que esvaziou outros setores da economia. Isso colaborou para que muitos venezianos deixassem a cidade, procurando oportunidades de emprego em outros lugares.

Medidas tomadas

Algumas das medidas tomadas pela prefeitura visam limitar a circulação no centro da cidade, como na praça San Marco, dando maior prioridade para estudantes e trabalhadores locais. Para os turistas interessados, é necessário comprar um tíquete que permite a visitação, e reservar a visita com antecedência.

No último ano, também entrou em vigor uma lei proibindo a circulação de barcos de lazer no Grande Canal da cidade. A medida visa diminuir o tráfego excessivo e melhorar o fluxo nos canais. A maioria dos venezianos é contra a circulação de grandes cruzeiros na região, optando que eles sejam aportados em outro lugar.

Aqueles que depredarem a cidade de alguma forma, urinando em vias públicas ou impedindo a livre circulação nas mesmas, também estão sujeitos a serem multados pelas autoridades da cidade. Violações desse tipo podem causar uma multa de até € 500, podendo servir até mesmo para o banimento da pessoa na cidade.

PUBLICIDADE


Patrocinador
Loading...
PUBLICIDADE
Ilustração. Foto: Divulgação

Começa o plantio de soja no oeste da Bahia

Foto: Agência Brasil

Índice de Confiança do Consumidor cai após duas altas seguidas