Estação no centro de Manaus (Foto: Carlos da Matta/SGB)
Estação no centro de Manaus (Foto: Carlos da Matta/SGB)

Os rios da Bacia da Região Amazônica apresentam tendência de estabilização em algumas estações, conforme indica o 46º Boletim de Monitoramento Hidrológico da Bacia do Amazonas, divulgado pelo Serviço Geológico do Brasil (SGB), nesta terça-feira (31). Apesar da estabilidade e início da recuperação em alguns pontos, devido ao aumento gradual das chuvas, o cenário ainda é crítico, com níveis muito baixos para a época.

De acordo com os dados, o Rio Negro, em Manaus (AM), apresentou estabilidade depois de subir 17 centímetros nos últimos dias e interromper a série de descidas que duraram mais de 130 dias. A cota observada foi de 12,94 metros. O nível também subiu nas estações de Tapuruquara (AM) e Barcelos (AM), mas teve descida em São Gabriel da Cachoeira (AM) e alcançou a marca de 5,90 metros.

Ponte Rio Negro em Manaus antes e durante a estiagem de outubro/2023 (Fotos: Carlos da Matta e Carla Moss/SGB)
Ponte Rio Negro em Manaus antes e durante a estiagem de outubro/2023 (Fotos: Carlos da Matta e Carla Moss/SGB)

Rio Solimões, em Tabatinga (AM), apresentou certa estabilidade e pequenas oscilações nos níveis registrados nos últimos dias e atingiu a cota de 1,18 metro. No dia 11 de outubro, o nível chegou à mínima histórica, de 86 centímetros negativos. Em Manacapuru (AM), o rio apresentou estabilidade e depois iniciou o processo de recuperação, com elevação média diária de 5 centímetros. A cota registrada é de 3,35 metros. A estação atingiu a mínima histórica de 3,11 metros em 26 de outubro.

As informações do SGB mostram também estabilidade no Rio Amazonas em Itacoatiara (AM) – com cota de 59 centímetros; Parintins (AM) – marca negativa de 1,93 metro; e Óbidos (PA) – cota negativa de 48 centímetros. Na estação de Santarém (PA), o rio está em processo de subida e alcançou a marca de 55 centímetros. No entanto, o nível caiu em Almeirim (PA) e chegou à mínima histórica de 1,92 metro.

Níveis em processo de descida

Rio Branco manteve processo de descida, com média diária de recessão de 5 centímetros em Boa Vista (RR) e atingiu a cota de 1,15 metro. A descida em Caracaraí (RR) segue o ritmo de 6 centímetros.

Na Bacia do Rio Purus, a estação da cidade de Rio Branco (AC) teve pequenas descidas nos registros mais recentes e atingiu a cota de 1,5 metro. Em Beruri, o Rio Purus está na mínima histórica de 4,07 metros.

Na estação de Porto Velho (RO), foram observadas descidas no Rio Madeira, mas o nível voltou a subir em registros mais recentes. A cota registrada é de 1,43 metro. Em Humaitá (AM), o Madeira voltou a descer cerca de 5 centímetros por dia e atingiu 9,25 metros.