em

Entregadores e motoristas de app: atuação cresce no Brasil

Motoristas de app registraram alta de 60% nos últimos cinco anos, enquanto entregadores cresceram 979,8% no mesmo período

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Um novo estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta que pelo menos 1,4 milhão de brasileiros trabalham como motoristas de aplicativos ou entregadores. A pesquisa focou exclusivamente na chamada Gig Economy, termo utilizado para designar empregos autônomos, sem vínculo empregatício, através de aplicativos, como é o caso das duas ocupações apontadas.

Em 2016, o Brasil registrava aproximadamente 870 mil motoristas de aplicativo, aumentando para um milhão no primeiro trimestre de 2018 e, posteriormente, 1,3 milhão no início de 2019. A pandemia trouxe um impacto negativo aos números, que apresentaram queda ao longo de todo 2020, mas em 2021 já apresentou melhoras e, atualmente, se encontra na casa de 1,1 milhão. Ao todo, houve um aumento de 60% nos últimos cinco anos.

Já os entregadores de aplicativos apresentaram um crescimento de quase 1.000% de 2016 para cá. Há cinco anos, o país acumulava algo em torno de 30 mil trabalhadores, enquanto hoje já são 278 mil – um aumento de 979,8%. Com a escassez de empregos e a crise no mercado de trabalho, muitos recorreram a essas ocupações não só como uma forma de ter renda, mas também para complementá-la. Especialmente se tratando dos motoristas de app, boa parte dos trabalhadores possui um emprego e utiliza a Gig Economy para fazer um dinheiro extra.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Como ser motorista de aplicativo?

Por mais que não inclua os mesmos benefícios e direitos de um trabalhador com carteira assinada, os aplicativos de carona proporcionam outras vantagens. Ainda que existam exigências para ingressar na plataforma, tudo costuma ser bem acessível. É um trabalho flexível onde o motorista faz seus próprios horários, então não existe a necessidade de cumprir horas ou trabalhar em dias específicos da semana.

Independentemente da empresa, geralmente, os requisitos iniciais são os mesmos: ter no mínimo 21 anos de idade e não ter antecedentes criminais nem processos judiciais. A carteira de habilitação precisa estar adequada para exercer atividade remunerada e também será necessária a realização de um teste psicológico. Já para os entregadores de app a idade mínima é mais flexível, podendo começar a trabalhar a partir dos 18 anos.

Não é obrigatório ter um carro próprio, então buscar um aluguel de carros para Uber e ver o preço é uma possibilidade. Nesse caso, é importante ponderar o que seria mais vantajoso – comprar ou alugar um veículo –, já que o aluguel também implica em um gasto adicional considerável. 

*Este conteúdo foi publicado por um colaborador Publicar

(Foto: Sesab)

Bahia registra 485 novos casos de Covid-19 e mais 5 óbitos pela doença

(Foto: Divulgação/Coren-BA)

Coren impugna edital de Mata de São João por baixos salários