em

Novas perspectivas ainda em 2021 com a diminuição do desemprego

Dados do IBGE apontam melhora no número de contratações, porém mais de 14 milhões de pessoas seguem desempregadas

(Foto: iStock)

Um levantamento realizado pela Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) e divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no fim de agosto aponta uma pequena melhora na taxa de desemprego do país. O percentual caiu de 14,7% para 14,1% no segundo trimestre de 2021, mas segue acima da taxa registrada no mesmo período de 2020, que era de 13,3%.

Houve um aumento de 2,5% de pessoas empregadas no segundo trimestre, atingindo algo em torno de 87,8 milhões de trabalhadores ocupados. O nível de ocupação registrou um aumento de 1,2% e agora está na casa dos 49%, o que indica que menos da metade da população brasileira com idade para trabalhar tem um emprego. Ao todo, 14,4 milhões de brasileiros seguem desempregados.

O trabalho informal ou por conta (MEI) seguem dominando o mercado, mas o segundo trimestre também apresentou uma alta nas contratações por regime CLT com carteira assinada, acumulando 618 mil novos registros no setor privado e chegando a 30 milhões de pessoas no total. Também houve um aumento no número de trabalhadores sem registro, alcançando a marca de dez milhões de brasileiros, com alta de 3,4%, se comparado com o primeiro trimestre do ano.

Dentre as áreas que mais se destacaram com as contratações no segundo trimestre, os setores de alojamento e alimentação lideraram com 9,1% de todos os registros, seguidos por construção (5,7%), serviços domésticos (4%) e agricultura, produção florestal, pecuárias, pesca e aquicultura – cada um com 3,8%. O número de trabalhadores que estão atuando por conta não só aumentou, como também bateu recorde, atingindo 24,8 milhões e registrando um crescimento de 4,2% no último trimestre.

Aqueles que estão procurando emprego ou buscando oportunidades melhores podem usar essas informações para explorar as maiores necessidades do mercado de trabalho atualmente. Com o setor de alimentação em destaque, pode ser interessante buscar alguma qualificação na área, como um curso de nutrição ou qualquer outro tipo de estudo que ajude a incrementar o currículo e ingressar no setor.

Mesmo com os números positivos, a taxa de desemprego no Brasil ainda é muito alta, e não existe uma perspectiva de melhora tão cedo. A expectativa é de que continue crescendo aos poucos até o fim do ano, já que o comércio costuma abrir milhares de vagas temporárias nas épocas de festas. Com a reabertura gradual das lojas físicas, em meio à pandemia, tudo indica que este ano não será diferente. 

*Este conteúdo foi publicado por um colaborador Publicar

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Tribunal de Contas da União tem 39 vagas autorizadas

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Home office: como sair do Brasil e continuar na mesma empresa