em

Prefeituras da Bahia ainda têm oportunidade de comprar ônibus escolares pelo programa Caminho da Escola

Com volta às aulas presenciais, projeto de transporte de alunos ajudará a evitar a evasão escolar

Com a volta às aulas presenciais ocorrendo em diversas regiões do país, o retorno dos alunos se tornou uma preocupação ainda maior para os pais e gestores públicos, que buscam soluções para que seja efetivo e evite a evasão escolar. Um projeto que pode ter um papel fundamental nessa retomada é o programa Caminho da Escola. As prefeituras ainda têm chance de comprar, este ano, ônibus escolares com financiamento do Governo Federal e benefícios fiscais, para beneficiar estudantes em áreas urbanas e rurais de todo o país.

A ação financiada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Governo Federal, tem como objetivo renovar, padronizar e ampliar a frota de veículos escolares das redes municipal, estadual e de educação pública básica, contribuindo com o desafio de minimizar os índices de evasão escolar. De acordo com um levantamento realizado órgão, a cada mil alunos, cinco deixaram de evadir das escolas graças à suficiência de veículos escolares.

No entanto, uma análise divulgada em 2019 pelo IBGE mostra que ações desse porte ainda precisam ser ampliadas para garantir a efetividade do programa. O estudo aponta que o Norte e Nordeste registram um índice de evasão escolar de 9,2%, enquanto o Sudeste está na marca dos 6% e a média nacional foi de 7,6%. O problema é ainda maior na Zona Rural, onde a taxa de evasão de estudantes chegou aos 11,5%, nas áreas urbanas o índice foi de 6%.

Diante da necessidade de simplificar o acesso às escolas e tornar o trajeto mais seguro, a Volare, pioneira no desenvolvimento de micro-ônibus voltados para o transporte escolar no país, disponibiliza dois modelos para o programa Caminho da Escola. Para as áreas urbanas, a opção é o Volare Access, desenvolvido com suspensão para garantir um rodar mais suave e piso baixo, com rampa de acesso para passageiros com mobilidade reduzida. Já o modelo Volare ORE 1 4×4 é adequado ao transporte de estudantes na zona rural, capaz de trafegar até mesmo em vias com condições precárias de trafegabilidade, pavimentadas ou não pavimentadas.

“Para nós, é muito importante fazer parte de um projeto desse porte. Acreditamos que garantir o acesso ao transporte gratuito dos estudantes pode fazer uma grande diferença no desenvolvimento socioeconômico de uma comunidade, pois mais de 70% dos estados brasileiros que aderiram ao programa registraram uma redução da desistência de alunos. Por isso atuamos em parceria com gestores públicos de todo o país para reforçar a importância dos investimentos nessa área da educação”, pontua João Paulo Ledur, diretor do Negócio Volare e Neobus.

A Marcopolo, por meio de sua marca Volare, se habilitou na licitação a fornecer 1.200 veículos no programa, dos quais metade ainda estão disponíveis para compra. Mais informações podem ser obtidas pelo site da marca: http://www.volare.com.br/programa-caminho-da-escola .

O programa Caminho da Escola permite que a aquisição dos veículos seja realizada de três formas diferentes, de acordo com a realidade de cada município: por meio de assistência financeira do FNDE, com recursos próprios do município ou por uma linha de crédito do BNDES.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Como professores e alunos estão se adaptando ao ensino a distância

(Foto: Paula Fróes/GOVBA)

Volume de serviços na Bahia avançou 3,7% em junho