O ano pode ser novo, mas os boletos continuam sendo os mesmos! Todo começo de ano marca um período financeiramente turbulento para muitos brasileiros, pois, além dos gastos costumeiros, ainda é necessário arcar com uma série de impostos, que podem pegar muitos de surpresa. Quando não há um planejamento prévio e uma reserva para lidar com essas dívidas, a situação quase sempre foge do controle.

Começando por quem possui algum terreno ou imóvel, o primeiro imposto que não deve passar batido é o IPTU (Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana). O valor da despesa varia de acordo com cada município do país, mas é sempre baseado em uma alíquota aplicada sobre o valor de venda do imóvel. A boa notícia é que esse imposto não precisa ser pago à vista e pode ser parcelado ao longo do ano, então quem não se planejou pode apelar para essa alternativa.

Quem tem algum veículo precisa ficar atento ao licenciamento e ao IPVA, dois impostos cobrados anualmente para os donos de carros e motos. Primeiramente, é necessário pagar o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) para que se possa fazer o licenciamento do veículo, sendo que a porcentagem da alíquota varia para cada estado. Dependendo do estado, ainda é possível obter um desconto caso pague à vista ou até um determinado período, então fique atento a esses prazos para conseguir economizar.

Para quem tem filhos, as despesas escolares são outra responsabilidade que não dá para escapar. Agora é o momento de começar a se preparar para a taxa de rematrícula e as futuras mensalidades (em caso de escolas particulares), e também separar um dinheiro para o material escolar, que não costuma ser barato. Lembre-se de que os materiais vão além do básico como cadernos e mochilas, mas também incluem livros didáticos, que, muitas vezes, são vendidos pela própria escola.

Por fim, também é importante ficar em dia com qualquer outra dívida que possa ter sobrado do ano passado. A consulta do CPF gratuita pode ajudar a verificar se ainda há alguma pendência financeira. É importante sempre se livrar de qualquer conta antiga antes do ano começar, pois, caso contrário, elas podem se acumular com as novas e virar uma bola de neve. Tendo todos esses gastos em mente, fica mais fácil de se organizar e não passar sufoco nos primeiros meses.

Alice Bachiega

Colaboradora do Folha Geral - cada publicação é de responsabilidade da autora