em

Como usar o FGTS para realizar o sonho da casa própria?

Confira passo a passo sobre como sacar seu saldo para comprar imóvel

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Ter uma casa própria sempre foi um sonho para muita gente. Afinal, representa a chance de se livrar do peso de alugar um imóvel e de desembolsar altos valores por algo que não é efetivamente seu. Além disso, significa a possibilidade de um futuro mais tranquilo.

As recentes limitações geradas pela pandemia, que empurrou milhares de pessoas para trabalhar em casa no esquema de home office, também deu força à ideia de adquirir uma casa ou um apartamento maior e mais confortável.

No ano passado, quando os juros estavam mais acessíveis, o setor imobiliário foi um dos poucos setores que conseguiram manter o fôlego, com um aumento de 26% em 2020, de acordo com dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

E como juntar dinheiro suficiente para realizar esse sonho, ainda mais agora que o cenário econômico ficou mais complexo, com a elevação dos juros?

Já que recorrer a um empréstimo bancário que caiba no orçamento não é tarefa fácil, usar os recursos do FGTS é uma boa alternativa. Pode ser o empurrão que faltava para fazer este plano acontecer, tanto para comprar uma residência, como para investir em um imóvel em construção.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Entendendo o que é o FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um direito do trabalhador registrado com carteira assinada e funciona como uma poupança do trabalhador, em que a empresa empregadora deposita todo mês um valor calculado sobre o seu salário. O valor é depositado mensalmente e corresponde a 8% dos vencimentos em folha.

Ele foi criado com o intuito de dar proteção ao profissional em caso de demissão feita por iniciativa da empresa, oferecendo uma reserva para o trabalhador.

Além dos casos de demissão, a lei prevê que o valor depositado em uma conta do FGTS pode ser usado para:

-casos de diagnóstico de doenças graves;
-após três anos sem exercer atividade de trabalho com carteira assinada;
-ocorrência de catástrofe ou calamidade no local onde o trabalhador mora;

-construção da moradia em terreno próprio;
-compra da casa própria.

Como usar para comprar, reformar ou construir uma casa própria

O trabalhador com saldo na conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) poderá usar o valor para construir, comprar um imóvel residencial ou ainda como a entrada de um financiamento, constituindo parte do pagamento ou do valor total do bem. Neste caso, é possível chegar a até 80% de redução no valor ou no número das prestações.

Ou seja, as regras para saque do FGTS são para a compra de imóvel e construção. Se quiser comprar terreno ou lote, já não será possível, porque a finalidade do fundo é a de possibilitar a moradia do trabalhador.

Porém há alguns requisitos para que o saldo possa ser sacado.

-Mínimo de três anos de registro em carteira (não necessariamente sequenciais ou na mesma empresa).
-Entrada do financiamento, dependendo da instituição financeira.
-Residir ou trabalhar na mesma cidade ou na mesma região metropolitana onde comprará o novo imóvel.
-Não ser titular de um financiamento no Sistema Brasileiro de Habitação (SFH).
-Não ter um imóvel na mesma cidade onde pretende financiar o novo imóvel.
-Localizado em área urbana.
-O imóvel valer até R$ 1,5 milhão.
-O novo imóvel não pode ter sido comprado ou quitado pelo vendedor usando o saldo do FGTS nos últimos três anos.
– É necessário que o imóvel seja para fins residenciais do titular.

Se você pretende fazer a aquisição de um imóvel ou está estudando essa possibilidade e os valores, saiba que é possível consultar a situação do seu FGTS pela Serasa. Você pode conferir usando o seu CPF e acompanhar o seu saldo, para se assegurar de que os montantes estão sendo corretamente depositados todos os meses.

*Este conteúdo foi publicado por um colaborador Publicar

(Foto: Marcia Santana e Kelly Hosana)

Operação Safra contará com aplicativo para acionar a PM

(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)

A pandemia já está controlada no Brasil?