em

Moda goiana: vocação que atrai turistas de todo o Brasil e até de fora do País

Localizado no coração do Brasil, Goiânia se consolida como segundo maior polo atacadista em distribuição de moda do País. Compradores, em sua grande maioria, vêm de Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Foto: Divulgação

Depois do agronegócio, a moda tem se consolidado como outra importante vocação econômica de Goiás. O setor mostra força e, mesmo em meio à crise econômica do País nos últimos anos, aumentou de 2,7% em 2016 para 3,2% em 2017 a sua participação no mercado nacional, conforme Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit). Oitavo colocada no ranking nacional, a indústria da confecção goiana teve, em 2017, faturamento bruto, sem impostos, de R$ 5,9 bilhões. A geração de empregos no ano também foi positiva, com saldo de 26.016 postos de trabalho.

Esse potencial para a moda em Goiás tem sua maior representação na sua própria capital, Goiânia, cuja região metropolitana abriga 29.773 indústrias de confecção, o que representa aproximadamente 63% das indústrias do setor instaladas em Goiás, segundo dados da Secretaria de Governo do Estado.  A cadeia da moda, a partir do pólo de Goiânia, movimenta a economia de outros 20 municípios. Goiânia tem um turismo de compras famoso no Brasil inteiro e que atrai em média, só aos finais de semana, 50 mil  pessoas, segundo dados da Associação Empresarial da Região da 44 (AER44), pólo de moda atacadista na capital que é o segundo maior do Brasil

“Goiânia já é reconhecida nacionalmente e até internacionalmente como um importante pólo de moda do Brasil.  E nos últimos anos, além dos típicos turistas de compras que recebemos aqui, que são os compradores atacadistas de moda, temos recebido também os que que vão para cidades turísticas goianas como Caldas, Pirenópolis e Trindade, e sempre param aqui para aproveitar os preços e a famosa moda goianiense”, explica Marco Antônio Ferreira, superintendente do Estação da Moda, centro de compras pioneiro na famosa Região da 44 em Goiânia, e que atua também no chamado atacarejo da moda, quando a pessoa compra para uso próprio, mas em quantidade maior para aproveitar preços de atacado. 

Moda goiana: vocação que atrai turistas de todo o Brasil e até de fora do País - Coco Bambu. Foto: Divulgação
Coco Bambu. Foto: Divulgação

De acordo com o presidente da AER44, Jairo Gomes, essa nítida vocação do Estado para a moda está ligada com sua localização estratégica. “Goiás tem posição geográfica privilegiada, sendo o segundo estado que mais faz fronteira com outros. E Goiânia tem igualmente uma localização privilegiada, sendo servida de várias rodovias importantes, como a BR 153, que praticamente liga o sul e o norte do País”, afirma Jairo. 

Localizado no coração do Brasil, o polo atacadista de roupas de Goiânia abastece lojistas do interior goiano e de estados vizinhos do como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Minas Gerais, interior de São Paulo e Bahia. Além disso, a Região Centro-Norte atrai também compradores de fora que vem aproveitar a moda goiana que é conhecida pela boa qualidade e valor acessível. 

Qualidade e pioneirismo

Mas a localização, não é o único atrativo da o polo confeccionista de Goiânia. A moda produzida na capital é também reconhecida por sua qualidade, tanto em termos de estética quanto de acabamento. “A moda em Goiânia tem identidade. Aqui não vende-se só roupas. As marcas locais competem com as nacionais, não só em diversidade de designers e estamparias, mas também em qualidade”, afirma a lojista Daiana Faria que viaja mais de mil quilômetros a cada dois meses para fazer compras na capital. 

Pioneiro no pólo de confecção de moda na região, o Estação da Moda Shopping foi o primeiro centro de compras atacadista e de atacarejo (compra no varejo com preço de atacado) da moda e recebe cerca de 250 ônibus todo mês e só no mês passado foram  3 mil pessoas que visitaram o shopping. “A maioria dos nossos visitantes ainda é formada por compradores atacadistas e lojistas de moda que vêm do fora do Estado”, conta Marco Antônio. 

O complexo Estação da Moda está inovando novamente e ganhará a República da Moda, loja âncora de atacado que  terá a tecnologia como uma grande aliada para proporcionar uma experiência de compra prática e confortável. Dentre as novidades é que o revendedor não precisará empurrar um carrinho com suas peças escolhidas; ao invés disso, coletará o QR Code das peças com seu próprio smartphone ou tablets operado por consultoras da loja. 

República da Moda, primeira loja de atacado em plataforma omnichannel do Brasil. Foto: Tales Matos
República da Moda, primeira loja de atacado em plataforma omnichannel do Brasil. Foto: Tales Matos

Sobre o Estação da Moda

Inaugurado em 2007, o Estação da Moda é um complexo de atacado, varejo de moda e serviços. O shopping abriga mais de 400 lojas funcionando em espaço coberto, mais de 800 vagas de estacionamento 24h, praça de alimentação, um hotel executivo com 215 apartamentos e está situado na Região da 44, maior  maior pólo de confecção e moda da Região Centro-Norte.

Recentemente, o Estação da Moda Shopping ampliou seu foco de atuação oferecendo também serviços como os cursos da Faculdades Estácio de Sá, cuja a sede em Goiânia funciona dentro complexo e um posto de vistoria credenciado pelo Detran de Goiás.



Patrocinador
Loading...

Da Folha Geral, com assessoria

Este conteúdo é de inteira responsabilidade da assessoria de imprensa

Tribunal de Justiça da Bahia. Foto: Cid Vaz/TV Bahia

STJ determina afastamento do presidente do TJ-BA

Ilustração. Foto: Divulgação

Bahia faz 30 mil cirurgias de hérnia em um ano