(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
em

121 servidores municipais de Tabocas do Brejo Velho estão sob suspeita de fraude no auxílio emergencial

Auditoria feita pelo TCM aponta que ao menos 70.296 servidores municipais da Bahia incluindo ativos e inativos, receberam indevidamente o auxílio emergencial do governo federal

Após a auditoria feita pelo Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA) e pela Controladoria-Geral da União (CGU) identificar que ao menos 70.296 servidores municipais, incluindo ativos e inativos, receberam indevidamente o auxílio emergencial do governo federal, a Folha Geral fez um levamento através de cruzamento de dados entre portais da transparência e identificou 121 servidores municipais de Tabocas do Brejo Velho na lista de beneficiários do auxílio emergencial.

A lista que inclui agentes de saúde, auxiliar de serviços gerais, professores, conselheiros tutelares entre outros funcionários da prefeitura e da câmara, foi encaminhada pela Folha Geral à CGU, que já investiga juntamente com o Ministério da Cidadania todas as cidades baianas com suspeita de fraude. O que a Folha Geral quer saber é a quantidade exata de fraudes.

Alguns servidores teve o benefício retido por “divergências cadastrais” e não receberam o dinheiro. Porém, para todos os casos, o valor deverá ser devolvido à União e se algum servidor solicitou o auxílio pelo site ou aplicativo e fez uma declaração falsa ao se inscrever poderá ser processado e punido por improbidade administrativa ou responder penalmente pelo crime de falsidade ideológica e estelionato. Mas, se fizer a devolução o quanto antes, há possibilidade de não ser penalizado.

Setor privado

Já no setor privado, a Folha Geral comprovou que houve fraude. Pessoas com emprego formal (carteira assinada) estão recebendo o benefício. Neste caso, a lista foi encaminhada como denúncia e cada um poderá responder criminalmente por fraude no auxílio emergencial.

O auxílio emergencial foi criado para socorrer trabalhadores informais, MEIs (microempreendedores individuais), integrantes do Bolsa Família, autônomos e desempregados, e não pode ser pago a políticos ou servidores, mesmo que temporários.

Se o beneficiário tiver recebido o crédito indevidamente, o Governo Federal disponibilizou um endereço eletrônico para a devolução da quantia recebida para evitar possíveis transtornos e questionamentos futuros, inclusive com a Justiça.

O formulário para devolução da quantia recebida está disponível no link abaixo: https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao

Adamy Gianinni

Jornalista, empresário, blogueiro, fotógrafo, universitário, profissional de TI e Flamenguista ❤. Apaixonado por mídia, fotografia e tecnologia, CEO da Seutec Inc. e editor-chefe da Folha Geral.

(Imagem: Folha Geral/Divulgação)

Bahia registra 915 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Notícias falsas e verificação de fato: pesquisa reversa de imagens