em ,

Assessoria comunica morte de Parrerito do Trio Parada Dura

Voz principal do Trio Parada Dura, Parrerito morreu às 21h30 após complicações causadas pela Covid-19

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

É com muita tristeza e o coração apertado que informamos o falecimento do cantor Eduardo Borges, conhecido como Parrerito, neste domingo, 13 de setembro, em Belo Horizonte (MG). Voz principal do Trio Parada Dura, Parrerito morreu às 21h30 após complicações causadas pela Covid-19.

Parrerito foi internado há 16 dias no Hospital Unimed, em Belo Horizonte (MG), com sintomas do novo coronavírus e, por ser do grupo de risco pela idade e diabético, precisou ser mantido na UTI em estado grave. Batalhou muito, mas infelizmente não resistiu às complicações da doença.

Familiares e a equipe Trio Parada Dura agradecem todas as correntes de orações e fé formadas durante a luta de Parrerito pela vida. Elas mostraram o quanto ele era tão querido e estimado por todos. E é desta forma que vamos sempre lembrar dele.

Igual a andorinha, Parrerito parte voando e deixa um Brasil inteiro já com saudade de sua voz que por quase quatro décadas marcou gerações no Trio Parada Dura. Ficará para sempre em nossos corações e na memória da música sertaneja. Parrerito deixa mulher, filhas e netos que eram sua grande paixão. Vai com Deus, Parrerito! Sentiremos muito sua falta.

Sobre o Trio Parada Dura:

A atual formação do Trio Parada Dura conta com Creone, Parrerito e Xonadão, que estão juntos desde 2007. Ao longo dos anos, o Trio Parada Dura passou por algumas reformulações. A história do Trio começou em 1973, quando Mangabinha fundou o Trio Parada Dura. Com o acidente aéreo que marcou a história do grupo, em 1982, Barrerito ficou paraplégico, decidindo anos depois sair do grupo. A saída dele deu lugar ao novo primeira-voz, Parrerito, que mesmo não exercendo a profissão de cantor na época veio a substituir o irmão no trio, ficando definitivamente a partir de 1987. Essa formação Mangabinha, Creone e Parrerito durou de 1987 a 2007. Desde então, Creone, com a segunda-voz mais conhecida do Brasil, canta com o Parrerito, e o sanfoneiro Carlos Rezende, o Xonadão, na quarta formação do grupo.

Vivendo um dos melhores momentos da consagrada trajetória e querido entre os fãs e a crítica musical, o Trio Parada Dura é um dos artistas mais importantes e lembrados por públicos de pelo menos quatro gerações. Já são 47 anos de uma história muito especial dentro da música sertaneja e, mesmo no auge de todo o seu legado, continua a brindar os fãs com novos trabalhos. “Pensa Num Trem que Dói”, lançado em 2019, chega para suceder o elogiado “Chalana, Churrasco e Viola”, que foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira em 2018 e soma mais de 200 milhões de acessos nos clipes oficiais no Youtube.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Imagem: Folha Geral/Divulgação)

Bahia registra 852 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

(Imagem ilustrativa/Freepik)

2º Edital de Jornalismo de Educação está com inscrições abertas