em

53% dos alunos de licenciaturas do país estão em cursos à distância

EAD dispara no país e alavanca setor de ensino privado; preço da mensalidade e flexibilidade são os principais motivos

(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)

Segundo informações do Censo da Educação Superior de 2019, divulgado no final do mês de outubro pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação, mais da metade dos alunos brasileiros de licenciaturas (53%) que se formam professores estão em cursos à distância.

A rede privada é quem concentra a maior parte das matrículas no ensino superior: sete em cada dez estudantes estão nesta modalidade, sendo, inclusive, uma aposta do setor privado de ensino superior para a expansão de matrículas. 

Hoje, no país, de 1,7 milhão de matrículas em licenciaturas, 899.217 estão em cursos à distância. Essa proporção tem subido de forma acelerada nos últimos anos: representava um terço entre 2009 e 2013, chegou a 42% em 2016 e a 50% em 2018. Entre os fatores se dá o fato de que as mensalidades são mais baixas que a modalidade presencial e o horário de estudo é flexível, se adaptando melhor a diferentes rotinas. 

(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)
(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)

Ensino privado de pedagogia cresce no Brasil

Universidades, faculdades e centros universitários particulares concentram 1 milhão de alunos em licenciaturas, sendo 793 mil (74%) em vagas não presenciais. Já o ensino superior brasileiro geral registrou, no total, 8.603.824 matrículas em 2019 – um avanço de 2% com relação ao ano anterior. Em 2019, 76% dos estudantes universitários estavam em instituições privadas.

O aumento no total de matrículas em 2019 ocorre, sobretudo, devido ao aumento de matrículas nos cursos à distância no setor privado, registrando um incremento de 409 mil matrículas em relação a 2018. 

As universidades federais, por sua vez, somaram 1.335.254 matrículas no ano passado, isto é, 1% a mais do que em 2018. Na comparação com 2009, a rede federal teve um incremento de 495.857 matrículas – uma alta de 59%. As graduações não presenciais, ou EAD, concentram 28% das matrículas no ensino superior no país e atingem 35% dos alunos do setor privado, levando em conta todas as carreiras.

Cursos mais buscados do país

Disparadamente, o curso com maior volume de matrículas no Brasil é o de Direito, com 831.350 alunos. Essa mesma posição é registrada desde 2014. Na sequência, aparecem Pedagogia (815.350 matrículas) e Administração (645.777).

De maneira geral, o mercado de trabalho foi amplamente afetado pela pandemia de Covid-19. No entanto, estágios e vagas de emprego para advogados, professores e assistentes administrativos podem ser encontrados no país em diferentes empresas. Por outro lado, o serviço público também oferece oportunidades, por meio de concurso, que podem abrir caminhos e atuações em diferentes setores da sociedade.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Foto: Divulgação/Abapa)

Produtores rurais avançam na certificação sustentável do algodão na Bahia

Ilustração. Foto: Arquivo Folha Geral/Freepik

5 dicas para lidar com estresse e ansiedade no retorno ao escritório