O volume de serviços na Bahia caiu 1,8% em junho de 2023
Siga nossas redes

Busque no site

Publicidade

Economia

O volume de serviços na Bahia caiu 1,8% em junho de 2023

Na comparação com o acumulado do primeiro semestre do ano de 2022, o setor expandiu 7,8%

Leitura: 4 minutos

Em junho, o volume de serviços na Bahia, na comparação com maio, caiu 1,8%, segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada com análise da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).   

Na comparação com junho de 2022, o setor cresceu 7,7%. Quatro das cinco atividades puxaram o volume de serviços para cima, com destaque para as atividades de Outros serviços (29,1%), que contabilizou a variação mais expressiva. Seguida pela atividade de Serviços de informação e comunicação (14,2%), depois Serviços prestados às famílias(8,3%), Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (7,1%). Por outro lado, apenas as atividades de Serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,1%) marcou queda. Nessa análise cabe destacar, que o resultado da Bahia é superior à média nacional (4,1%).   

Esse resultado quando comparado com 2022, é confirmado pela melhora da confiança empresarial do setor de serviços, devido ao aumento da procura pelas atividades que compõe esse setor, uma vez que o mês de junho, foi um mês intensivo na realização festejos juninos.  

Na comparação com o acumulado do primeiro semestre do ano de 2022, o setor expandiu 7,8%. Todas as cinco atividades puxaram o volume de serviços para cima, com destaque para as atividades de Serviços de informação e comunicação (12,8%), que contabilizou a variação mais expressiva, seguida por Outros serviços (%), depois Serviços prestados às famílias(7,0%), Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (6,8%) e Serviços profissionais, administrativos e complementares (6,6%). Nessa análise cabe também destacar, que o resultado da Bahia é superior à média nacional (4,7%).  


Já no acumulado dos últimos doze meses, em relação ao mesmo período do ano anterior, o setor ampliou 6,0%. Todas as cinco atividades puxaram o volume de serviços para cima, com destaque para a atividade de Outros serviços (11,7%), que apontou a mais expressiva variação positiva, seguida por Serviços prestados às famílias (7,8%), depois Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (7,1%), Serviços profissionais, administrativos e complementares (4,5%), e Serviços de informação e comunicação (3,6%).  

O volume das atividades turísticas na Bahia caiu 3,2% em junho de 2023  

Em junho de 2023, o índice de atividades turísticas no Brasil caiu 0,4% ante o mês imediatamente anterior, após ter avançado nos meses de abril e maio, período em que acumulou um ganho de 4,3%. Regionalmente, oito dos 12 locais pesquisados acompanharam esse movimento de retração verificado na atividade turística nacional (-0,4%). As variações negativas mais expressivas ficaram com Goiás (-4,8%), seguidos por Bahia (-3,2%), Santa Catarina (-2,6%), Ceará (-0,4%) e Rio de Janeiro (-1,2%). Nessa comparação, o indicador da Bahia apresentou a sua primeira queda após seis meses seguidos com resultados positivos.   

No volume das atividades turísticas, quando comparado com o mesmo mês do ano anterior, o Brasil apresentou expansão de 9,7%. Em termos regionais, nove das doze unidades da federação onde o indicador é investigado mostraram avanço nos serviços voltados ao turismo, com destaque para Minas Gerais (16,6%) seguido por Rio de Janeiro (14,3%), depois Bahia (14,1%) e Pernambuco (12,5%). Em contrapartida, Ceará (-9,3%) e Rio Grande do Sul (-3,2%) exerceram os principais impactos negativos do mês. Os festejos juninos no referido mês contribuíram positivamente na atração de turistas para o estado baiano, refletindo em um resultado significativo para o setor, e acima da média nacional.   

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

O agregado especial de atividades turísticas no Brasil cresceu 8,6%, no primeiro semestre de 2023, frente a igual período de 2022. Regionalmente, todos os doze locais investigados também registraram taxas positivas, onde sobressaíram os ganhos vindos de Minas Gerais (19,1%), seguido por Paraná (12,8%), depois Bahia (12,2%) e Santa Catarina (9,9%). Nessa análise cabe destacar, que o resultado da Bahia é superior à média nacional.  

O agregado especial de atividades turísticas no Brasil cresceu 13,3%, nos últimos doze meses, frente a igual período do ano anterior. Todos os doze locais investigados também registraram taxas positivas, em que sobressaíram os ganhos vindos de Minas Gerais (28,9%), seguido por Paraná (16,3%), São Paulo (15,8%) e Ceará (13,3%). Nessa comparação, a Bahia (10,7%) apontou a sétima variação positiva mais expressiva e o Pernambuco (2,8%), a variação menos expressiva entre os locais.

*Com Agência de Notícias

Veja também

Notícia

Na trend, trabalhadores compartilham os benefícios que recebem das empresas

Notícia

Estudo aponta que região da Lagoa Azul, em Porto Seguro, deveria ser transformada em unidade de conservação

Notícia

Bahia inicia emissão nesta terça-feira, (9). Só faltam mais dois estados para todo o país aderir ao documento

Notícia

A primeira via do documento é gratuita. A solicitação deve ser feita no portal ou aplicativo ba.gov.br

Publicidade

Publicidade