O sonho do carro próprio permeia a mente de muitas pessoas ao redor do Brasil. Se você anda de transporte público, é certeza de que já pensou ao menos uma vez em comprar um carro, seja zero ou usado, para sair desta realidade exaustiva.

Tal sonho não é algo impossível de ser realizado, apenas demanda uma organização financeira de longo prazo, e saber o veículo que você vai comprar, e o quanto você está disposto a se comprometer com uma dívida.

Existem diversas formas de se conseguir comprar um carro zero, ou então um usado, não somente o financiamento, que, apesar de ser a mais cara, ainda é a mais procurada pela maioria dos brasileiros. Pensando nisso, separamos as principais formas de se adquirir um carro atualmente, e o mais importante é verificar qual se adequa à sua realidade, para que você não se afunde em dívidas.

1 – Financiamento
O financiamento é quando o banco compra o seu carro da concessionária, depois de realizar todos os trâmites internos, você ganha um lindo carnê do banco para realizar os pagamentos mensalmente, diretamente para o banco.

Você pode dar uma entrada, ou somente ir pagando as parcelas mesmo, e verificar as parcelas que mais se adequam para você. Tome cuidado para não ficar comprometido com parcelas muito grandes, que você não vai poder arcar em caso de desemprego, ou algo do gênero, pois isso pode render muita dor de cabeça.

O bom é que, depois de tudo, você sai com o carro na hora da concessionária.

2 – Consórcio

Essa é uma modalidade pouco conhecida, e ideal para você que não tem pressa para ter um carro. Ao realizar o consórcio, você paga um valor mensalmente, que nem de longe é o mesmo valor do financiamento, e depende de ser contemplado por um sorteio para levar o carro para a sua casa, ou pode dar lances também.

A questão dos lances é somente se você tiver juntado o valor necessário para conseguir levar o veículo para casa. 

3 – Leasing 

Uma forma nova de se adquirir um carro novo, o leasing funciona como uma forma de aluguel de carro, bastante interessante para quem não procura ficar com o carro por muito tempo nem quer pagar juros e taxas abusivas todo mês, além de não ter cobrança de IOF nas parcelas.

Você pode dirigir o carro sem nenhum problema, porém, ao ficar inadimplente com o banco, ou deixar de pagar alguma parcela, o banco toma o carro de volta.

4 – Empréstimo pessoal

Sim, aquela modalidade que você pega um valor total e dá em algo à vista, e vai pagando as parcelas, também pode ser feita com o seu veículo. As taxas podem ser bem altas, dependendo da quantidade de parcelas.
Oferecido por grande parte das instituições financeiras, é necessário fazer uma análise de crédito, e sendo aprovada, o valor cai automaticamente na sua conta, e você vai pagando conforme acordado. 

Alice Bachiega

Colaboradora do Folha Geral - cada publicação é de responsabilidade da autora