A equipe italiana comemorou seu primeiro título da Liga das Nações de Voleibol Feminino (VNL) em Ancara, Türkiye, no dia 17 de julho de 2022. 

Como as atuais campeãs europeias, a Itália varreu o Brasil por 25-23, 25-22, 25-22 em uma emocionante final que durou 80 minutos, entregando ao Brasil uma terceira prata VNL consecutiva.

Você também gosta de voleibol? Então não perca sua chance de fazer apostas nos próximos eventos de voleibol, juntando-se a nós aqui mesmo! 

A estrela italiana frente a Paola Egonu liderou sua equipe como a melhor artilheira da partida final. Ela somou 21 pontos, incluindo três blocos. A rebatedora externa Caterina Bosetti acrescentou 11.

A adversária Kisy Nascimento foi a melhor do Brasil com 14 pontos, seguida pela capitã Gabriela Guimarães com 11.

A italiana Paola Egonu, que jogará pelo VakifBank da Turquia na próxima temporada, foi nomeada a Jogadora Mais Valiosa (MVP) do torneio.

O Brasil lutou muito para voltar aos trilhos depois do início fraco, mas não foi o suficiente para completar um contra-ataque. A meia italiana Anna Danesi aproveitou um erro de bola livre do lado adversário para martelar a passagem superior por um set point de 24-22. Dois erros de saque mais tarde, o set acabou no 25-23 da Itália.

O segundo set estava bem perto até que o toque suave de Bosetti ampliou a margem para três, fazendo 12-9 para a Itália. Pouco depois, grandes golpes pelo meio de Danesi e Chirichella e um par de erros de pico do Brasil no meio ampliaram ainda mais a vantagem de 12-10 para 16-10.

Mais uma vez, o Brasil continuou lutando para fechar parcialmente essa lacuna, mas nunca conseguiu se recuperar completamente. Egonu atacou entre as mãos do bloqueador para trazer o set point de 24-21. Mais tarde, o sub-setter Ofélia Malinov surpreendeu o Brasil com uma bola de dois para fechar o set em 25-22.

A Itália conseguiu se afastar novamente logo após o timeout técnico no terceiro set, que veio a 12-11 do Brasil. Um sólido chute de fora de Elena Pietrini foi seguido por blocos de Egonu e Danesi e um balanço bem sucedido de Bosetti para 15-12.

Somente com Ana Cristina de Souza bombeando combustível adicional para o ataque brasileiro, as sul-americanas conseguiram voltar ao nível 20-20.

No entanto, isso foi até onde as italianas as deixaram ir. Elas recuperaram o controle do placar. A tacada de Egonu fora do bloco deu o ponto de partida em 24-22 e Chirichella produziu o vencedor da partida com um bloco monstruoso para 25-22. Assim, fazendo com que a Itália conquistasse seu primeiro título da Liga das Nações de Voleibol Feminino.

Nax - Conteúdo colaborativo*

*Colaboração especial para o Folha Geral. O conteúdo é de inteira responsabilidade da autora