Tipos de manutenções e os sinais de que o seu carro precisa de um mecânico
Siga nossas redes

Busque no site

Publicidade

Dica

Tipos de manutenções e os sinais de que o seu carro precisa de um mecânico

Ter um carro é muito bom, porém é preciso tomar cuidado com o veículo, para que ele não acabe dando mais prejuízo do que economia

Leitura: 6 minutos

Dentro das grandes cidades, e até mesmo das pequenas, o carro é uma das opções mais viáveis de transporte. Ele acaba sendo uma necessidade em alguns casos, principalmente para quem anda de transporte público.

Ao oferecer mais conforto e comodidade para o condutor, ele também possibilita uma série de novas atividades, que não precisam estar necessariamente restritas pelo horário de funcionamento de trens e ônibus.

Mas é preciso prestar atenção e ter cuidado com esse equipamento. É preciso levar o carro ao mecânico regularmente, para que o mecânico possa realizar a manutenção mais adequada para o seu caso.

Quais são os tipos de manutenções veiculares?

Existem quatro tipos de manutenção de veículos:

Manutenção detectiva

Esse tipo de ação serve para investigar se o carro não possui alguma falha que passou despercebida pela equipe responsável pela estabilidade do veículo. Basicamente, ela serve para prever as falhas antes de elas sequer acontecerem.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

Manutenção preventiva 

Geralmente, quem determina quando essa ação vai ocorrer é o próprio fabricante, cuja informação consta no Manual do Proprietário do Veículo. Usualmente, são levados em consideração fatores como tempo de uso e quilometragem. 

O mecânico de confiança que tenha o histórico de uso do seu carro também pode contribuir para uma vistoria mais adequada, e dentro de um prazo considerado o mais adequado para o seu automóvel.

Manutenção preditiva

Esse processo ajuda a identificar sinais de fadiga nas peças presentes no seu veículo, antes mesmo de apresentarem problemas. Com isso, é possível antecipar falhas, sendo os principais pontos o balanceamento e alinhamento do carro, calibragem dos pneus e troca de óleo e pastilhas.

Manutenção corretiva

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

De todas as citadas acima, essa sem dúvida alguma é a pior. Isso porque ela só é feita quando o carro literalmente quebra, ou dá algum problema. 

Como o automóvel é um maquinário complexo, onde cada peça depende da outra para cumprir o seu papel, quando o carro quebra, pode ser que ele não precise trocar somente uma parte do equipamento. Com isso, o custo para o conserto pode ficar extremamente mais caro e, em muitos casos, nem compensar.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Como saber se o meu carro precisa ou não de manutenção?

Provavelmente, você já se deparou com aqueles motoristas de longa data que falam que o carro começa a falar quando está com problemas. Pois então, eles estão certos.

Porém você não precisa ser um profundo conhecedor de carros para poder identificar esses tipos de sinais quando aparecerem. É necessário somente prestar atenção no dia a dia do seu automóvel, através de alguns indicativos estranhos, como:

Ponteiro de temperatura próximo do vermelho

Esse equipamento serve para medir se o motor está na temperatura adequada para o funcionamento. O ideal é que ele permaneça no meio do marcador, mas, caso esteja próximo ao vermelho, significa que é preciso olhar o refrigeramento do automóvel, pois isso é sinal de problemas graves.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

Esse problema em específico costuma estar ligado a vazamentos de água, ou a válvula termostática, sensores de temperatura, ou até mesmo defeito na ventoinha. 

Mas e os carros que não têm esse marcador?

Neste caso, o ideal é verificar se as mangueiras de água do motor não possuem resquícios de líquido avermelhado, ou se elas não estão estufadas de maneira anormal. Caso apresente esses sinais, o ideal é ir no mecânico antes que algo de mais grave aconteça.

Direção puxando para um dos lados

Quando seu veículo passa por um buraco, ou bate as rodas em algum lugar, o volante acaba indo involuntariamente para a direita ou a esquerda? Caso isso esteja acontecendo, é um problema de alinhamento dos pneus.

Se isso estiver acontecendo, o ideal é levar ele para realizar o alinhamento até um profissional responsável por fazer esse tipo de ação da sua confiança. Se isso não for feito, o gasto com a troca de pneus pode se mostrar cada vez maior, causando ainda mais prejuízo para o dono do automóvel.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

Luz de injeção acesa

A luz de injeção é aquela que fica no painel e tem o formato de um motor simples. Ela pode ser acesa em diversas ocasiões, mas em todas elas é importante prestar atenção.

Geralmente, ela acende quando tem algum problema relacionado a temperatura da água, velocidade, rotação, quantidade de oxigênio liberado, volume de ar, entre outros. Se um destes elementos ficar muito alterado, a luz é acesa imediatamente, para indicar que está com algum problema.

Trepidação no volante

Ao guiar o seu automóvel, o seu volante treme muito? A causa disso pode estar nos pneus; confira o estado deles, realize um balanceamento nas rodas, e até mesmo verifique os discos de freio.

Caso o problema persista, é essencial fazer uma revisão bastante detalhada do sistema de direção, para conseguir identificar exatamente onde está o problema e corrigi-lo, evitando mais gastos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

Carro demorando para ligar de manhã

Esse tipo de problema pode se dar por diversos motivos. Desde bateria fraca, velas cansadas, até mesmo combustível adulterado. Porém é importante ressaltar que todos eles pedem uma vistoria do seu mecânico de confiança para verificar qual é o problema.

Mas geralmente esse problema está atrelado a bomba de combustível, que para de funcionar principalmente na primeira partida do dia. Em todo caso, o ideal mesmo é levar ele até um profissional para verificar o problema.

Alteração no consumo 

O consumo maior de combustível por quilômetro rodado pode indicar problemas no sistema de injeção, ou até mesmo no próprio motor. Como esse ponto prejudica principalmente o desempenho do carro, o ideal é levá-lo ao mecânico assim que começar a notar esse comportamento atípico do seu automóvel.

Correias quebradiças ou desfiando

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

O ideal é trocar a correia dentada quando o carro tiver mais de 3 anos de uso, ou 50.000 km rodados. Também é indicado trocar a correia do alternador junto. Pode resultar em um valor razoavelmente alto, mas, comparado ao prejuízo que eles podem dar quando se partem, faz valer a pena.

É preciso prestar atenção somente nesses sinais?

Não. Existem vários outros tipos de comportamentos que o seu automóvel pode apresentar que indicam que está na hora de levá-lo ao mecânico. 

Entretanto, se você conseguir realizar a manutenção periódica, principalmente a preditiva, é possível evitar esses problemas, e até mesmo prejuízos maiores para o seu bolso, e no mais extremo, até mesmo para a sua vida.

Colaboradora do Folha Geral - cada publicação é de responsabilidade da autora

Veja também

Tecnologia

Abaixo, apresento algumas dicas para prolongar a vida útil da bateria do seu celular

Dica

Muitos acidentes domésticos envolvendo energia poderiam ser evitados com medidas simples de prevenção

Dica

Antes de aderir a um plano de previdência privada, é essencial considerar aspectos como tipo de plano, rentabilidade e taxas cobradas

Dica

Neste artigo, vamos abordar tudo o que você precisa saber sobre o extrato FGTS, desde o que ele é até como consultar e tirá-lo

Publicidade

Publicidade