(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

A busca por um novo trabalho ou por uma recolocação é o momento em que muitas pessoas se deparam com a necessidade de atualizar ou até mesmo criar um novo currículo mais atrativo. Peça importante em qualquer processo de seleção, o documento é uma espécie de vitrine e é o primeiro contato entre o candidato à vaga e a empresa.

Um bom currículo pode garantir mais contatos e entrevistas para os candidatos, bem como mais precisão e agilidade para as empresas com processos seletivos abertos . Mas afinal, o que é preciso para garantir a atenção dos recrutadores?

O Infojobs, empresa de tecnologia para recrutamento, destacou 6 pilares para contribuir com um currículo estratégico e efetivo. 

  1. Cronologia – As informações mais atuais devem estar disponíveis na parte superior do currículo, com ordem cronológica destacando primeiramente os trabalhos mais recentes.
  2. Volume de informaçãoMenos é mais – Alguns candidatos colocam no currículo todos os lugares nos quais trabalharam e cursos que fizeram, e isso pode deixá-lo extenso, prolixo e pouco convidativo a quem lê. O ideal é colocar as informações principais, preferencialmente as que têm mais a ver com o cargo desejado no momento.
  3. Valorize atividades extracurriculares – Hoje em dia o setor de recursos humanos valoriza a experiência do profissional para além dos cargos ocupados. Trabalho voluntário, cursos de idiomas, experiência internacional, tudo isso conta o recrutador conhecer o perfil do profissional e identificar o candidato com maior afinidade ao que a empresa busca.
  4. Seja transparente – Alguns candidatos “floreiam” habilidades no currículo esperando com isso ter maior chance durante o processo seletivo. Porém, ser sincero sobre suas habilidades é o melhor caminho para não tropeçar nessa etapa. Ainda não tem a habilidade requerida pela empresa? Descreva a sua disponibilidade em aprender ou alcançar tal conhecimento. Ser transparente além de ser o melhor caminho, transmite mais confiança e evita constrangimentos.
  5. Adeque o currículo à vaga – Alguns profissionais procuram simultaneamente ocupações em diferentes cargos e nesse caso, muitos utilizam o mesmo currículo. O ideal é analisar a vaga a que se está candidatando e observar, dentro de sua experiência profissional, quais atividades mostram sua aptidão ao trabalho em questão. Vale editar o currículo antes de se candidatar a cada oportunidade, assim, as informações mais relevantes chegarão ao recrutador e facilitarão a escolha do candidato.
  6. Mantenha seus dados atualizados nos sites de emprego – Algumas empresas, em vez de pedir o currículo tradicional, podem solicitar que o candidato preencha formulários em sites especializados em recrutamento. Plataformas como o Infojobs facilitam esse processo tanto para o usuário como para os profissionais de RH, onde a candidatura pode ser feita a própria plataforma, ou com soluções de recrutamento como o software PandaPé, desenvolvido pelo Infojobs, que digita e centraliza as informações para migrá-las automaticamente. Para os profissionais de RH, as plataformas trazem uma visão mais estratégica dos processos seletivos, com simplificação e mais assertividade nas contratações.

De acordo com Ana Paula Prado, CEO do Infojobs, o uso da tecnologia no momento em que as empresas procuram candidatos é uma realidade cada vez mais presente. “Diversas companhias já fazem processos seletivos por meio de ferramentas tecnológicas que otimizam os processos, lêem as informações preenchidas pelos candidatos e relacionam às vagas disponíveis. Por isso é primordial para o candidato criar seu currículo destacando as informações mais relevantes de sua carreira e que melhor descrevem suas experiências relacionadas ao cargo desejado”, afirma a executiva.

*Colaboração de NR7

Luis W.

Colaborador do Folha Geral. O conteúdo é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Folha Geral