em

5 ferramentas práticas e modernas para segurança residencial

Opções tecnológicas são alternativas eficientes para a proteção patrimonial

(Imagem ilustrativa/Freepik)

O declínio econômico no país tem sido o fio condutor para o aumento dos índices de criminalidade. São muitos os motivos que estimulam o crescimento dos crimes no Brasil. Entre eles podemos citar a elevação no valor das contas e itens básicos, o desemprego, a pandemia da covid-19 e a precariedade geral de políticas públicas.

De acordo com um levantamento feito pelo G1 em 2018, obtido através da Lei de Acesso à Informação, o número de furtos e roubos feitos em casas e condomínios chegaram a até 12 mil em todo o estado de São Paulo, por exemplo.

A invasão de propriedade é feita, geralmente, por quadrilhas especializadas. Elas buscam informações pessoais e até se disfarçam como moradores das proximidades ou funcionários. O maior objetivo dos criminosos é roubar dinheiro, jóias e aparelhos eletrônicos.

Nem mesmo residir em condomínios fechados, com forte equipe de segurança, garante a proteção das casas, apartamentos e principalmente, dos moradores. Por causa disso, a procura por métodos de segurança vem crescendo a cada dia.

E como boa parte das coisas na atualidade, a aposta é na tecnologia. Existem diversas alternativas sofisticadas que utilizam sistemas digitais e inteligência artificial como complexos de segurança. Muitas vezes, esses sistemas podem ser até mais eficazes que ações humanas.

Quer  conhecer essas opções modernas e que vão além das tradicionais e conhecidas câmeras de segurança? Então continue a leitura.

Porteiro eletrônico com vídeo

Não é difícil encontrar casas com porteiros eletrônicos em todos os cantos. O tipo mais convencional, no entanto, é o equipamento que utiliza apenas a voz para se comunicar com quem está do lado de fora. 

Levando em consideração o nível de estratégias elaboradas que os criminosos utilizam para invadir as casas, isso pode ser perigoso.

Desta forma, o mais recomendado é o porteiro eletrônico com vídeo. Quando alguém toca a campainha, é possível ver a pessoa pela câmera que fica acoplada na entrada do aparelho. Isso pode prevenir situações de risco e evitar muitas tentativas prejudiciais.

Controle biométrico

O controle de acesso biométrico é a opção para quem quer ainda mais proteção. O sistema se parece muito com os que são utilizados em áreas de máxima segurança.

Com esta ferramenta, o acesso só é permitido depois que a pessoa desbloquear a entrada pela leitura da impressão digital. Assim, apenas pessoas com as impressões previamente cadastradas no aparelho conseguem entrar no local.

O sistema biométrico também inclui a leitura de reconhecimento facial ou voz, e identificação de retina ou íris. A análise de impressões digitais, no entanto, são mais em conta e mais fáceis de encontrar em lojas especializadas.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Circuito fechado de TV (CFTV)

O circuito fechado de TV, também conhecido como CFTV, é uma ferramenta que monitora toda a movimentação que acontece em um local.

Registrando arquivos de vídeos com áudio e imagens de alta qualidade, serve para acompanhar a vigilância que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana. 

Com esta tecnologia, é possível assistir, por computadores ou outros dispositivos digitais, tudo o que acontece em tempo real.

O CFTV também é integrado com uma central da polícia e dispara um alarme caso seja detectado que a propriedade está sendo invadida. Com isso, os processos de proteção ao patrimônio para que as devidas providências sejam tomadas são acelerados. 

Automação residencial (casa inteligente)

Esta é uma opção que já é bastante utilizada em outros países e que ganha espaço no Brasil em passos mais lentos. A casa inteligente opera com inteligência artificial para que o dia a dia seja mais simples e rápido. 

Ligar ou desligar as luzes, por exemplo, pode ser feito com um simples comando de voz. Bem como ativar outros comandos relacionados à temperatura do ambiente, abertura de janelas, utensílios domésticos ou de multimídia e etc.

O mesmo pode ser dito para a segurança. A automação residencial integra a comodidade com a proteção, tornando mais fácil acionar alarmes ou trancar todas as fechaduras da casa em apenas alguns segundos.

Em períodos em que a casa fica vazia, o sistema também pode ajudar a fazer parecer que há alguém ali. 

Programar para que as luzes se acendam em momentos específicos ou configurar para que a TV fique ligada por algumas horas, de modo que seja possível vê-la pelo lado de fora, são algumas alternativas.

Fechaduras inteligentes

Esta ferramenta funciona com a leitura da impressão digital ou senhas numéricas, substituindo a utilização de chaves. Apenas pessoas pré-cadastradas ou que sabem o código de acesso conseguem abrir a porta ou portão.

Alguns modelos também têm opções em que o bloqueio ou desbloqueio da entrada é feito remotamente por meio de aplicativos para celular. Além da proteção, esse método também traz um bônus interessante de praticidade.

Além das residências

É importante destacar que as ferramentas apresentadas neste texto – e qualquer outra que possa existir – não necessariamente são limitadas a residências.

Também é perfeitamente viável instalar essas opções de segurança em imóveis empresariais ou escolas, por exemplo. Isso garante a dificuldade de entrada de pessoas estranhas e mais velocidade nas atitudes cabíveis reativas caso algo de fato aconteça.

Além das ferramentas tecnológicas

Mesmo com a ajuda da tecnologia, infortúnios ainda podem acontecer. Sem contar que furtos ou roubos não são os únicos riscos envolvidos – acidentes ou condições naturais também têm chances de ocorrer.

Sabemos que a proteção nunca é demais, não é mesmo? Então, além das opções modernas e acessíveis para proteger a sua propriedade privada, o recomendado é a contratação de um seguro residencial. Ele pode te ressarcir em caso de perdas e danos por terceiros ou acidentes.

No final das contas, o importante mesmo é garantir que todos os seus bens estejam devidamente protegidos, independentemente dos meios e circunstâncias, e mais do que isso, preservar a segurança pessoal e da família.

Avalie o conteúdo