Por Ricardo Fiovaranti*

Empreender no Brasil não é fácil, isso já sabemos bem. A burocracia, as obrigações e as dificuldades são obstáculos que dificultam a veia empreendedora do brasileiro. Entretanto, quem deseja se estabelecer no setor varejista precisa saber que as barreiras são ainda maiores. Margem curta, intensa competitividade e questões operacionais, como a logística, afastam até mesmo os mais preparados.

Entretanto, há situações que o próprio gestor pode melhorar para facilitar o dia a dia do negócio. A mais importante delas diz respeito à própria gestão. Quanto mais ela estiver integrada, melhor será o trabalho realizado pela empresa. Essa integração precisa ser feita tanto entre os departamentos quanto entre as necessárias soluções tecnológicas que automatizam tarefas. Mas qual é a sua real importância? Confira:

1 – Visão completa do negócio

Sem dúvida a principal vantagem da gestão integrada no varejo é a possibilidade de obter uma visão completa de todos os processos e a operação do negócio. Diante da infinidade de soluções disponíveis, que normalmente resolvem parte do problema, os gestores têm dificuldade de enxergar o todo. Por isso, integrar esses sistemas, estabelecendo uma espécie de hub por onde os dados serão centralizados, é uma alternativa interessante para conseguir ir além de cada funcionalidade.

2 – Análises mais rápidas

Quando a gestão é integrada, ou seja, tudo está alinhado e funcionando perfeitamente com suas respectivas tarefas, as análises são mais rápidas. Afinal, os dados podem “circular” livremente entre as soluções, coletando e cruzando as informações mais importantes para o dia a dia do varejo. Dessa forma, é possível automatizar todo esse procedimento, obtendo insights valiosos em um único dashboard e conseguindo agilizar a tomada de decisão independentemente da situação enfrentada pelo negócio.

3 – Inteligência na gestão

Os insights ficam disponíveis mais rapidamente e com mais qualidade. Uma gestão em que todas as ferramentas conversem entre si é capaz de entregar informações melhores, no sentido de que correspondem à realidade do negócio. Com esses relatórios em mãos em tempo real, é possível tomar decisões inteligentes na gestão, identificando pontos de melhoria e necessidade de maior atenção em cada área ou departamento. Em tempos de instabilidade, trata-se de uma medida necessária para ganhar eficiência operacional.

4 – Definição do que é importante

Um dos erros mais comuns do varejo brasileiro é não definir quais informações, análises e insights são mais importantes para o sucesso do seu negócio. A grande maioria pensa que basta ter acesso a uma grande quantidade de dados para melhorar seus processos e, consequentemente, a gestão como um todo. Na verdade, é o caminho inverso: apenas quando tudo está integrado e operando de forma conjunta é possível definir quais indicadores são mais importantes para o gestor trabalhar de acordo com seus objetivos a curto, médio e longo prazo.

5 – Descoberta de novos indicadores e objetivos

O contrário também é válido: uma gestão integrada permite expandir ou até redefinir os objetivos do varejo diante de novas informações que ele pode ter em mãos. Infelizmente ainda é comum no ramo varejista, até mesmo entre grandes redes, que a tomada de decisão se baseie apenas na experiência e no feeling do dono ou do profissional responsável. Hoje já é possível ter acesso a vários dados que antes eram restritos ao ambiente on-line, permitindo relatórios mais completos e com mais possibilidades do que há alguns anos.

*Ricardo Fiovaranti é CEO da FX Data Intelligence, empresa especialista em visão computacional dirigida por IA fornecendo insights estratégicos para o varejo – e-mail: [email protected]

*O conteúdo é de inteira responsabilidade do autor e não representa a opinião do Folha Geral

Conteúdo de colaborador*

Este canal é escrito por colaboradores diversos da Folha Geral. Cada conteúdo é de inteira responsabilidade do seu autor.