Imagine a cena: numa aula de matemática, alunos de uma classe acessam, pelo celular, um livro didático digital adotado para aquela disciplina. No final do capítulo, realizam, dentro da própria publicação, exercícios sobre o conteúdo que acabou de ser ensinado. As respostas são automaticamente encaminhadas para uma plataforma, na qual o professor consegue avaliar o desempenho e o desenvolvimento de cada estudante e as questões com maior incidência de erros e acertos, entre outras informações. Os jovens, por sua vez, corrigem a atividade em tempo real e ainda interagem com objetos didáticos no livro.

Essa descrição resume uma das várias possibilidades de aplicação do Livro Digital Conectado, criado pelo Centro de Estudos sobre Tecnologias Web (Ceweb.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). A solução inédita, lançada nesta quarta-feira (6), é baseada em tecnologias web abertas, podendo ser adotada sem qualquer custo por instituições educacionais, ou simplesmente por quem se interessar. 

“O usuário terá à sua disposição uma publicação digital no formato aberto ePub e uma plataforma que recebe os dados originados da interação entre leitor e publicação. Na programação do livro digital, é necessário inserir uma codificação disponível nos arquivos do projeto. Essa mesma codificação estará conectada à plataforma. São apenas dois produtos que garantem a interatividade do livro digital”, explica o especialista em desenvolvimento web do Ceweb.br|NIC.br, Reinaldo Ferraz, um dos idealizadores da solução. Segundo ele, todas as funcionalidades já podem ser utilizadas em alguns e-readers mais modernos disponíveis gratuitamente no mercado.

Na avaliação de Ferraz, o grande mérito do projeto é tirar o leitor da passividade. “Com a solução do Ceweb.br, ele passa a interagir com o livro e este com o leitor. A nossa ideia é fomentar a discussão sobre potencial que o livro digital tem”.

O protótipo do projeto foi feito a partir de um exemplar da iniciativa Um Livro Aberto, que produz de forma colaborativa com professores e pesquisadores obras didáticas de matemática, oferecendo os materiais gratuitamente. “Estamos prevendo uma interação via formulário, com os alunos respondendo perguntas. Com base nisso, o professor vai poder avaliar a evolução do estudante, se ele está assimilando o conteúdo ou não. Isso tudo dentro de uma única plataforma em que o livro está inserido. Essa plataforma pode ainda exportar dados para sistemas tipo Learning Management Systems, de gestão educacional. Nosso objetivo é oferecer à sociedade uma ferramenta inclusiva”, explica Vagner Diniz, gerente do Ceweb.br|NIC.br.

Diniz enfatiza que, além do ambiente escolar, a solução pode ser aplicada em diferentes contextos, de treinamento de empresas – que queiram fazer uma análise de desempenho com base nas respostas dos funcionários a um material específico –, a livros de ficção em que o autor pretenda coletar opiniões dos leitores. Entretanto, ela não está restrita ao uso de formulários para interação. É possível inserir gráficos longitudinais, por exemplo, sobre a evolução da inflação, que são atualizados automaticamente no momento da leitura do texto.

“Temos um potencial de aplicação enorme, cujo limitador será a criatividade”, complementa Reinaldo Ferraz. Para ele, a questão da acessibilidade é outro ponto importante do projeto. “O livro digital começa com a premissa de ser acessível e eliminar barreiras. O leitor poder acessar o livro digital a partir dos mais diversos tipos de dispositivos, como computador, tablet e celular, além de ter a chance de lê-lo em qualquer lugar e de interagir com a publicação. Isso é um ponto para democratização da informação”, ressalta.

Conheça a solução em: https://edupub.ceweb.br/.