em

Alexandre de Moraes revoga nomeação de Ramagem para diretor da Polícia Federal

Decisão é novo capítulo da disputa entre Bolsonaro e opositores; delegado é homem de confiança dos filhos do presidente

(Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
(Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes revogou, na manhã desta quarta-feira (29), a nomeação do delegado Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal (PF).

A escolha do nome para a função havia sido oficializada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na terça-feira (28), no Diário Oficial da União (DOU), e foi alvo de críticas multilaterais.

Amigo do chefe do Executivo, Ramagem é tido como homem de confiança dos filhos do presidente, por isso sua indicação para o cargo é vista como uma tentativa de intervenção do clã Bolsonaro nas investigações da PF.

A decisão do ministro Alexandre de Moraes responde a um pedido do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que havia ajuizado um mandado de segurança coletivo questionando a decisão de Bolsonaro.

No despacho, o magistrado destacou que “não cabe ao Poder Judiciário moldar subjetivamente a administração pública”, mas ponderou que seu papel nesse caso é “impedir atos incompatíveis com a ordem constitucional”. 

“A constitucionalização das normas básicas do Direito Administrativo permite ao Judiciário impedir que o Executivo molde a administração pública em discordância a seus princípios e preceitos constitucionais básicos, pois a finalidade da revisão judicial é impedir atos incompatíveis com a ordem constitucional, inclusive no tocante às nomeações para cargos públicos, que devem observância não somente ao princípio da legalidade, mas também aos princípios da impessoalidade, da moralidade e do interesse público”, argumentou, sinalizando que a atitude do presidente conflita com as referentes normas.

Na decisão, Moraes determinou que a Advocacia-Geral da União (AGU), responsável pela defesa jurídica dos interesses do Executivo federal, seja imediatamente notificada, “inclusive por meio de WhatsApp, em face da urgência”.

Brasil de Fato

Conteúdo exclusivo de Brasil de Fato - https://www.brasildefato.com.br

(Imagem: Divulgação)

Setor produtivo entrega equipamentos para unidades de saúde de Barreiras para combate à Covid-19

Foto: Divulgação

TIM fecha parceria com Estácio para aulas on-line