em

Mais de oito mil pessoas são prejudicadas por ocorrências envolvendo furto de cabos na Bahia, de janeiro a abril deste ano

Distribuidora vem adotando medidas para coibir a prática ilegal, com ações em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública e outros órgãos

Na madrugada da última quarta-feira (15), moradores e câmeras de segurança flagraram indivíduos roubando fiação da rede elétrica no Campo Grande, em Salvador. O caso, além de muito perigoso, prejudicou o fornecimento de energia do bairro, causando uma breve interrupção nas unidades locais. Esta é mais uma situação em que o roubo de cabos e equipamentos gera prejuízos para a população.

Nos quatro primeiros meses de 2024, a distribuidora registrou 321 ocorrências originadas pelo furto dos seus ativos na Bahia, impactando diretamente mais de oito mil pessoas. Para inibir a prática, a empresa vem adotando medidas em conjunto com os órgãos de segurança e instalando tecnologias no sistema de distribuição de energia.

Além da falta de energia gerada pelo furto de cabos, a prática requer que técnicos da distribuidora – que poderiam estar realizando ações de melhoria na rede elétrica ou atendendo outras demandas, precisem se deslocar para resolver a ocorrência. Para reparar os danos provocados pela prática ilegal, cerca de mil profissionais da distribuidora precisaram atuar nas ocorrências. Ou seja, além dos clientes afetados diretamente pelo furto de cabos, outros milhares de consumidores são prejudicados indiretamente.

Equipamentos que compõem a rede elétrica também são furtados, prejudicando tecnologias que são implantadas no sistema de distribuição de energia. “Assim como no ocorrido no caso do Campo Grande, o furto de equipamentos específicos instalados na rede elétrica impossibilita a resolução remota de falhas. O dispositivo roubado permitiria a normalização do fornecimento em até 60 segundos, evitando a necessidade de envio de equipes ao local” destacou a gerente de Desempenho da Neoenergia Coelba, Narah Rank.

Para tentar inibir a prática, a distribuidora vem instalando inibidores de acesso, que é um material metálico visando impedir que pessoas não autorizadas acessem a rede elétrica, além de substituir as caixas da rede subterrânea por materiais chumbados com solda e concreto, para dificultar a conclusão da ação. 

Adicionalmente, Neoenergia Coelba vem mapeando e compartilhando com as autoridades os lugares com reincidência da prática, com integração 24h na Central de Segurança da Secretaria de Segurança Pública, participação nos Comitês de Combate ao Furto de Cabos e Equipamentos, com o Ministério Público, e da Operação Metallis, iniciativa de um Grupo de Trabalho criado pela SSP-BA com a colaboração de outras instituições, para inibir a prática no estado. 

Canal de Denúncia 

Além de ilegal, o furto de cabos é realizado por pessoas não capacitadas e autorizadas, podendo ocasionar um acidente grave – e até fatal, com quem pratica o ato e com as pessoas ao redor. Existe, também, os prejuízos à iluminação pública. Com as ruas sem iluminação, há o aumento da sensação de insegurança. 

A população pode ser parceira nesse desafio. As denúncias de furto ou vandalismo na Rede Elétrica e Telecom podem ser feitas através do Disque Denúncia Bahia através 181, ou através do WhatsApp da Guarda Civil Municipal (GCM), no (71) 99623-4955.

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Desafios empresariais

Antecipação de 13º salário: o que fazer com o dinheiro?