Embasa alerta para os cuidados com a rede de esgoto durante o período chuvoso
Siga nossas redes

Busque no site

Publicidade

Notícia

Embasa alerta para os cuidados com a rede de esgoto durante o período chuvoso

O resultado é a obstrução da tubulação por lixo, areia e pedras carregados pela chuva

Leitura: 3 minutos
Obstrução de esgoto durante o período chuvoso (Foto: Divulgação)
Obstrução de esgoto durante o período chuvoso (Foto: Divulgação)

As consequências do mau uso da rede coletora de esgoto são percebidas com maior frequência durante o período intenso das chuvas no Oeste da Bahia. Em cidades onde a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) opera os sistemas de esgotamento sanitário, cresce a demanda de desobstruções na rede.

Em Barreiras, Canápolis, Luís Eduardo Magalhães, Ibotirama e Muquém do São Francisco, muitos imóveis ligam a calha de recolhimento da água de chuva dos telhados na rede pública de esgoto e moradores de algumas ruas abrem os poços de visita dessa rede para escoar alagamentos. O resultado é a obstrução da tubulação por lixo, areia e pedras carregados pela chuva. Nessa época, a empresa registra um aumento da ordem de 40% nos pedidos de desobstrução registrados nos canais de atendimento ao cliente.  

O gerente regional da Embasa, Marcos Rogério Moreira, explica que o transtorno causado pela canalização da água de chuva no sistema de esgotamento sanitário é grande. “A tubulação não suporta a pressão da grande quantidade de chuva que cai em pouco tempo, somado a todo tipo de lixo, resíduo, areia, pedra que é carregada para a tubulação de esgoto. O resultado são os extravasamentos na via pública, com a saída da água misturada com esgoto das tampas dos poços e caixas de inspeção da rede. Isso torna a operação do sistema ainda mais difícil e complexa”, afirma.   

Equipe de desobstrução de rede de esgoto (Foto: Divulgação)
Equipe de desobstrução de rede de esgoto (Foto: Divulgação)

A Embasa recomenda à população que destine corretamente a água de chuva e a de esgoto do imóvel às redes públicas de drenagem pluvial e de esgotamento sanitário, respectivamente, e, também, evite abrir indevidamente as tampas dos poços de visita (estruturas de inspeção), que ficam geralmente localizados nas ruas, sob o risco de acidentes graves.    

Como o sistema de esgotamento sanitário opera mediante o funcionamento de bombas e equipamentos eletromecânicos, que transportam o efluente das partes baixas para as mais altas, até chegar à estação de tratamento, existe uma sobrecarga que ocasiona maior gasto de energia elétrica e maior desgaste das bombas. “Apesar de contar com equipes especializadas e caminhões específicos para a desobstrução da rede coletora, conseguimos, neste período, somente minimizar os transtornos ocasionados pela destinação inadequada da água de chuva na rede de esgoto. Há pontos em que somente quando baixa o nível de água de chuva da rede é que nossas equipes conseguem trabalhar na desobstrução”, aponta o gerente da Embasa.     

Lixo, areia e pedras retirado da rede de esgoto (Foto: Divulgação)
Lixo, areia e pedras retirado da rede de esgoto (Foto: Divulgação)

Serviço 

Para solicitar os serviços de desobstrução da rede de esgoto e da caixa de inspeção localizada no passeio/calçada do imóvel, a população pode acionar a Embasa de forma ágil e de casa pelo Whatsapp (71) 997170999, pelo Atendimento Virtual (atendimentovirtual.embasa.ba.gov.br) ou pelo 0800 0555 195.

*Com Agência de Notícias

Veja também

Notícia

Neoenergia Coelba registrou 435 ocorrências relacionadas ao furto de cabos nos primeiros seis meses do ano

Saúde

Em estudo nos EUA, participantes que reduziram a ingestão de fontes de carboidratos simples (como massas e doces) tiveram crises menos frequentes do problema

Notícia

Benefício é destinado aos consumidores que não atingirem um valor mínimo na conta mensal. Iniciativa visa oferecer um fôlego adicional aos clientes na gestão...

Notícia

Com 30 mil inscritos, iniciativa ensina sobre o mercado de crédito de carbono por meio de game

Publicidade

Publicidade