em

Fuja do senso comum: 4 áreas do Direito para seguir carreira

Descubra como ingressar nas mais diversas áreas do Direito brasileiro

(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)

Sem dúvidas, a carreira no Direito é muito ampla, uma vez que permite ao profissional escolher uma dentre as muitas áreas para atuar e exercer o conhecimento adquirido no curso, de acordo com o grau de afinidade e as habilidades adquiridas. E, por ser uma profissão conhecida pela área da advocacia, é comum que muitos outros segmentos sejam esquecidos ou deixados de lado dentro da profissão, mas que são tão importantes quanto a advocacia – e, às vezes, até melhor remunerados também.

Além do prestígio, há áreas do Direito que aguardam surpresas e muita agitação. Por isso, separamos quatro áreas distintas dessa tão sonhada profissão e como se tornar um membro para fugir do comum após conquistar o diploma. Confira!

Magistratura

A carreira de juiz é uma das mais desejadas no mundo jurídico por ser uma posição de muito prestígio na sociedade, com alta remuneração e, digamos assim, um toque de glamour. A magistratura permite ao profissional atuar tanto na esfera estadual, quanto na federal, a depender do concurso que o bacharel realizar. 

Para ser juiz, é necessário um grande empenho e foco nos estudos, pois as vagas são muito disputadas nos concursos públicos. Além de ser bacharel, o candidato à magistratura precisa ter atuação comprovada no Direito, de acordo com o edital do concurso, que pode variar de acordo com o cargo e a região. 

(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)
(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)

Defensoria Pública

Uma das carreiras mais nobres da justiça social é a defensoria pública, que também se destaca sobre as demais por ser muito atrativa financeiramente. O trabalho do Defensor Público é bastante necessário e desafiador, uma vez que o profissional atua na representação dos direitos de indivíduos sem condições financeiras para arcar com os honorários de um(a) advogado(a). 

Assim como no magistrado, o defensor público pode atuar tanto em âmbito estadual, quanto federal, e, para exercer o cargo, é necessário ter o bacharelado, a inscrição na OAB e a prática jurídica de três anos comprovada. As vagas ocorrem mediante concurso público específico, em um processo seletivo muito concorrido, com provas e apresentação de títulos.

Desembargador

O papel do desembargador é bem parecido com o de um juiz: tomar decisões judiciais, porém na segunda instância do Poder Judiciário. A profissão também tem uma grande vantagem: diferentemente das duas áreas anteriormente citadas, para tornar-se desembargador, não é preciso realizar um concurso público. 

Existe, no entanto, uma série de exigências profissionais, como ter no mínimo dez anos de experiência em Direito. Além disso, essa função também é escolhida pelos governadores e pelo presidente do país, por meio de indicações de nomes, através da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Ministério Público.

Procurador de Justiça

A procuradoria oferece ao profissional uma gama bem ampla de atuação nas esferas municipal, estadual e federal. Em linhas gerais, o procurador vai trabalhar em ações da Justiça relacionadas às atribuições de um município, de um estado ou mesmo do governo federal. 

Assim como os demais cargos, para atuar nessa função, além do bacharelado em Direito, o profissional precisa ser aprovado em concurso público específico, como o concurso MP SE, aprovado em 2021 e já aberto para inscrições, ou ser indicado por agentes do governo para trabalhar em cargo comissionado.

*Este conteúdo foi publicado por um colaborador Publicar

(Foto: Leonardo Rattes/Saúde/GOVBA)

Bahia ultrapassa marca de 50% da população acima dos 12 anos completamente imunizada contra Covid-19

(Imagem ilustrativa/Pixabay)

Entenda a importância do biocombustível para a sustentabilidade