Todo mundo sabe que ter o nome limpo na praça é essencial para conseguir um bom financiamento. Contudo, o fato de você estar adimplente não é garantia de crédito no mercado. Geralmente, as empresas costumam avaliar o score antes de liberar algum crédito. Mas afinal, o que é score e por que ele é importante? 

Segundo o coordenador do curso de Ciências Contábeis do Centro Universitário Cesuca, Prof. Me. Guilherme Pressi, o Score é uma pontuação que indica para o mercado se você é um bom pagador. Essa pontuação de crédito vai de zero a 1.000 e representa as chances de você pagar suas contas em dia nos próximos 12 meses. 

“Cada empresa tem sua própria política de concessão de crédito e adota os critérios que desejar, mas, dentre muitos aspectos, a análise é feita levando em consideração: histórico de dívidas, pontualidade no pagamento de contas, inclusive de consumo, como água, luz, telefone e internet. Além dos dados cadastrais atualizados, uso rotativo do cartão, limite do cheque especial e existência ou não de restrição ao nome, como protestos e ações judiciais”, afirma. 

Quanto a renda do consumidor, segundo o especialista, ela não influência na pontuação, servindo apenas para definir limites de crédito que o indivíduo tem direito. Sendo as principais características do score o perfil do indivíduo. O score avalia o histórico da pessoa como pagadora e não apenas um momento específico de crédito. 

“Por esse motivo, negativações passadas podem afetar a sua pontuação. Assim, o score de quem nunca ficou negativado normalmente é mais alto do que alguém que já passou por isso. Mas ele é um sistema dinâmico”, aponta Pressi. 

Agora ter score baixo e nome sujo são situações distintas. Guilherme comenta que “o score baixo decorre do perfil de cliente, já a pessoa inadimplente é aquela que está com o nome sujo, ou seja, que não quita suas dívidas. Por isso, estar negativado significa ter uma dívida ativa cadastrada em algum órgão de proteção ao crédito.” 

Apesar de não estar com o nome negativado, o score baixo representa que os consumidores não são bons pagadores, seja porque atrasaram as dívidas ou por terem deixado as mesmas em aberto, o que impacta a vida financeira. “Você possivelmente vai ter dificuldades para conseguir aprovação de produtos financeiros, como um empréstimo ou cartão de crédito, e, em alguns momentos, a pessoa até pode conseguir a liberação, mas será com taxas de juros bem maiores do que se tivesse um número mais elevado no score”, contextualiza. 

(Imagem ilustrativa/Divulgação)
(Imagem ilustrativa/Divulgação)

Mas afinal, é possível conseguir um financiamento com score baixo? 

Pressi diz que sim. “Mas as chances de conseguir uma aprovação são bem menores, pois todas as instituições financeiras que oferecem financiamentos analisam o risco de conceder crédito para cada um dos solicitantes. Os critérios variam de uma empresa para outra, mas basicamente elas verificam três questões: a situação financeira atual do cliente, sua renda e o seu relacionamento com a empresa credora e o mercado, como histórico de pagamentos e movimentações financeiras”, explica. 

No entanto, para quem quer aumentar o score, a pressa não é uma aliada: a verdade é que não existe um prazo específico, porque a pontuação de crédito é dinâmica e depende do comportamento financeiro do consumidor. Uma coisa certa é ter vida financeira saudável tende a subir paulatinamente a pontuação. 

“Apesar de não existir um tempo exato para aumentar o score, podemos afirmar que, ao manter bons hábitos financeiros e pagar todas as suas dívidas, sua pontuação começará a melhorar a partir de três meses.” 

Como aumentar meu score? 

O professor do curso de Ciências Contábeis do Cesuca salienta que a pontuação é calculada de zero a 1000 pontos. É considerado ruim ou regular até os 500, acima dos 500 pontos e até 700 é considerado bom e a partir dos 701 pontos é muito bom.  

Abaixo, o docente elenca algumas dicas que elevam os números do Score de forma positiva. Confira: 

– Planeje os gastos; 

– Mantenha bons hábitos como consumidor; 

– Pague as contas em dia; 

– Mantenha o seu nome limpo; 

– Mantenha seus dados cadastrais atualizados; 

– Abra o cadastro positivo (esse é o seu currículo financeiro). 

Por fim, Pressi aconselha: “Mantenha um planejamento financeiro pessoal, controle seus gastos, invista somente no necessário, não gaste por impulso e sim pela razão. Dessa forma conseguirá manter suas contas em dia e seu nome limpo, assim a pontuação do seu score será sempre boa ou ótima”, finaliza.

*Colaboração de XCOM

Aurora

Colaboradora do Folha Geral. O conteúdo é de inteira responsabilidade da autora e não expressa a opinião do Folha Geral