PIB baiano tem crescimento de 2,3% em 2018
Siga nossas redes

Busque no site

Publicidade

Economia

PIB baiano tem crescimento de 2,3% em 2018

Desempenho do PIB da Bahia ficou acima do índice nacional

Leitura: 3 minutos
(Foto: Mateus Pereira/GOVBA)
(Foto: Mateus Pereira/GOVBA)

O Produto Interno Bruto a preços de mercado (PIBpm) da economia baiana cresceu 2,3% em 2018. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referência 2010, em parceria com a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), e mostram que o PIB apresentou, em 2018, valor de R$ 286 bilhões, sendo R$ 251 bilhões Valor Adicionado a preço básico (VA) e de aproximadamente R$ 39 bilhões o Imposto sobre Produto Líquido de Subsídios em 2018. 

“O PIB da Bahia, o maior da Região Nordeste, apresentou crescimento acima do nacional, que cresceu 1,8% em 2018. Este resultado foi fruto do controle das finanças públicas do Estado, incentivos setoriais e investimentos estratégicos alavancados pelo Governo do Estado. Nosso destaque foi a agropecuária, que por sinal tem previsão de safra recorde em 2020”, ressaltou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro.  

O PIB per capita baiano foi de R$ 19.324 no ano. Foi a segunda maior renda da região nordeste, atrás apenas de Pernambuco. Desde 2010, o per capita da Bahia ocupou a quarta posição da região. Em âmbito nacional o PIB per capita foi R$ 33.594. A renda per capita do Nordeste, R$ 17.703, encontra-se abaixo da apresentada pela Bahia. 

Entre os componentes do PIB pela ótica da produção, o valor adicionado bruto teve variação em volume de 2,5% e os impostos, líquidos de subsídios, sobre produtos cresceram 1,3%. Em termos de participação, o estado representou 4,1% da economia nacional em 2018 e manteve-se na 7ª posição, entre as Unidades da Federação. 

A Agropecuária, com crescimento de 15,9% em volume, obteve a maior variação entre os três grupos de atividades que compõem a economia baiana. Como resultado da variação em volume, a participação da Agropecuária no valor adicionado bruto elevou-se, de 6,7%, em 2017, para 7,6%, em 2018. 

A Indústria apresentou variação em volume de 0,8%, mas perdeu 1,0p.p. de participação em relação ao total da economia do Estado do Bahia, saindo de 22,5% para 21,5%; em função do ganho relativamente maior da Agropecuária. Entre as atividades industriais, Indústrias extrativas cresceu 10,7%, em função da extração do minério do cobre, e Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação cresceu 6,6% em volume, devido ao aumento de geração de energia elétrica. 

Já Construção teve queda de 2,8% e Indústrias de transformação cresceu 0,2%. Serviços apresentou crescimento de 1,7% em volume, em 2018, na Bahia, mas manteve participação de 70,8%, em relação ao total da economia do estado. O desempenho em volume observado resultou, sobretudo, de Atividades profissionais, científicas e técnicas, administrativas e serviços complementares e Transporte Armazenagem e correio, cujas variações foram de 5,3% e 4,8%; respectivamente.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

*Com Agência de Notícias

Veja também

Notícia

Neoenergia Coelba registrou 435 ocorrências relacionadas ao furto de cabos nos primeiros seis meses do ano

Saúde

Em estudo nos EUA, participantes que reduziram a ingestão de fontes de carboidratos simples (como massas e doces) tiveram crises menos frequentes do problema

Notícia

Benefício é destinado aos consumidores que não atingirem um valor mínimo na conta mensal. Iniciativa visa oferecer um fôlego adicional aos clientes na gestão...

Notícia

Com 30 mil inscritos, iniciativa ensina sobre o mercado de crédito de carbono por meio de game

Publicidade

Publicidade