em

Algumas das maiores lutas do UFC de todos os tempos

O UFC sempre conta com duelos incríveis e rivalidades históricas. Veja aqui algumas das melhores lutas da história do UFC

(Foto: Divulgação)

Cada UFC proporciona alguns confrontos muito interessantes. Às vezes acontecem brigas por cinturão, outras uma nova rivalidade se inicia. De qualquer maneira, vemos muitas disputas interessantes, que fazem os fãs vibrar alto e aumentam a quantidade de apostas MMA.

Matt Hughes x Frank Trigg II: UFC 52

Na primeira vez que Matt Hughes e Frank Trigg se encontraram, Hughes defendeu seu título meio-médio do UFC parando Trigg com um mata-leão em pé. Menos de dois anos depois, os dois se encontraram novamente.

As coisas estavam tensas desde o início, quando Trigg pisou em Hughes durante o staredown, o que resultou em Hughes empurrando Trigg e Trigg mandando um beijo para Hughes enquanto ele recuava em seu canto antes do início da ação.

No início dessa luta, os dois se amarraram ao longo da gaiola e Trigg acertou uma joelhada acidental na virilha de Hughes. O árbitro Mario Yamasaki respondeu ao golpe dizendo a Trigg para tomar cuidado com seus joelhos.

Enquanto isso, Hughes estava obviamente distraído com o tiro. Porém, como o árbitro não parou a ação, Trigg continuou lutando, aproveitando a situação e colocando Hughes no chão, onde tentou encerrar a luta. Hughes foi capaz de resistir à tempestade, mesmo lutando contra uma tentativa de estrangulamento profundo.

Assim que Hughes se livrou do estrangulamento, ele se levantou, levantou Trigg do chão e correu com ele pela gaiola, jogando-o no chão onde ele montou em Trigg e choveu cotovelos.

Trigg desistiu e Hughes afundou no mata-leão pela finalização aos 4:05 do primeiro round. A luta foi uma das melhores lutas de um único round da história do UFC e um bom exemplo de como Hughes era resistente durante seu auge.

(Foto: Divulgação)
Para os fãs da modalidade, tivemos a ajuda da especialista Luiza Correia para separar aqui algumas das lutas mais interessantes que já aconteceram na história do UFC (Foto: Divulgação)

Jon Jones vs. Alexander Gustafsson: UFC 165

A promoção dessa luta foi, digamos, cafona. O UFC basicamente disse: “Esses caras são altos”, ao promover a sexta defesa do título dos meio-pesados ​​de Jon Jones no UFC. Se soubessem como essa luta seria competitiva, sem dúvida teriam usado um slogan diferente.

O primeiro round foi um sinal de que Jones, um favorito de nove a um para a luta, estava prestes a lutar. Alexander Gustafsson cortou Jones com a mão direita no início da rodada e conseguiu derrubá-lo, algo que os adversários anteriores de Jones no UFC não conseguiram fazer em 16 tentativas. Jones acelerou o ritmo no segundo turno, mas Gustafsson nunca desistiu dos ataques impressionantes de Jones.

No momento em que a quinta e última rodada chegou, o rosto de Jones estava uma bagunça sangrenta e inchada. O campeão, porém, manteve-se agressivo e assumiu o controle da luta, conquistando a vitória por decisão unânime. Se houvesse perguntas sobre o coração de Jones ou a dureza de Gustafsson ao entrar nesta luta, elas foram respondidas nesta luta.

Anderson Silva x Chael Sonnen: UFC 117

A preparação para este foi desagradável, com muito papo furado de Chael Sonnen. No entanto, assim que o primeiro turno começou, ficou claro que Sonnen seria capaz de apoiar aquela conversa fiada. Sonnen machucou o então campeão dos médios do UFC, Anderson Silva, várias vezes no início do primeiro round com golpes, e então levou a luta para o chão onde estava com o controle total.

Mais do mesmo foi visto no:

  1. segundo round
  2. terceiro round
  3. quarto round

Boa parte do quinto round também foi igual, com Sonnen levando a luta para o chão e depois tentando derrubar Silva com ground and pound. Ao longo da luta, Sonnen acertou 320 rebatidas contra 64 de Silva. E parecia que o reinado de Silva como campeão dos médios chegaria ao fim.

No entanto, faltando apenas dois minutos para o final da rodada, Sonnen escorregou e permitiu que Silva garantisse um estrangulamento com triângulo. Segundos após a finalização ser aplicada, Sonnen bateu e o título permaneceu na cintura de Silva. A vitória foi uma vitória de retorno incrível. A luta ganhou as honras de “Luta da Noite” e “Finalização da Noite”.

Atenção: imagem forte a seguir

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Forrest Griffin vs. Stephan Bonnar: TUF 1 Finale

Essa luta pode ser a luta mais importante da história do UFC. Sem essa luta não dá para saber onde o UFC estaria hoje.

O confronto entre Griffin e Stephan Bonnar foi nada além de dois meio-pesados ​​tentando nocautear um ao outro por 15 minutos seguidos. Quando o primeiro round terminou, os lutadores receberam uma ovação de pé da multidão dentro do Pavilhão Cox em Las Vegas. Muitos na platéia não tomariam seus assentos até bem depois do fim da luta.

No momento em que o segundo round chegou ao fim, Griffin estava uma bagunça sangrenta e era uma maravilha como qualquer um dos homens tinha o suficiente no tanque para sobreviver por mais cinco minutos – mas foi exatamente o que eles fizeram.

O ritmo diminuiu durante o terceiro assalto, mas isso não tornou a luta menos divertida. Cada vez que um lutador procurava acertar um golpe, o outro procurava um contra-ataque. Quando a buzina soou para encerrar a luta, a dupla sangrenta de lutadores ergueu as mãos para a aprovação estridente da multidão.

Quando o resultado da luta foi anunciado, concedendo a vitória a Griffin, Bonnar caiu no chão. O UFC pensou tanto na luta que ofereceu contratos do UFC para os dois lutadores. 

Originalmente, apenas o vencedor ganharia um acordo com a promoção. Caso você não se lembre, essa luta não foi o evento principal, a luta principal foi uma luta leve sucata pesada entre Rich Franklin e Ken Shamrock. Franklin venceu a luta por nocaute técnico no primeiro round. Tanto Griffin quanto Bonnar foram incluídos no Hall da Fama do UFC em 2013.

Avalie o conteúdo

(Foto: Carol Garcia/GOVBA)

Governo da Bahia vai ampliar serviço de reconhecimento facial e de placas para Salvador e mais 77 municípios

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Como incluir pessoas desbancarizadas no varejo?