em

Semana Nacional do Trânsito: confira 5 dicas para a manutenção do carro

Motul listou recomendações para evitar os erros mais comuns e reforçar a segurança na condução

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Texto de Sara Saar

A Semana Nacional do Trânsito, que acontece até o dia 25, tem o objetivo de incentivar o motorista a adotar uma direção mais segura e diminuir os riscos de acidentes. Como forma de apoiar a iniciativa, a Motul – multinacional francesa especializada em lubrificantes e fluidos de alta tecnologia – elencou cinco dicas para realizar a revisão do carro e reforçar a segurança, evitando os erros mais comuns.

“Todo condutor precisa saber que a manutenção preventiva é essencial para prolongar a vida útil do carro e reduzir as chances de falhas mecânicas e acidentes. Por isso, nós listamos cinco dicas para manter a revisão em dia e garantir mais segurança na condução”, afirma Rafael Recio, gerente de produto e suporte técnico da Motul Brasil.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Confira as recomendações:

1- Consulte o manual do proprietário

A primeira recomendação é consultar o manual do proprietário, que possui os detalhes sobre o plano de manutenção do veículo. “Ignorar o manual é um erro bastante fácil de evitar, mas ainda comum. Por se sentirem mais seguros, motoristas mais experientes não costumam dar a devida atenção ao manual, o que pode prejudicar o veículo a longo prazo”, afirma o especialista. 

2- Tenha atenção ao intervalo de troca do óleo

Outra orientação, para evitar danos ao motor, é ter atenção ao intervalo de troca do óleo, essencial para o funcionamento do carro. Para fazer a troca, é preciso considerar a quilometragem rodada e o tempo desde a troca anterior, o que ocorrer primeiro. “Às vezes, mesmo que o veículo não tenha atingido a quilometragem recomendada para a troca, o motorista precisa realizá-la, pois a condição de uso está diretamente relacionada à degradação do lubrificante”, explica. 

A Motul possui amplo portfólio de óleos, com diferentes graus de viscosidade e normas, que aliam alta performance e durabilidade. Para saber qual linha é indicada para o veículo, leia o manual ou acesse o Guia de Aplicação.

3 – Tenha cuidado com os pneus

É fundamental dar atenção às indicações dos pneus referentes aos desgastes, assim como fazer alinhamento e balanceamento para diminuir a possibilidade de desgaste prematuro e aumentar a segurança na condução. 

“Seja por falta de atenção ou por economia, muitos motoristas circulam com carros que estão com pneus desgastados. Quando estão lisos, os pneus perdem a eficiência, sobretudo em situação de pista molhada, e podem causar acidentes”, alerta o engenheiro. 

Também é importante fazer a calibragem regularmente. Com o tempo de uso e por causa das mudanças de temperatura e altitude, os pneus podem ter a pressão interna modificada, o que pode gerar muitos riscos ao condutor, como perda de aderência e mais chances de acidente.

4- Verifique o fluido de freio

O especialista também recomenda verificar regularmente os níveis do fluido de freio e fazer a checagem do conjunto, já que os freios também são vitais para a segurança. O condutor deve consultar o manual do proprietário para saber quando deve fazer a manutenção. “Em geral, as montadoras recomendam a substituição do fluido de freios a cada dois anos, mas esse intervalo pode ser inferior em caso de condições severas de uso”, afirma.

5- Substitua as palhetas do limpador de para-brisa

Lembre-se de fazer a troca das palhetas do limpador de para-brisa, que se desgastam com o passar do tempo, em razão da exposição ao sol e do uso, provocando o ressecamento da borracha. “O vidro pode acabar sendo riscado, de maneira a comprometer a visão do motorista e aumentar o risco de acidente, por isso substitua as palhetas assim que detectar o desgaste da borracha”, orienta o gerente de produto e suporte técnico da Motul Brasil.

(Foto: Divulgação)

Falha no sistema do Ministério da Saúde impede atualização de números da Covid-19 na Bahia

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Maioria dos pets brasileiros foram adotados ou presenteados, aponta pesquisa