A construção sustentável está cada vez mais popular, graças aos seus benefícios para o meio ambiente e para as pessoas que vivem naquele local. Ela permite a restauração e a manutenção da harmonia entre o ambiente e a construção, de forma a reduzir impactos nocivos e criar impactos mais positivos.

A construção civil é um dos setores que causam o maior impacto nos ecossistemas. Do desmatamento ao uso de maquinários e substâncias nocivas, há muito o que se mudar na maneira de construir, para que o meio ambiente não sofra com impactos prejudiciais.

Segundo um levantamento do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, o setor da construção civil é responsável por consumir 20% da água nas cidades, 75% dos recursos naturais e ainda consegue gerar 80 milhões de toneladas de resíduos a cada ano. Com esses números alarmantes, a sustentabilidade deve ser uma prioridade para o setor.

Ou seja, aspectos econômicos, sociais e principalmente ambientais devem ser valorizados em todas as etapas das construções, do planejamento à manutenção. A escolha do terreno, as alterações em seu entorno, a seleção dos materiais e a geração dos resíduos, por exemplo, devem atender a uma eficiência operacional e respeitar a qualidade ambiental.

Uso consciente e adaptações

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Pensando nisso, muitas empresas e especialistas propõem o uso consciente de recursos e adaptações, para que as obras sejam mais sustentáveis. Em um país como o Brasil, em que o sol costuma ser uma constante, os benefícios da energia solar vão muito além de economizar com a conta de luz.

A instalação de painéis fotovoltaicos pode ajudar a suprir as necessidades energéticas dos maquinários e, após a conclusão das obras, pode continuar produzindo energia elétrica para os imóveis, gerando valorização para os proprietários e reduzindo o impacto ambiental do consumo de energia.

O próprio projeto também deve trazer o valor da construção sustentável, com desenhos que privilegiam os recursos naturais, como a iluminação da luz solar para os espaços internos ao longo do dia (algo que se torna possível com janelas maiores, por exemplo) e os cuidados para o conforto térmico e acústico.

Prédios também podem usar sua extensão para a captação de água da chuva, a fim de ser utilizada para a limpeza dos espaços comuns ou para as descargas, promovendo economia de água e gerando maior valorização.