em de

Energia solar irá levar água potável a comunidade indígena no Amazonas

Na cidade amazonense de Maués, por exemplo, cinco comunidades indígenas serão beneficiadas com um sistema de abastecimento de água potável movido a energia solar

Ilustração. Foto: Pixabay

Com uma geração de energia 100% limpa e gratuita, as placas solares são muito utilizadas em projetos de atendimento a comunidades indígenas na Amazônia.

Na cidade amazonense de Maués, por exemplo, cinco comunidades indígenas serão beneficiadas com um sistema de abastecimento de água potável movido a energia solar.

O projeto faz parte do programa de Saneamento integrado de Maués (Prosaimaués), coordenado pelo Governo do Amazonas, por meio da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE).

Serão cinco poços tubulares que atenderão com água potável ao banheiro e as torneiras a serem construídos entre os povoados, além de um sistema de saneamento.

Placas solares fotovoltaicas, as mesmas utilizadas em kits de energia solar residencial, serão as responsáveis por gerar a energia necessária para o sistema de bombeamento da água.

Através da conversão direta da luz do sol em eletricidade, essas placas funcionarão em conjunto com banco de baterias para a utilização da energia também em períodos noturnos.

Impactados pelos períodos de seca, quando os níveis do rio Maués Açu diminuem e interferem no abastecimento e qualidade da água, esses povoados agora poderão ser beneficiados por esse projeto não só social, mas também sustentável.

As comunidades indígenas atendidas, todas da etnia Sateré Mawé, serão a Monte Salém, Novo Belo Horizonte, Terra Nova, Boas Novas e Sagrada Família.

O projeto em Maués, entretanto, não é o primeiro realizado pelo Prosaimaués, que já entregou outros oito poços na região desde 2017, atendendo as comunidades de Santo Anjo, Livramento I, Livramento II, Nova Liberdade, Santa Izabel, Marau Novo, São Benedito e São Pedro.

Segundo o coordenador do UGPE, o projeto irá levar mais qualidade de vida a essas populações indígenas, que poderão contar com água potável e sistema de saneamento, evitando várias doenças decorrentes da falta disso.

PUBLICIDADE

Publicidade

Teste grátis por 14 dias. Se você gostar, assine utilizando o cupom: LC3JQAWPE3XK74E e ganhe 20% de desconto durante 1 ano. Saiba mais em: Conheça o G Suite


*Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Antes de comentar, leia os Termos e Condições de Uso.

Deixe sua opinião

PUBLICIDADE

Loading...
Marcilia Luzbet, Antônia Fontenelle, Danilo Costa e Patricia Maldonado. Foto: Denny Silva e Roberto Assis / RZ Assessoria

Luigi Baricelli, Antônia Fontenelle e Carlinhos Maia são premiados em New York

Américas concentram 37% dos homicídios do planeta. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Por que a taxa de homicídios na América Latina aumentou, na contramão da média global