Categorias
Tecnologia

Criadores de conteúdo adulto: entenda sobre a profissão que mais cresce no mundo

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Em 2016, surgiu a plataforma OnlyFans, serviço de conteúdo por assinatura, mas foi apenas na pandemia, diante da impossibilidade de poder sair para buscar um relacionamento sexual, que os números de criadores e assinantes passaram a aumentar. Com seu crescimento acelerado, a tendência é que o aplicativo se torne ainda mais popular nos próximos anos.

Somente em 2021, o site OnlyFans, passou a acumular mais de 100 milhões de usuários e 1 milhão de criadores de conteúdo. Nos últimos 6 meses, já são mais de meio milhão de criadores cadastrados. A junção do faturamento de todos os criadores da plataforma chega a cerca de 16 bilhões.

Seu crescimento gerou prós e contras para essa profissão, como explica Manuela Ribeiro, uma criadora de conteúdo que, através da popularização da plataforma, passou a perder assinantes. Por outro lado, Jéssica Bittencourt, outra profissional que usa a plataforma, vem ganhando novos assinantes cada dia mais. A diferença entre uma e outra é a forma na qual ambas têm buscado promover seus conteúdos.

“Certamente, com esse crescimento na diversidade de conteúdo, é necessário a criação de fotos e vídeos cada vez mais bem elaborados e instigantes para que possa atrair novos assinantes e manter os atuais, ficando por cima da concorrência”, expõe Pedro Albuquerque, CEO da Santa Caliente.

O especialista explica que apesar do maior número de assinantes, existe também um maior número de criadores de conteúdo, o que acarreta mais concorrentes. “A competitividade aumentou, é preciso saber que tipo de técnica usar para chamar atenção para si e assim, se destacar entre milhões”, finaliza.

*Colaboração de Caroline Silva

Categorias
Tecnologia

5 inovações tecnológicas na odontologia

As inovações tecnológicas vêm evoluindo muito ao longo dos anos, e assim, expandindo para demais áreas, o que inclui a odontologia e odontologia estética. Sem dúvidas, a tecnologia revoluciona o setor, promovendo diagnósticos e tratamentos de ponta.

Acontece, que poucas pessoas sabem quais são os benefícios em apostar nas inovações tecnológicas na odontologia. Pensando nisso, elaboramos esse conteúdo para que você fique por dentro do assunto e principalmente quais seus impactos. 

Se interessou? Então continue a leitura até o final!

O que é o conceito de odontologia digital

De maneira bem simples, o conceito de odontologia digital  significa a aplicação de tecnologias para otimizar tratamentos dentários variados. Assim, fica possível oferecer mais conforto aos pacientes, auxiliando o trabalho do profissional dentista através de sistemas e equipamentos que podem tornar tudo mais rápido e preciso.

Contudo, a odontologia digital elimina etapas manuais de procedimentos odontológicos, fazendo com que os tratamentos oferecidos sejam cada vez mais automatizados.

Transformação digital na odontologia

A transformação digital na odontologia afeta a maneira como os dentistas se relacionam com os seus pacientes. Indo do agendamento até a consulta, com novos meios de acesso aos exames de imagem e a teleodontologia.

Atentar-se a essas transformações é muito importante, pois é necessário acompanhar as evoluções do setor, sempre em busca de oferecer o melhor aos pacientes.

Benefícios da odontologia digital para o paciente

Você deve estar se perguntando, quais os benefícios em apostar na odontologia digital para os pacientes? Bom, além dos tecnológicos softwares odontológicos, as vantagens proporcionadas aos pacientes são incríveis. 

Podendo destacar:

  • Previsibilidade do tratamento;
  • Eliminação de moldes desconfortáveis;
  • Grande precisão;
  • Rapidez do tratamento;
  • Aumento da satisfação dos pacientes.

Aproveite e veja também: Plano odontológico, saiba a importância de ter um para o dia a dia.

(Imagem ilustrativa/Freepik)

5 inovações tecnológicas na odontologia

#1 Teste genético da saúde bucal

Teste genético de saúde bucal serve para identificar as bactérias causadoras das cáries e demais doenças. Um exame tipo Point Of Care, realiza análises rápidas, através de pequenas amostras capazes de identificar não só as cáries mas também doenças periodontais mais sérias.

#2 Escova conectada

Uma escova elétrica tradicional apenas promove vibrações e uma escovação automática. Por outro lado a escova conectada, além dessas funções verifica o tempo de escovação, a qualidade de todos os movimentos e das cerdas, incluindo a durabilidade da escova. 

Essa tecnologia garante uma higiene bucal mais completa e eficiente. A escova é ainda sincronizada com um aplicativo de monitoramento, sendo possível compartilhar todas as informações com o dentista.

#3 Anestesia Eletrônica

Com um equipamento chamado The Wand, é possível aplicar a anestesia de maneira eletrônica minimizando os efeitos colaterais e incômodos causados pelas anestesias locais. Esse equipamento é, ainda, capaz de dosar a quantidade exata de anestésico para cada tipo de procedimento, o que diminui problemas causados pelo uso da substância.

Esse procedimento se tornou importante principalmente para os pacientes que sofrem com a agulha, pois ela é extra-curta e indolor. Não existe efeito colateral e nem contraindicação, podendo ser principalmente utilizada em pacientes especiais ou com fobia de dentista.

#4 Impressão 3D

Muito usada na impressão de próteses laminadas a base de porcelana, conhecidas por facetas e lentes de contato. Com essa inovação o dentista cria um molde da arcada dentária do paciente, e a partir disso são geradas imagens 3D de acordo com o desenho de cada dente. 

Após a impressão, as lentes são aplicadas sobre o dente, deixando-os mais brancos e melhorando questões estéticas.

#5 Cirurgia Guiada

Tecnologia mais procurada pelos implantodontistas, pois permite que sejam realizados procedimentos mais seguros e com altas chances de sucesso. Os softwares de planejamento combinam imagens permitindo um trabalho pelo computador onde o dentista acessa as informações necessárias.

A cirurgia é realizada de forma virtual na fase de planejamento, reduzindo cortes desnecessários. Após o planejamento, a impressora produz um guia cirúrgico e os implantes são instalados na posição planejada em meio digital.

Vale a pena investir na área da odontologia?

Se você quer saber se o setor de odontologia dá dinheiro, saiba que sim, desde que se empenhe para ser um bom profissional. Em média um dentista recém-formado tem um salário que ultrapassa os R$4.000, podendo facilmente chegar aos R$10.000 no auge da carreira.

É indicado que aqueles que estão começando, apostem em franquias odontológicas para se estabilizar no mercado, e fidelizar seus clientes. Assim, fica mais fácil na hora de abrir o próprio consultório. 

Ou também de entender quais são as profissões que trabalham com saúde pública: saiba qual é a ideal para você. Como vimos, as inovações tecnológicas na odontologia melhoram a qualidade dos serviços, garantindo um diferencial competitivo, além de estar melhorando os desempenhos nos procedimentos e garantindo os melhores resultados.

O que achou do conteúdo? 

Então aproveite para ficar por dentro de mais assuntos como este!

*Este conteúdo é de inteira responsabilidade da autora e não representa a opinião do Folha Geral

Categorias
Notícia Tecnologia

Empreendedorismo: criar um site ou focar nas mídias sociais?

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Segundo o levantamento realizado pela Neotrust, empresa responsável pelo monitoramento do e-commerce no Brasil, em 2021 o ganho com as vendas online totalizou mais de R$ 161 bilhões, um crescimento de 26,9% comparado ao ano anterior.

Seja venda pelo site ou redes sociais, o e-commerce brasileiro tem um faturamento enorme, e é uma ótima oportunidade para empreendedores. Porém, sempre há dúvidas sobre qual meio investir, principalmente àquelas pessoas que estão iniciando.

Qual caminho seguir no empreendedorismo online? 

Investir nas redes sociais ou na criação de site depende do seu objetivo, além de vender. Os dois possuem vantagens. Confira:

– Redes sociais: 

São ferramentas gratuitas, e dão mais opções de interação e proximidade com seu público. É possível postar vídeos, fotos, posts escritos, stories, podendo trazer conteúdos sobre o seu serviço ou produto e se posicionar no mercado. 

Desta forma, é possível causar impacto, chamar atenção para o seu perfil e criar um relacionamento com os clientes, fazendo com que eles se engajem na sua marca.

Para aqueles que estão começando no empreendedorismo, essa é uma excelente opção para fidelizar os consumidores e fazer com que sua marca seja conhecida. 

– Site:

Mesmo que as redes sociais tenham um papel fundamental na estratégia de marketing digital para as empresas. O site ainda traz mais autoridade para o negócio, ele é mais personalizável e profissional. 

Com o site você é o proprietário do domínio, possui selos de segurança, certificados SSL, entre outros. Fazendo com que ele seja mais confiável para compras. 

E ainda, é possível que o consumidor encontre diversas informações sobre o seu negócio em um só lugar, com informações mais completas, e permite que ele realize a compra de serviços e produtos a qualquer momento, visto que fica aberto 24 horas por dia. 

Site ou redes sociais: por que não ter os dois? 

Empreender na internet hoje em dia é um dos principais meios para atrair e conquistar clientes. Com as redes sociais e um site você possibilita que as pessoas conheçam o seu trabalho e que elas possam pesquisar os seus produtos e comparar preços. 

Além disso, é possível integrar sua página no site, ou então divulgar o site nas redes, otimizando ainda mais as plataformas em que você está presente. 

Categorias
Tecnologia

Sua senha é segura? Conheça as combinações mais vulneráveis a ataques

Senhas costumam ser a principal barreira de acesso a aparelhos eletrônicos e a contas de e-mail, redes sociais e aplicativos financeiros. Apesar de a escolha por senhas simples ou repetidas para diferentes logins ser mais fácil de memorizar, isso também facilita a ação de terceiros que tentam invadir aparelhos e contas.  

 A sequência 123456 foi a senha mais usada em 2021, segundo levantamento da NordPass realizado em 50 países. No Brasil, uma pesquisa encomendada pelo C6 Bank ao Ipec revelou que 10% dos entrevistados usam sequências numéricas, como 1234, e 12% usam o próprio nome como senha. 

“Senhas devem ser confidenciais e secretas e cuidar delas é uma forma de proteger a privacidade, além de evitar prejuízos financeiros e pessoais”, explica José Luiz Santana, head de cibersegurança do C6 Bank. “As combinações óbvias são as primeiras a serem testadas por criminosos e justamente por isso devem ser evitadas.” 

A inclusão de caracteres especiais, letras e números é recomendada na criação de novos logins, mas a prática nem sempre é seguida pelos usuários. Entre as dez senhas mais utilizadas no mundo, estão sequências, como 12345678, 123123, 111111 e “qwerty” — correspondente às seis primeiras letras do teclado do computador—, e a palavra “password”, que significa “senha” em inglês. Como essas combinações são muito simples e óbvias, é mais fácil para criminosos conseguirem decifrá-las e acessar os dados e contas em um smartphone perdido ou furtado.

Mesmo quem evita repetir senhas ou usa combinações mais difíceis pode estar vulnerável ao decidir enviá-la para um contato ou anotá-la em um bloco de notas. Pesquisa do C6 Bank mostrou que 21% dos entrevistados anotam senhas em blocos de notas e que 25% já compartilharam senhas de banco com familiares e amigos. 

Esse hábito deixa as contas desprotegidas, uma vez que, como esses registros ficam armazenados no aparelho, uma simples busca pela palavra “senha” pode revelar os acessos e permitir invasões caso o celular caia em mãos erradas. 

Por isso, além de evitar usar sequências numéricas e dados pessoais ou de pessoas próximas para criar senhas, também é recomendável não deixar essas informações anotadas e, se possível, evitar o preenchimento automático de senhas em cadastros de sites.  

Para garantir uma proteção adicional, a melhor opção é não ficar dependente apenas das senhas. Quanto mais camadas para acessar aplicativos e informações sensíveis, melhor. Caso um aplicativo permita autenticação em duas etapas, escolha essa opção para dificultar o acesso de terceiros aos seus dados.

*Colaboração de Naiana Oscar

Categorias
Tecnologia

Projeto Livro Digital Conectado permite interatividade inédita em publicações on-line

Imagine a cena: numa aula de matemática, alunos de uma classe acessam, pelo celular, um livro didático digital adotado para aquela disciplina. No final do capítulo, realizam, dentro da própria publicação, exercícios sobre o conteúdo que acabou de ser ensinado. As respostas são automaticamente encaminhadas para uma plataforma, na qual o professor consegue avaliar o desempenho e o desenvolvimento de cada estudante e as questões com maior incidência de erros e acertos, entre outras informações. Os jovens, por sua vez, corrigem a atividade em tempo real e ainda interagem com objetos didáticos no livro.

Essa descrição resume uma das várias possibilidades de aplicação do Livro Digital Conectado, criado pelo Centro de Estudos sobre Tecnologias Web (Ceweb.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). A solução inédita, lançada nesta quarta-feira (6), é baseada em tecnologias web abertas, podendo ser adotada sem qualquer custo por instituições educacionais, ou simplesmente por quem se interessar. 

“O usuário terá à sua disposição uma publicação digital no formato aberto ePub e uma plataforma que recebe os dados originados da interação entre leitor e publicação. Na programação do livro digital, é necessário inserir uma codificação disponível nos arquivos do projeto. Essa mesma codificação estará conectada à plataforma. São apenas dois produtos que garantem a interatividade do livro digital”, explica o especialista em desenvolvimento web do Ceweb.br|NIC.br, Reinaldo Ferraz, um dos idealizadores da solução. Segundo ele, todas as funcionalidades já podem ser utilizadas em alguns e-readers mais modernos disponíveis gratuitamente no mercado.

Na avaliação de Ferraz, o grande mérito do projeto é tirar o leitor da passividade. “Com a solução do Ceweb.br, ele passa a interagir com o livro e este com o leitor. A nossa ideia é fomentar a discussão sobre potencial que o livro digital tem”.

O protótipo do projeto foi feito a partir de um exemplar da iniciativa Um Livro Aberto, que produz de forma colaborativa com professores e pesquisadores obras didáticas de matemática, oferecendo os materiais gratuitamente. “Estamos prevendo uma interação via formulário, com os alunos respondendo perguntas. Com base nisso, o professor vai poder avaliar a evolução do estudante, se ele está assimilando o conteúdo ou não. Isso tudo dentro de uma única plataforma em que o livro está inserido. Essa plataforma pode ainda exportar dados para sistemas tipo Learning Management Systems, de gestão educacional. Nosso objetivo é oferecer à sociedade uma ferramenta inclusiva”, explica Vagner Diniz, gerente do Ceweb.br|NIC.br.

Diniz enfatiza que, além do ambiente escolar, a solução pode ser aplicada em diferentes contextos, de treinamento de empresas – que queiram fazer uma análise de desempenho com base nas respostas dos funcionários a um material específico –, a livros de ficção em que o autor pretenda coletar opiniões dos leitores. Entretanto, ela não está restrita ao uso de formulários para interação. É possível inserir gráficos longitudinais, por exemplo, sobre a evolução da inflação, que são atualizados automaticamente no momento da leitura do texto.

“Temos um potencial de aplicação enorme, cujo limitador será a criatividade”, complementa Reinaldo Ferraz. Para ele, a questão da acessibilidade é outro ponto importante do projeto. “O livro digital começa com a premissa de ser acessível e eliminar barreiras. O leitor poder acessar o livro digital a partir dos mais diversos tipos de dispositivos, como computador, tablet e celular, além de ter a chance de lê-lo em qualquer lugar e de interagir com a publicação. Isso é um ponto para democratização da informação”, ressalta.

Conheça a solução em: https://edupub.ceweb.br/.

Categorias
Tecnologia

Youtubers devem ficar atentos para mudanças de pagamento da plataforma

A partir de março deste ano, o Google AdSense vai alterar a forma de efetuar os pagamentos para os vídeos monetizados da plataforma. Portanto, usuários do Youtube que lucram com o sistema devem estar atentos a uma nova forma de conferir e organizar os ganhos relacionados à rede social.

Para a implementação da nova forma de operar, não será preciso nenhum procedimento por parte dos usuários, pois o Google vai fazer a atualização automaticamente. A empresa afirma que a mudança será realizada gradualmente. Os lucros de usuários que obtêm receita apenas a partir do Youtube, por exemplo, irão para uma nova conta de pagamentos da plataforma, que pode ser acessada na aba “Pagamentos”.

Já para quem gera receita por meio do Google AdSense no Youtube e em outros serviços, os valores gerados pela plataforma de vídeo devem constar em uma conta de pagamentos diferente. Ou seja, eles não serão combinados com outras quantias em uma só conta.

Alterações automáticas

Conforme publicado pelo Google, as alterações não vão afetar os lucros dos usuários. Os limites mínimos de pagamento personalizados ou as formas de pagamento atuais devem ser aplicados de maneira automática.

Além disso, todos os valores recebidos e compensados antes da mudança devem continuar relacionados à conta do usuário para pagamentos do Google AdSense.

Mudanças no conteúdo correspondente

Os blocos de conteúdo correspondente também vão passar por atualizações em março. Eles passarão a exibir somente anúncios e serão chamados de “anúncios multiplex”.

Anteriormente, o conteúdo correspondente era um serviço de recomendação para auxiliar a promoção do material de criadores para os visitantes.

Segundo informações publicadas na página de suporte do Google, a mudança ocorre “devido à diminuição do uso do serviço de promoção de conteúdo, ao feedback positivo dos clientes e aos resultados de desempenho do formato de anúncio de conteúdo correspondente”.

A partir de então, o serviço de promoção de conteúdo será desativado e todos os blocos de conteúdo correspondente serão convertidos para exibir apenas anúncios, inclusive aqueles que têm a opção “Gerar receita com anúncios” desativada.

Como funciona o Google AdSense

Desenvolvida pelo Google, a AdSense é uma ferramenta que permite ao criador e dono de um canal no YouTube, site ou blog gerar receita por meio de anúncios de empresas parceiras, integrando suas ações de marketing estratégico.

A remuneração dos youtubers é feita a partir de conteúdos postados na plataforma, por meio de likes, visualizações e inscrições. Essas ações rendem ganhos, e a monetização é diretamente ligada ao Google AdSense.

O Google remunera o dono dos canais para que eles, em troca, insiram anúncios em seus conteúdos publicados no Youtube. A remuneração é feita também conforme a quantidade de cliques, impressões e outras ações.

O Google AdSense posiciona anúncios de empresas que desejam divulgar as suas marcas por meio digitais nos vídeos do YouTube de usuários cadastrados. A partir daí, a cada visualização ou clique de seguidores no conteúdo publicado, o Google faz o repasse de uma parte do valor para a conta.

*Colaboração de Luiz Affonso

Categorias
Tecnologia

FENAJ lança campanha pela taxação de grandes plataformas digitais

(Foto: Reprodução)

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) lançou uma campanha na qual defende a taxação das grandes plataformas digitais e a criação do Fundo Nacional de Apoio e Fomento ao Jornalismo (Funajor). O objetivo é fortalecer a profissão por meio da implementação de formas de financiamento público para a produção jornalística. A ação conta com o apoio da Federação Internacional dos Jornalistas (IFJ) e da Fundação Friedrich Ebert (FES).

Com o mote “Jornalismo sim. Taxação já!”, a campanha está dividida em três etapas. A primeira, que exalta a importância do jornalismo, foi lançada em dezembro do ano passado. São peças para redes sociais digitais dirigidas à sociedade brasileira, destacando os princípios do jornalismo, como serviço essencial, fiscalização, investigação e defesa da cidadania e da democracia.

Na segunda fase, lançada em janeiro deste ano, as peças tratam da justeza da taxação das chamadas big techs. Além do enorme faturamento desses conglomerados internacionais, essas companhias drenam recursos das empresas de mídia nacionais, contribuindo para o fechamento de veículos e a demissão em massa de jornalistas. A terceira fase tem previsão para ser lançada em março e abordará o projeto do Funajor.

Especificamente, a proposta prevê a tributação de empresas como Google, Apple, Facebook, Amazon e Microsoft, com a criação de uma Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE). Trata-se de um imposto especial que permite sua destinação a determinado fim, neste caso, ao Funajor. A entidade defende que a luta é justa, pois estas grandes organizações possuem receitas bilionárias que não estão sendo taxadas.

A questão já era debatida pela Federação desde o final de 2020, com a criação de um grupo de trabalho (GT), que ouviu especialistas para identificar aspectos da legislação brasileira que fundamentassem a elaboração deste projeto.

Em 2021, a FENAJ realizou dez seminários regionais sobre o tema, sendo cinco com a categoria e cinco com entidades do ramo da Comunicação, momento em que recebeu sugestões que foram incorporadas aos projetos iniciais.

Mais recentemente, a proposta foi abordada e aprovada por unanimidade no 39º Congresso Nacional dos Jornalistas, realizado em setembro do ano passado, de forma virtual.

*Com informações da FENAJ

Categorias
Tecnologia

7 dicas para uma navegação segura na internet

Só no Brasil 152 milhões de pessoas têm acesso à internet, o que representa 81% dos lares, segundo dados do Cetic.br (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação). Pensando nisso e tendo como pano de fundo o Dia da Internet Segura celebrado em 8 de fevereiro, a ZENVIA, plataforma que empodera as empresas para criarem experiências únicas de comunicação para seus clientes finais, lista sete cuidados para proteger seus dados. As dicas são de Lilian Lima, CTO da empresa. 

1. Atualização de softwares e aplicativos

Pode parecer algo sem muita importância, mas não realizar as atualizações periódicas recomendadas para sistemas, softwares e aplicativos pode significar a abertura das portas para o acesso aos dados armazenados. Isso porque ao rodar uma atualização, são verificados e corrigidos todos os pontos de vulnerabilidade, reforçando a segurança. Por isso, pense bem antes de apertar o botão de não para uma atualização confiável da próxima vez.

2. Senhas

Antes de criar uma senha, faça a seguinte pergunta: eu seria capaz de descobri-la facilmente com acesso a poucos documentos e buscas em redes sociais, por exemplo? Caso a resposta seja sim, é o caso de buscar uma outra alternativa.

Um bom caminho é fugir completamente das combinações óbvias, como sequência de números (123456, por exemplo), nome, data de aniversário ou dia do casamento. Esses são dados que podem ser encontrados facilmente.

Aposte em combinações que façam sentido somente para você, com letras (maiúsculas e minúsculas), números e caracteres especiais, se possível. Também, não repita senhas e as atualize frequentemente. E se for difícil memorizá-la, conte com um programa confiável de gestão de senhas, que utilize criptografia de dados.

3. Downloads e anexos

Ao receber um arquivo que necessite de download, tanto no celular quanto no computador, é preciso ter certeza da origem. Segure a curiosidade – que não é boa amiga nessas horas – e faça perguntas como: “conheço o remetente?”, “essa pessoa me mandaria isto?” e, para adicionar uma camada de segurança, pergunte à pessoa se ela realmente fez o envio. Com base nas respostas, você deve ser capaz de avaliar se é um conteúdo confiável. Ainda assim, observe se o antivírus e o firewall estão instalados e devidamente atualizados. O mesmo vale para anexos. 

4. Verificação em duas etapas e acessos

Uma segurança extra que é importante ter é o hábito de utilizar, quando possível, a verificação em duas etapas (2FA), em que você pode se logar para ver seu e-mail, por exemplo, mas antes de o acesso ser liberado, receber uma chave ou um pedido de confirmação no seu celular. Assim, você coloca um nível a mais de segurança e consegue descobrir se alguém está tentando acessar seus dados sem autorização e, então, tomar as ações necessárias (como trocar a senha, por exemplo).

Já para as empresas vale, além desse cuidado, ter assertividade quanto a liberação de acessos. Os níveis mínimos de acesso para a execução do trabalho tendem a funcionar muito bem.

5. Redundância com backups periódicos

Em termos de TI, a palavra redundância indica a duplicação de componentes críticos, que aumentam a confiabilidade e a segurança de um sistema. Tais componentes são geralmente relacionados a dados, como os backups. Ou seja, tenha o hábito de ter uma cópia de todos os seus dados críticos em um outro local. E garanta que essa cópia seja feita rotineiramente, em um intervalo de tempo adequado ao seu perfil.

6. Proteção contra vírus

Um bom antivírus instalado é o básico para manter suas informações em segurança, pois é eficaz na detecção de ameaças virtuais. Mas um cuidado é fundamental para que o software continue desempenhando o seu papel: fazer as atualizações recomendadas.

7. Análise de vulnerabilidade e proatividade

Quando se fala em segurança, é importante ter uma postura proativa. Isso quer dizer: analisar constantemente as vulnerabilidades em todos os seus ambientes –  seja por meio de software, equipe ou com um parceiro confiável – com sugestões de reparos que precisem ser realizados. Isso vai gerar maior proteção, sem dúvida.

*Conteúdo colaborativo de Zenvia

Categorias
Tecnologia

Seis filmes para quem quer seguir carreira na área de TI

O CEO da Certsys, companhia especialista em inovação e Transformação Digital, Stiverson Palma, indica seis filmes que não podem faltar no repertório de conhecimento para quem quer empreender e iniciar a carreira no setor de TI.

O executivo escolheu as obras que mais tem a ver com o propósito atual de um dos setores da economia que mais crescerá em 2022: gerar impacto na sociedade como um todo.  De acordo com levantamento do LinkedIn, os cargos de engenheiro e cientista de dados, bem como especialista em segurança cibernética, estão entre os 25 empregos em alta para o ano.

“São filmes para engajar o futuro profissional da área, além de mostrar como a tecnologia é um atemporal ativo social da mudança. É uma ótima maneira para turbinar o conhecimento e, quem sabe, até mesmo usar como referências para entrevistas de emprego”, aconselha Palma, que atua há 20 anos no mercado de inovação tecnológica.

Vamos às dicas:

1 – Piratas da Informática – (1999)

Imagina os primeiros passos de dois gigantes do mundo da computação? No filme “Piratas da Informática” é possível ter essa ideia. O longa retrata o início e todo o apogeu das brilhantes jornadas visionárias de Bill Gates e Steve Jobs, ainda quando estudantes universitários. Ambos, mudaram o jeito de encarar a informática, criando sistemas tão simples e abrangentes, para trabalhar, viver e se comunicar. Uma injeção de ânimo para seguir em frete e, ao mesmo, tempo, ter uma visão de como é a regra do jogo no mercado de tecnologia. Disponível apenas em DVD.

2 – Jobs – 2013

Se você quer conhecer a trajetória do fundador da Apple além do recorte proposto em “Piratas da Informática”, esse é o filme ideal. Em Jobs, a maioria dos takes nos ensina sobre a importância de persistir, revolucionar, engajar e, sobretudo, acreditar. Tudo isso com doses cavalares de sangue frio do famoso Steve Jobs. Toda e qualquer pessoa que queira, ou pensa, em empreender no mercado de TI deve assistir a esta cinebiografia para entender os desenhos da profissão. Disponível em plataformas digitais.

3 – Jogo da Imitação – (2015)

Cinebiografia do matemático britânico Alan Turin, considerado o pai da computação moderna. Com uma fotografia de encher os olhos, o filme conta a intensa corrida de Turing e sua equipe no projeto Ultra, criado para decifrar os códigos de guerra nazistas. Um exemplo ilustrativo que alia história com conhecimento técnico. Disponível na Amazon Prime.

4 – O Quinto Poder – (2013)

Vazamento de dados, influência, e, claro, os perigos do poder são retratados nesta obra baseada em fatos reais, que tem como personagens principais o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, e seu colega Daniel Domscheit-Berg. Da fundação do website até a dissolução da parceria, o filme nos mostra que a dobradinha “amigos e poder à exaustão” às vezes pode gerar rupturas por toda a vida corporativa e (por que não?!) na vida social. Daqueles filmes para sempre lembrar da velha máxima “Amigos, amigos, negócios à parte”. Disponível em plataformas digitais.

5 – “Moneyball: O homem que mudou o jogo” – (2011)

Quer saber como sonhos, planos e conquistas muitas vezes acontecem por caminhos “tortos”, que não estavam dentro do nosso planejado? Então assista “Moneyball: O homem que mudou o jogo”, filme que conta a história de Billy Beane, gerente do time de baseball Oakland Athletics. Com pouca verba, mas com muita vontade de vencer, Beane criou sofisticadas e eficazes estratégias se valendo da análise estatística de um cientista de dados, que resultaram numa equipe vencedora e referência em vencer na adversidade. Um dos títulos mais bacanas para quem quer ensinamentos práticos sobre a arte de empreender. Assisti-lo é uma transformação!

6 – Fome de Poder – (2016)

É o típico filme que você não sai imune depois de assisti-lo. Ou você vai gostar ou vou vai odiar o Ray Kroc (personagem de Michael Keaton). Seja qual sentimento for, este blockbuster tem que estar na sua coleção de conhecimento cinematográfico. A quebra de paradigmas causadas por Kroc gerou uma série de revoluções em automação do serviço de alimentação, treinamento de vendas compartilhados e novas maneiras de fazer publicidade. Tudo isso fez dele o criador de um dos principais impérios do consumo da atualidade. Para quem tem apetite não só por hambúrgueres, mas por táticas e estratégias de gestão. Disponível em plataformas digitais.

*Com colaboração de Raphael Mathias

Categorias
Tecnologia

5 aplicativos que as crianças adoram hoje e que os pais precisam estar atentos

A internet tem muitas ferramentas úteis, além de ótimas oportunidades de lazer e diversão. E, uma das formas mais fáceis de ter acesso a isso é através de um celular. Quem tem um smartphone sabe que há uma infinidade de sites e aplicativos que podem ser acessados, baixados e utilizados. Mas, nem todos são completamente seguros para crianças e adolescentes.

Acompanhe.

1 –  Omegle

Se você ainda não conhece o Omegle, deveria conhecer. Pois, há uma boa chance do seu filho gostar desse site. Principalmente, se ele for um adolescente que gosta de bate-papo online.

Afinal, esse é um site de chat em vídeo, mas que também permite a troca de mensagens de texto, entenda mais sobre o omegle neste texto.

O grande perigo do Omegle para crianças e adolescentes é que ele conecta você de forma automática a outro usuário aleatório. 

Basta entrar no site e com alguns cliques, você está em uma chamada de vídeo com um estranho de qualquer lugar do mundo.

Aliás, esse é justamente o objetivo principal do site, oferecer uma plataforma para bate papo online em vídeo com pessoas aleatórias. Tudo com base em interesses comuns.

2 – Aplicativos que as crianças adoram hoje e que os pais precisam estar atentos: Tik Tok

A rede social TiK ToK é destinada a criação e compartilhamento de vídeos curtos.

E desde que surgiu se tornou muito popular devido ao programa de bônus ou moedas.

Um sistema que recompensa os usuários em dinheiro para assistir vídeos na plataforma.

Independente disso, o TiK ToK também é muito popular entre crianças e adolescentes.

Muitos produzem e postam conteúdos por lá com frequência.  TiK ToK cresceu tanto que impulsionou vários outros aplicativos de download de videos do tiktok.

Com um bilhão de downloads em todo o mundo, a rede social é divertida.

Porém, também é um ambiente onde as pessoas ficam vulneráveis a conteúdo impróprio. E também ao Cyberbulling.

Portanto, é um dos aplicativos que as crianças adoram hoje e que os pais precisam estar atentos.

3 – Snapchat

O Snapchat também é um dos aplicativos que as crianças adoram hoje e que os pais precisam estar atentos.

Esse app e site permite fazer fotos e vídeos temporários. Ou seja, depois de um determinado período de tempo, o conteúdo some.

Devido a facilidade de uso, e interação com outros usuários, o app se tornou muito popular.

Embora novas redes sociais tenham surgido, o Snapchat ainda segue firme e forte, principalmente entre crianças e adolescentes.

O principal risco aqui envolve a exposição a conteúdo impróprio, como pornografia.

E a possibilidade das próprias crianças e adolescentes compartilharem fotos e vídeos íntimos. 

4 – Aplicativos que as crianças adoram hoje e que os pais precisam estar atentos:  WeChat

No WeChat você envia mensagens instantâneas a outros usuários.

Porém, também é possível conversar por chamadas de áudio e vídeo, enviar arquivos e até fazer pagamentos.

Isso porque esse aplicativo funciona de forma similar ao WhatsApp.

Na China, país onde foi lançado, é um dos aplicativos mais populares. Mas, também podem ser facilmente baixados no Brasil.

Esse também é um dos aplicativos que as crianças adoram hoje e que os pais precisam estar atentos.

Já que é muito popular entre crianças e adolescentes.

5 – ChatRandon

O ChatRandon é mais um dos aplicativos que as crianças adoram hoje e que os pais precisam estar atentos.

Afinal, a maioria das crianças e adolescentes adora um bate papo. E esse site funciona de forma similar ao Omegle.

Então, aqui seu filho também pode ser exposto a conteúdo impróprio e até a pessoas mal intencionadas.

Concluindo

Quando estamos online ou usando qualquer aplicativo precisamos sempre nos lembrar dos riscos que a internet possui. É importante se preocupar com questões como privacidade, conteúdo impróprio e segurança das nossas informações.

Portanto, fique de olho no que seu filho faz online. E, caso ele use algum dos aplicativos e sites da lista, é recomendado monitorar o uso.

Aproveite e veja também: Por que algumas crianças dentro do espectro autista têm dificuldades na hora de comer?

Você já conhecia esses aplicativos que as crianças adoram hoje e que os pais precisam estar atentos? Comente!

Categorias
Tecnologia

Como o Blockchain ajuda as pequenas e médias empresas?

Mesmo representando boa parte de toda movimentação financeira do país, é fácil encontrar desvantagens que dificultam a entrada de novos mercados. No entanto, o blockchain é uma tecnologia muito conhecida por validar transações realizadas através das moedas virtuais bitcoins.

Vivemos na era tecnológica então, precisamos de um pouco mais de blockchain. Você empresário, que tal acompanhar esse artigo e saber tudo?

Boa leitura!

O que é blockchain?

O blockchain nada mais é do que um sistema onde é permitido rastrear envios e recebimentos de informações via internet.

De uma forma simples, são pedaços de códigos gerados de maneira online que carregam informações conectadas.

Esses códigos atuam como blocos de dados que formam uma corrente, a técnica deu nome ao blockchain.

O termo surgiu com a junção do universo tecnológico e as finanças, ganhando atenção de todo mundo em um curto espaço de tempo.

Por ser uma novidade, complexo e por envolver dinheiro, acaba gerando muitas dúvidas.

Contudo, o sistema permite o funcionamento e transação das criptomoedas, ou moedas digitais.

Blockchain e privacidade de dados: qual a relação

A relação do blockchain e privacidade de dados poderá gerar transações e guardar registros.

E esse é um cenário que exige atenção. Principalmente porque metade das PMEs já sofreu vazamento de dados.

Assim a Lei Geral de Proteção de Dados consegue garantir  retornos positivos aos beneficiários finais.

Uma coisa é certa, o blockchain ainda é uma tecnologia nova e as suas funcionalidades e privacidade devem ser estudadas por mais tempo.

Acompanhá-las  e se preparar para as mudanças é uma maneira de estar à frente na adequação das normas de proteção de dados pessoais e privacidade.

Impacto do blockchain para pequenas e médias empresas

O blockchain traz impactos positivos para o mercado financeiro das pequenas e médias empresas.

O foco é que essa estratégia seja cada vez mais importante e conquiste espaço dentro das operações financeiras.

A sua principal vantagem é a adoção do modelo ponto-a-ponto (peer-to-peer).

Alguns impactos merecem destaque, são eles:

  • Diminuição dos custos com segurança e infraestrutura;
  • Aumento da produtividade;
  • Geração de novos serviços e modelos de negócio;
  • Aumento do potencial de atendimento;
  • Transparência dos processos e das informações.

Espera-se que a tecnologia cresça cada vez mais e se espalhe em diversos segmentos.

Proporcionando, assim, evolução no desempenho operacional, segurança de dados e inteligência de negócios.

Aplicações do blockchain nas empresas

Como falamos, o blockchain é uma estrutura de dados segura.

Desse modo, a solução vem sendo aplicada em diversas áreas, seja no setor financeiro ou não.

As principais aplicações do blockchain nas empresas são:

  • Moedas digitais: moedas digitais usam da estrutura do blockchain para controlar as transações online;
  • Propriedade intelectual: empresas já usam tecnologia para garantir propriedade intelectual de obras digitais e conteúdos;
  • Seguros: o setor de seguros vem operando cada vez mais de forma online, aqui, o blockchain atua como um autenticador de apólices, e sinistros;
  • Varejo: estruturas de dados estão sendo utilizadas para mapear toda a cadeia de suprimentos varejista que usam a inteligência artificial.

Como implementar o blockchain em pequenas e médias empresas

Mesmo com tantos benefícios, é de extrema importância utilizar a tecnologia de forma alinhada com as necessidades e demandas do seu negócio. 

Antes de implementar a tecnologia blockchain em pequenas e médias empresas, será preciso identificar qual a sua aplicação mais relevante e que irá impactar nos lucros da sua empresa.

É preciso de muito conhecimento, então, quando a empresa recorre a um especialista, essa implementação se torna mais segura.

Listamos alguns passos essenciais para que dê tudo certo ao implantá-lo.

  • Modelo de negócio: explore possibilidades e tenha uma visão geral da sua empresa;
  • Oportunidades: estude as tendências e faça um levantamento de soluções e oportunidades;
  • Escolha do modelo blockchain: faça a escolha de acordo com as sua necessidades, sempre priorizando a segurança das transações e o retorno sobre o investimento;
  • Testes funcionais: é o momento de testar todas as oportunidades escolhidas e avaliar os resultados. Se preciso, realize ajustes e comece a rodar o projeto com segurança.

Vantagens do blockchain para as PMEs:

Apostar no blockchain promove vantagens competitivas ao negócio, além disso, é preciso romper barreiras.

Empresas, principalmente do setor financeiro, já estão investindo nessa estratégia e aproveitando as suas vantagens.

#1 Amplia as formas de pagamento

Quanto mais formas de pagamento o seu cliente puder escolher, menores serão as chances de cancelamento, o que certamente reduz o risco de fraudes e inadimplência.

#2 Retira intermediários

Intermediários são todos aqueles que atuam na distribuição e venda da sua empresa.

É necessário cada vez mais atenção para esse cargo, com o blockchain eles serão retirados e tudo fluirá de maneira eficaz.

#3 Melhora as campanhas de marketing

Essas campanhas servem para fazer toda a estratégia de prospecção, vendas e fidelização.

Quando realizada de forma adequada auxilia o time de vendas e promove uma automação de marketing.

De fato, as técnicas oferecidas pelo blockchain podem liberar novas possibilidades nas operações e finanças de muitos setores da sua empresa.

Categorias
Tecnologia

4 tecnologias que ainda são usadas e você não sabia

Novidades tecnológicas surgem a cada dia. Falamos agora em metaverso, em Internet das Coisas, em 5G e em realidade virtual. Vemos o dinheiro físico sumir e até os cardápios dos restaurantes serem trocados por versões em QR Code. Pesquisadores e cientistas trabalham constantemente para tornar a vida mais fácil, prática e divertida. Uma criança de hoje provavelmente não reconhece muitos objetos que eram parte das nossas rotinas há dez ou vinte anos atrás.

Ainda assim, algumas tecnologias resistem ao tempo. Mesmo com a evolução de tudo para o universo digital, há formas analógicas de fazer as coisas que continuam com grande serventia. Seja por necessidade, seja por nostalgia, coisas que parecem perdidas no passado ainda fazem parte das rotinas de uma grande quantidade de pessoas.

Você pode não saber, mas o número de tecnologias supostamente obsoletas ainda usadas é enorme. Conheça algumas das mais úteis:

(Imagem ilustrativa/Pixabay)

Fotografia analógica

A facilidade proporcionada pela fotografia digital é enorme: pequenos aparelhos fazem um enorme número de cliques, é possível ver o resultado na mesma hora, refazer o que não ficou bom e armazenar todo tipo de lembranças no smartphone e no computador. Essa é a tecnologia preferida pela maioria das pessoas.

Mas a fotografia analógica, aquela com filme que precisa ser revelado, tem um charme imbatível. Nem fotógrafos profissionais, nem amadores que têm esse arte como hobby abrem mão dela. O aspecto da imagem é único e ainda inimitável pela tecnologia.

DVDs e BluRays

Todos os filmes, séries e shows estão a um clique dos nossos computadores e aparelhos de TV. As plataformas de streaming geraram uma completa revolução na maneira que consumimos mídias audiovisuais.

Os BluRays e DVDs, porém, ainda mantêm uma boa porcentagem de vendas. Como explicam os editores do portal BluRay Hunt, especializado em dicas para colecionadores, o principal motivo é que muitas pessoas, seja por serem fanáticas por determinados gêneros ou simplesmente por nostalgia, possuem ainda grandes coleções de tais mídias físicas.

HD externo

Por que usar um HD externo em tempos de nuvem? Quem ainda se importa com armazenar seus conteúdos em uma grande mídia física, que ocupa espaço na gaveta ou no armário, com tanta facilidade online?

Muitas pessoas ainda não confiam totalmente na nuvem e preferem ter seus arquivos mais importantes em casa, desconectados da internet. Além disso, os SSDs, evolução dos HDs, não são tão duráveis fora de uso. Mas não se esqueça que esses hardwares tão úteis não são infinitos e precisam de manutenção!

Fax

É estranho pensar que houve uma época, não muito tempo atrás, que o fax era a forma mais rápida de enviar mensagens em situações administrativas. Antes da disseminação da internet, era assim que as informações importantes eram enviadas dentro das empresas.

O que pouca gente sabe é que o fax ainda é bastante usado. Muitas empresas, sobretudo governamentais ou que lidam com assuntos supostamente secretos, acreditam que essa é uma das maneiras mais seguras para o envio de texto. Claro que a tecnologia se atualizou, permitindo até a conversão imediata dos arquivos em PDF, mas isso não significa que o princípio não é o mesmo.

Categorias
Tecnologia

Descubra a força do roteador “quebra parede”

O sentido literal dado ao roteador de “quebra parede”, recai no conceito popular de um aparelho que tem alcance por metros de distância além do normal. Dessa forma, esses roteadores conseguem abarcar uma grande área devido esse alcance, ultrapassando até mesmo as barreiras físicas, quais sejam, as paredes, daí o nome: Roteador quebra parede. Ademais, além dessa vantagem de envio de sinal, eles emitem sinal em boa qualidade atendendo a necessidade de quem possui um aparelho como esse.

Mas antes de adentrarmos nesse tema em específico questiono a você leitor: Qual a diferença entre o funcionamento de um roteador e o Wi-fi? Muitas pessoas não conseguem distinguir, afinal o Wi-fi é o que escutamos diariamente, mas esse se trata de uma abreviação “Wireless Fidelity” ou seja, é um padrão que foi criado para que conexões de redes locais sem fio fossem permitidas. Assim, é uma forma tecnológica de haver comunicação sem utilizar cabos, sendo transmitidas por meio de infravermelhos, frequências de rádio e entre outros. Por outro lado, o roteador é o aparelho que recebe os sinais, decodificando e os emitindo por meio de uma ou mais antenas dentro de um determinado raio de ação que irá variar conforme o equipamento utilizado, daí a importância de possuir um aparelho de boa procedência para atuar conforme a necessidade do usuário, afinal o Wi-fi busca cada vez mais novos padrões para atingir as velocidades cada vez mais altas e para isso é preciso que ambos mecanismos estejam sintonizados.

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Qual o roteador que se adequa melhor a minha necessidade?

Bem, para obter essa resposta é preciso observar alguns pontos para que sua necessidade e expectativa sejam atendidas. De todo modo, acima foram citados alguns desses, mas não custa reforçar, vejamos.

É preciso delimitar a utilização do roteador e principalmente quantos dispositivos serão conectados à rede que será ofertada, caso o desejo de navegação a internet seja único, não será necessária uma tecnologia tão avançada.

 Atente-se também ao tamanho do produto, bem como ao local que ele será instalado, daí a grande vantagem de um aparelho capaz de quebrar as barreiras físicas, como é o caso do SP52A um roteador da Unee, uma marca conceituada perante o mercado tecnológico, possui esse modelo de roteador com a capacidade de literalmente quebrar paredes, pois conta com 1 entrada WAN (isto é, entrada de longa distância) e com 4 antenas externas, vencendo as barreiras físicas sem problemas fazendo com que o usuário navegue em qualquer lugar do ambiente que este se encontra de forma rápida e eficiente.

Principais vantagens do modelo SP52A Unee

 Um roteador que segue o contexto tecnológico atual, o AC Wireless SP52A possui uma conectividade gigabit, oferecendo uam velocidade 10X mais rápida que uma conexão Ethernet padrão, além de oferecer sinal Wi-Fi de alta velocidade com até 1200Mps. Além disso, a sua configuração é simples, rápida e intuitiva, pois possui um aplicativo exclusivo com um sistema que melhora a qualidade de conexão seja em ambiente residencial, empresas de pequeno e médio porte ou escritórios.

Além de ser uma excelente opção entre os melhores roteadores para quem tem internet com uma velocidade que ele suporta, o seu valor é acessível, tornando o modelo desejado por diversos consumidores.

Portanto, essas foram algumas sugestões para quem procura um roteador de qualidade, principalmente se o eu interesse é por um roteador “quebra paredes”. Confira essa e outras sugestões no catálogo da loja Celeti e escolha o que mais se encaixa as necessidades de rede da sua casa ou comércio!

Categorias
Tecnologia

Qual é o impacto da LGPD nos escritórios de contabilidade?

Escritórios de contabilidade são conhecidos por armazenarem informações importantes sobre seus clientes. Dados sobre contabilidade, notas fiscais e toda a parte financeira do cliente passam pelo contador.

De antemão, os escritórios estão buscando maneiras de estarem sempre ligados às mudanças importantes que esse segmento enfrenta, como por exemplo no cenário da venda consultiva na contabilidade.

É necessário armazenar de forma adequada todas as documentações ligadas aos clientes. Investir em segurança de dados pode ser um meio para a proteção desses documentos.

5 dicas para segurança online em 2021.

O que é LGPD? 

A Lei Geral de Proteção de Dados, conhecida como LGPD ou ainda Lei nº 13.709, é uma legislação brasileira responsável por estabelecer regras sobre a proteção de dados pessoais. Sejam eles, colaboradores, empresas terceirizadas, fornecedores ou clientes, o objetivo principal é aumentar a proteção privativa de todos os envolvidos controlando suas informações.

A LGPD é destinada para pessoas físicas que tratam dados de teor pessoal, acadêmicos, artistas ou jornalistas, ou qualquer situação em que as informações precisam ser anônimas, que é o caso de segurança pública ou estatal, defesa nacional e ainda investigações criminais. Contudo, é determinado em lei que todos os dados pessoais, sejam eles, nome, gênero, estado civil, salário e documentos em geral só podem ser coletados se autorizados pelo dono.

Em agosto de 2018 foi sancionada a LGPD, sendo aprovada pelo presidente da república em 2019, através da Autoridade Nacional de Proteção de Dados -ANPD, que é responsável por garantir todo o cumprimento da lei que entrou em vigor em agosto de 2020.

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Como a LGPD impacta nos escritórios de contabilidade?

Os impactos em escritórios acabam sendo diretos, uma vez que as empresas armazenam informações importantes sobre seus clientes. Entretanto, é preciso adotar mudanças para garantir que a lei de proteção de dados seja cumprida da maneira correta.

Para alinhar a empresa dentro das normas, é possível utilizar exemplos de OKR, essa ferramenta ajuda na mobilização de toda empresa buscando a eficácia na resolução dos problemas. O não cumprimento das definições da LGPD, podem impactar em graves consequências para os escritórios de contabilidade.

12º Seminário de Proteção à Privacidade e aos Dados Pessoais acontece nesta semana

A Lei determina multas com valores significativos que podem ser de 2% sobre todo o faturamento anual, chegando a R$50 milhões por cada infração. Em casos mais graves pode ser gerado multas diárias onde a soma ultrapassa o valor limite. Comunicados e advertências também são utilizados a fim de garantir que as práticas estão sendo seguidas.

Além da LGPD os escritórios de contabilidade podem adotar a ISO 27001, que também garante a segurança de todas as informações. A ISO 27001, é reconhecida por apresentar métodos determinados para a eliminação dos riscos, através de um plano de ação e monitoramentos adequados para um sistema eficiente, se tornando uma segurança complementar junto à LGPD.

Como preparar os escritórios de contabilidade com a LGPD 

É possível que ainda existam dúvidas de como preparar os escritórios com a LGPD. Dica de sistemas, gestão e equipes. Dentro da capacitação dos profissionais, estão apostando no currículo lattes. Essa ferramenta, é considerada essencial para estudantes e pesquisadores brasileiros.

Através da plataforma lattes é possível narrar experiências científicas e pesquisas, compartilhando com outros especialistas e estando sempre por dentro de todas as inovações. Algumas dicas podem ser importantes quanto à preparação com a LGPD.

Mapeie e prepare os dados

Antes de mais nada é preciso mapear os dados armazenados na empresa. Identifique as bases legais para o seu negócio e não se esqueça de revisar a Lei.

Defina um encarregado de dados

De acordo com a Lei, a empresa precisa nomear um encarregado para controlar os dados entre os titulares e a ANDP.

Crie um programa de privacidade de dados

Esse programa deve também atender aos termos previstos em lei:

Cronograma de retenção de dados;

Política de segurança, privacidade, classificação e retenção dos dados;

Código de conduta;

Aviso de privacidade e treinamentos contínuos em privacidade.

Desenvolva a governança de dados

Crie procedimentos que emitam respostas em forma de notificações para casos de violação ou registro dos dados. Durante o processo de adequação, busque seguir essas medidas da forma mais correta possível.

Só assim o escritório de contabilidade estará preparado para seguir as definições da LGPD, priorizando a proteção e a gestão de dados.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais. 

Categorias
Tecnologia

12º Seminário de Proteção à Privacidade e aos Dados Pessoais acontece nesta semana

Considerado o mais importante sobre o tema no País, o 12º Seminário de Proteção à Privacidade e aos Dados Pessoais, organizado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) terá início amanhã, 9 de novembro. Com a participação de especialistas de renome nacional e internacional, o Seminário terá painéis sobre questões práticas, entre elas o Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais e outras metodologias de análise de risco, uma discussão fundamental para aqueles que trabalham diretamente com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Como nas edições anteriores, o encontro manterá o modelo multissetorial, com convidados da comunidade científica e tecnológica, do governo, do terceiro setor e de empresas. Inscreva-se em: https://seminarioprivacidade.cgi.br/.

Além da solenidade de abertura, que contará com a presença de Bia Barbosa, do CGI.br; Marina Feferbaum, do Centro de Ensino e Pesquisa em Inovação da FGV Direito SP (CEPI FGV Direito SP); Luiz Costa do Ministério Público Federal; Demi Getschko do NIC.br, e de Flávio Rech Wagner, da ISOC Brasil, o Seminário terá oito painéis de discussão e quatro oradores principais. Estão entre os nomes confirmados Bertrand de La Chapelle, diretor executivo e co-fundador da Internet & Jurisdiction Policy Network; Judith Rauhofer, da organização Digital Freedom Fund; Miriam Wimmer, diretora na Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD); e Danilo Doneda, especialista e representante da Câmara dos Deputados no Conselho Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade (CNPD). A programação completa está disponível em: https://seminarioprivacidade.cgi.br/#programacao.

“O Seminário é um importante espaço para que especialistas e o público em geral possam trocar conhecimento, debater e construir diretrizes para a privacidade e proteção de dados no Brasil”, destaca Demi Getschko diretor-presidente do NIC.br, adiantando que a 12ª edição trará reflexões importantes sobre o primeiro ano de vigência da LGPD. 

(Imagem ilustrativa/Freepik)

A partir da vigência da LGPD iniciou-se uma nova trajetória da privacidade e proteção de dados no país, acarretando a necessidade da conscientização de toda a sociedade sobre a importância dos dados pessoais e da privacidade, comenta Bia Barbosa, membro do CGI.br.

A exemplo do que ocorreu em 2020, o evento será no formato on-line, com transmissão pelo canal do NIC.br no YouTube. A inscrição é gratuita, inclui certificado de participação e pode ser feita no endereço: https://seminarioprivacidade.cgi.br/. Aos inscritos será enviada, ainda, uma relação de publicações disponíveis gratuitamente na Internet, que contribuirão para o aprofundamento nos assuntos que serão discutidos no Seminário.

Anote na Agenda

12º Seminário de Proteção à Privacidade e aos Dados Pessoais
Datas: de 9 a 12 de novembro de 2021
Inscrições gratuitas e programação: https://seminarioprivacidade.cgi.br/
Endereço da transmissão on-linehttps://www.youtube.com/NICbrvideos

Categorias
Tecnologia

Quais são as maiores vulnerabilidades da cibersegurança na indústria?

Investir em cibersegurança na indústria 4.0, vem se tornando necessário e exige que as demandas sejam atendidas com agilidade e soluções inovadoras.

Estamos em uma era com constante transformação digital, onde a Quarta Revolução Industrial, ou simplesmente Indústria 4.0 engloba um enorme sistema de tecnologia altamente avançada, como por exemplo, a inteligência artificial.

Você deve está se perguntando. E agora? Acompanhe o artigo e entenda!

O que é Indústria 4.0?

Indústria 4.0 é um conceito de automação industrial onde existe a junção de tecnologias com inteligência artificial. Em suma, utiliza conceitos de sistemas ciber-físicos, internet das coisas e ainda computação em nuvem. O foco principal é melhorar a produtividade entre os processos.

O termo 4.0 é utilizado para dar nome ao que existe de mais moderno, como: big data, internet das coisas, inteligência artificial e machine learning. Devido ao avanço tecnológico, gestores de diversas empresas inclusive de materiais de construção estão acompanhando a modernização das coisas.
 

A quarta revolução industrial já pode ser encontrada no mercado e promete elevar lucros. Pode-se dizer que a indústria, trata-se de uma realidade onde a tecnologia industrial segue melhorando na inteligência e precisão das coisas.

(Imagem ilustrativa/Freepik)

O que é cibersegurança na Indústria 4.0?

A cibersegurança é um termo que denomina procedimentos ligados à segurança digital, protegendo sobre práticas proibidas e danos a redes e aparelhos eletrônicos. Quando associada à indústria 4.0, ela evolui e investe em meios de controle e segurança mais aprimorados.
 

É como inserir um mecanismo de proteção virtual, onde a cibersegurança atua na proteção de todos os dados e processos. 

Evolução de ciberataques na Indústria 4.0

Os avanços digitais vêm acontecendo de forma rápida, e com isso ataques cibernéticos estão cada vez mais comuns. Visando diminuir risco ou prejuízos e aumentar a segurança dos dados, a cibersegurança se tornou prioridade.

Na indústria 4.0, os sistemas estão cada vez mais conectados e com isso precisam de respostas ágeis. Ou seja, as mudanças e evoluções  são constantes, a ideia é garantir soluções que acompanhem a modernização e que protejam os dados das empresas.

Como ocorrem as ciberataques nas redes industriais

As empresas estão aderindo cada vez mais às manutenções preventivas, com foco em garantir a segurança de dados dentro das indústrias. Mesmo aquelas que são adeptas a softwares de última geração necessitam de cuidados.

A indústria é um setor que se tornou alvo dos tipos de golpes, podendo ser financeiros, espionagem digital ou sabotagem. Um vírus pode ser implantado e se tornar uma ameaça sendo disseminado rapidamente, entrando em redes operacionais e danificando sistemas.

Os ciberataques, tem como objetivo principal parar de forma intencional todo o sistema. Essas inovações provocam prejuízos milionários e faz com que a empresa fique exposta a riscos. É fundamental que os dados sejam bem protegidos, afinal uma simples alteração, pode danificar todo o sistema de produção

Maiores vulnerabilidades da cibersegurança na Indústria 4.0

Entender as ameaças e saber como agir ou ainda se prevenir é uma maneira de evitar problemas. A interrupção das operações é a característica que diferencia a cibersegurança nas indústrias.

Os conhecidos malwares, que são códigos maliciosos são os principais vilões dentro da cibersegurança, eles podem prejudicar o sistema causando danos e limitações, em casos mais sérios, o roubo de informações.

Portanto, é necessário investir em segurança, evitando assim que o sistema fique vulnerável e impacte negativamente nas operações, atrasando os processos industriais.

Como aprimorar a cibersegurança na Indústria 4.0

Perante a tantos ataques cibernéticos, as indústrias precisam se importar mais com a necessidade da cibersegurança e transformação digital, principalmente com a chegada da indústria 4.0. As empresas não podem mais ficar vulneráveis a ataques.
 

É indicado que os empresários busquem e utilizem a cibersegurança junto às mais avançadas ferramentas tecnológicas. A primeira medida a ser tomada é adotar políticas internas, orientando toda a equipe sobre as novas medidas de segurança.
 

Após é preciso a utilização de ferramentas tecnológicas que promovem a cibersegurança. Ademais, limite os conceitos para funcionários específicos, dados organizados e protegidos evita que erros sejam cometidos.

Como podemos ver, a cibersegurança na indústria 4.0 precisa ser estudada por todos empreendedores que englobam esse nicho, assim, garantindo eficiência durante a utilização dos avanços tecnológicos.

Sair da versão mobile