Um corpo bem cuidado vai muito além da estética. Seja homem ou mulher, o segredo para uma boa saúde está nos detalhes, nos cuidados básicos que, muitas vezes, não damos a devida importância. A higienização dos órgãos genitais é um exemplo de precaução que é negligenciada, sobretudo, pelos homens.

A limpeza íntima precária é, inclusive, um dos motivos pelos quais milhares de pacientes do sexo masculino são vítimas de infecções por fungos e bactérias. Ou, no pior dos casos, câncer de pênis. Sim, é isso mesmo! Como mostrarei neste artigo, a falta de higiene do pênis é o principal fator de risco para o surgimento da doença. Mas, felizmente, é possível evitá-la com alguns cuidados básicos.

Quer saber quais são? Então, acompanhe-me na leitura deste conteúdo e veja quais as precauções tomar para evitar esse e outros problemas com o seu melhor amigo. Um exemplo desses problemas é a doença de Peyronie, que pode trazer problemas maiores para o órgão masculino

O que a falta de higiene no pênis pode causar?

A praticidade com que os homens utilizam os banheiros costuma ser motivo de inveja para muitas mulheres. Afinal, basta balançar o pênis para retirar o excesso de urina e pronto. No entanto, não é bem assim. Os cuidados com a higiene do pênis vão muito além disso, embora poucos adotem à sua rotina.

A verdade é que os bons hábitos de limpeza com o órgão sexual masculino só proporcionam benefícios à saúde. Mas, em contrapartida, a sua precariedade pode trazer consequências para o seu bem-estar, como mostrarei abaixo:

Infecções e inflamações

A sujeira acumulada na glande favorece o surgimento de bactérias e fungos, que podem provocar infecções e inflamações. Por isso, na hora do banho, o ideal é retirar o prepúcio e lavar em volta da glande com sabonete, além de retirar toda a secreção branca que fica acumulada na região, chamada de esmegma.

Balanite

A falta de higiene do pênis também pode causar balanite, uma infecção que ocorre na glande ou no prepúcio (nesse caso, ela recebe o nome de balanopostite). Os principais sintomas são: coceira, dor, vermelhidão, corrimento amarelado ou ardência. 

Importante ressaltar que, além da limpeza precária na região peniana, essa doença pode ser resultante de uma alergia provocada pelo uso de medicamentos ou produtos de higiene que possuam substâncias tóxicas a determinados tipos de pele. Por esse motivo, lembre-se de sempre consultar a bula, o pH ou os ingredientes usados na produção dos sabonetes, shampoos ou cremes que você usa diariamente. 

Câncer de pênis

Outra consequência da má higienização do pênis e, talvez a mais grave, é o câncer de pênis. Nesse caso, a doença pode ser causada pela inflamação do tecido, que provoca a quebra de barreiras da pele e facilita a entrada de patógenos nas camadas mais profundas do órgão.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), embora seja raro, ela representa cerca de 2% de todos os tipos de cânceres que atingem os homens no Brasil. Não à toa, entre 2016 e 2020, 10.265 brasileiros foram diagnosticados com a doença, o que coloca o Brasil entre os cinco países com os maiores números de ocorrências. 

Assim, acredita-se que muitos desses casos poderiam ser evitados se houvesse uma higienização adequada do órgão genital por parte dos homens, com água e sabonete.

Higiene do pênis: cuidados necessários

Como expliquei acima, a secagem do pênis após urinar é apenas um dos cuidados necessários para mantê-lo limpo e saudável. A rotina requer outros hábitos, simples, mas eficazes, que devem ser adotados hoje mesmo, caso ainda não os façam.

1. Lave as mãos antes de usar o banheiro

Ainda novinhos, aprendemos que, após usar o banheiro, é necessário lavar as mãos para evitar doenças. Mas, o que poucos homens sabem, é que essa prática também deve ser realizada antes de usá-lo, ou melhor, antes de tocar no pênis.  

Ao tocar nas partes íntimas com as mãos sujas, aumentam as chances de contaminação da mucosa ou da pele da região peniana, contribuindo para o acúmulo de germes que, em razão do calor e da umidade, podem proliferar e provocar outros problemas com o seu “amigão”. 

2. Higienize o pênis após urinar

Infelizmente, a maioria dos homens não tem o hábito de limpar o órgão genital corretamente após urinar. Quando restos de urina ficam na glande e se espalham na cueca, os riscos de inflamações ou infecções por fungo no local são ainda maiores. Assim, o ideal é higienizá-lo com papel higiênico ou, se possível, lavá-lo imediatamente, sem se esquecer de secá-lo. 

3. Lave-o bem durante o banho

Limpar o órgão genital corretamente não significa apenas molhá-lo ou passar água e sabonete nele todo. A higienização do pênis requer um cuidado também com a parte interna. Por isso, durante o banho, puxe o prepúcio e passe bastante água com espuma sobre a superfície da mucosa, até que todo o esmegma acumulado seja retirado. 

Repita esse mesmo processo após as relações sexuais. O asseio ajuda a remover o lubrificante do preservativo que se mistura ao sêmen, reduzindo a probabilidade de infecção e a proliferação de fungos, como a candidíase. 

4. Dê atenção aos testículos

Outra etapa fundamental da higiene íntima masculina é limpar a base do pênis, os testículos e o ânus. O suor, junto aos restos de urina, podem produzir um cheiro forte, tão desagradável quanto das axilas, além de causar coceira e outros incômodos.

5. Troque de cueca a cada banho e lave-as bem antes de usá-las

As peças íntimas também merecem atenção especial. Assim, troque de cueca a cada banho e higienize-a bem antes de vesti-la. Use-a apenas se estiver totalmente enxaguada e seca. Além disso, opte por peças confortáveis, confeccionadas com tecidos naturais. Os sintéticos, nesse caso, não são recomendados, pois, provocam o abafamento da região e aumentam a umidade do local. 

Agora que você já sabe como deve ser a higiene do pênis, eu te pergunto: você está tomando todos os cuidados necessários? Caso não esteja, deixe de lado os possíveis tabus relacionados ao tema e procure auxílio de um urologista para obter orientações mais detalhadas. Conte sempre comigo!

De todo modo, nunca é tarde para aprender como se cuidar, não é mesmo?

Aurora

Colaboradora do Folha Geral. O conteúdo é de inteira responsabilidade da autora e não expressa a opinião do Folha Geral