em

Além de mais sabor, frutas e verduras da estação têm mais nutrientes

Os vegetais aproveitam melhor os nutrientes do solo e do clima quando estão a seu favor, o que reflete na biodisponibilidade nas refeições

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Por Danielle Sanches, da Agência Einstein

Comprar frutas e verduras em qualquer época do ano costumava ser exceção. Tanto que, antes, era mais fácil identificar as temporadas “certas” dos itens. Hoje, a facilidade em encontrar morangos no verão ou melancias em épocas mais frias é maior, mas há diversas vantagens em priorizar os produtos sazonais, de acordo com os nutricionistas.

“Esses alimentos apresentam-se mais bonitos e frescos por serem cultivados e colhidos em ambiente e temperatura adequados, além de serem mais saborosos”, explica Fabiana Rasteiro, nutricionista sênior do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

As características ambientais ideais também diminuem a quantidade de agrotóxicos utilizados, já que as plantações estão mais adaptadas às condições por estarem em seu ciclo natural de crescimento. Essa facilidade no cultivo, além de beneficiar o meio ambiente e a saúde, também tem impacto financeiro, pois os produtos são vendidos a preços mais acessíveis.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Além do sabor

O consumo de alimentos de época também tem outra vantagem para a saúde: eles costumam apresentar maior densidade nutricional do que aqueles cultivados fora da temporada correta. Uma pesquisa conduzida nos Estados Unidos em 2008 constatou que os brócolis cultivados na época natural (geralmente no outono/inverno) continham mais vitamina C do que a versão cultivada na primavera/verão. Os resultados do estudo foram publicados no periódico científico International Journal of Food Science and Nutrition.

“Os vegetais aproveitam melhor os nutrientes do solo e do clima quando estes estão a seu favor, o que acaba refletindo na biodisponibilidade dos nutrientes”, detalha Rasteiro. Outra explicação é que, para permitir que esses vegetais estejam disponíveis fora de época, a agricultura também usa tratamentos pós-colheita que podem acelerar a degradação dos nutrientes, reduzindo a disponibilidade na hora do consumo.

Como comprar?

Centros de distribuição e de abastecimento, como o CEAGESP, em São Paulo, costumam divulgar informativos a respeito dos alimentos que estão em época e que estão sendo comercializados a preços mais acessíveis. Outra opção é frequentar as feiras livres e perguntar aos comerciantes quais são os vegetais mais frescos daquela semana.

Destaques de março

Para o mês de março, a nutricionista Fabiana Rasteiro indica as seguintes frutas e hortaliças:

Frutas: abacate, acerola, ameixa estrangeira, banana nanica, carambola, caqui, figo, goiaba, laranja pera, maçã gala, maracujá azedo, nectarina estrangeira, pera nacional, pêssego estrangeiro, pitaia, seriguela, tangerina cravo e uva estrangeira. Hortaliças: acelga, alface, almeirão, catalonha, chicória, escarola, cebolinha, coentro, salsa, salsão, radicchio (endívia), repolho verde e roxo, rúcula, abobrinha d’água, nabo, pimenta vermelha, pepino caipira, quiabo, rabanete, berinjela japonesa, moyashi (conhecido como broto de feijão), chuchu e batata doce.

(Foto: Sesab)

Bahia tem 2.182 casos ativos de Covid-19; 10 óbitos são registrados

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Fimose é comum à maioria dos homens e nem sempre requer cirurgia; entenda