em

Como o exercício físico ajuda a manter a memória aguçada

Atividades físicas também trazem benefícios neurológicos, conforme apontam diversos estudos científicos

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Os benefícios das atividades físicas já são bastante conhecidos. Afinal, muitas pessoas relatam uma melhora significativa na qualidade de vida após começarem uma rotina de exercícios apropriada, indicando um melhor condicionamento físico e o desaparecimento de sintomas como fadiga ou até mesmo depressão.

Além dos benefícios relacionados ao corpo e à parte física mais visível, os exercícios também são muito importantes para preservar ou conquistar a saúde neurológica. Seja para prevenir doenças no sistema nervoso ou para diminuir sintomas e sequelas de alguns problemas, diversos estudos apontam que a prática contínua de exercícios ajuda a estimular também o cérebro e as atividades cerebrais.

O ser humano está acostumado a se movimentar, pois historicamente foi essa a prática que permitiu sua sobrevivência, praticando atividades como corrida, escalada, caça, entre outras. Pesquisas indicam que, do ponto de vista evolutivo, o movimento está associado com o desenvolvimento do córtex pré-frontal, uma área do cérebro que está ligada tanto ao raciocínio, quanto ao pensamento.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Por isso, ao se exercitar com frequência, uma pessoa se torna capaz de aprender melhor e lembrar mais facilmente aquilo que foi aprendido. Com isso, também é possível aumentar o nível de motivação, criatividade e atenção. As atividades físicas também melhoram o humor, ajudando a controlar a ansiedade e afastando sintomas depressivos.

De exercícios para peito a uma aula de spinning, tudo isso pode ser benéfico para trazer resultados a médio e longo prazo para a saúde cerebral.

Isso porque, ao ativar as áreas cerebrais associadas a planejamento, aprendizado e memória, além de trabalhar com a prevenção, estimula a neuroplasticidade – a capacidade do cérebro de se regenerar após uma lesão. As atividades também aumentam a liberação de neurotransmissores, como dopamina, serotonina e noradrenalina, que aumentam a sensação de prazer e satisfação, além de ajudar a ter hábitos mais saudáveis para todo o organismo.

Promovendo o relaxamento e diminuindo o estresse, as atividades físicas garantem que as características de um cérebro jovem continuem preservadas, combatendo o envelhecimento cerebral, que está ligado a esquecimento, irritabilidade e outros hábitos prejudiciais, tanto ao organismo, quanto ao bem-estar do ser humano.

Portanto, seja para manter seu cérebro sempre jovem ou para auxiliar na sua busca por hábitos mais saudáveis, os exercícios físicos são essenciais para quem deseja cuidar também da saúde mental e emocional.

*Este conteúdo foi publicado por um colaborador Publicar

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Como as práticas ESG nas empresas impactam no mundo

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Como será a retomada do turismo pós-pandemia?