em

Conheça as fases da dependência química

Apesar de ser uma doença incurável, é possível encontrar um tratamento para dependente químico

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Uma das principais características da dependência química, está associada à progressão, por esse motivo é extremamente importante falar sobre as fases da dependência química.

Apesar de ser uma doença incurável, é possível encontrar um tratamento para dependente químico para que os efeitos da dependência química sejam minimizados.

Desde o primeiro uso, a doença vai se instalando de forma gradual e cresce de forma progressiva conforme o crescimento da frequência de uso das substâncias químicas.

Depois de instalada no organismo, a doença torna-se cognitiva, tornando o dependente completamente obcecado pela substância, o impossibilitando de tomar decisões corretas e fazendo com que ele perca o controle sobre o vício, nesses casos, o ideal é que o dependente químico seja encaminhado para uma clínica de recuperação e reabilitação.

Conheça as fases da dependência química e entenda como isso acontece:

Primeira fase: fase experimental

A primeira fase da dependência é o momento em que o indivíduo começa a experimentar o uso social, acontece quando a pessoa começa a despertar interesse pelo uso de substâncias químicas.

Durante os primeiros usos, é comum a sensação de adrenalina e o bem-estar momentâneo, as primeiras experiências são cheias de positividade e bons momentos, o que traz a falsa sensação de que sempre será assim.

Segunda fase: fase da manifestação da dependência

Nessa fase a pessoa ainda não possui dependência da substância, mas o organismo já precisa de doses mais altas para que o efeito inicial de bem-estar e adrenalina sejam atingidos, o que faz com que o indivíduo ingira grandes quantidades.

Após o aumento da frequência e da quantidade de substância, é possível perceber os primeiros sinais da dependência, como a falta de memória, o afastamento do convívio social e principalmente as alterações de comportamento, que refletem na vida pessoal e profissional.

Terceira fase: fase da dependência total

A terceira fase é o momento em que o usuário torna-se dependente fisicamente e emocionalmente da substância. O organismo passa a necessitar da ingestão das substâncias químicas para que a sensação de abstinência seja evitada.

É o momento em que o isolamento e o afastamento tornam-se mais frequentes, somados por grandes alterações de comportamento e humor, além da presença frequente de alucinações, delírios e graves problemas emocionais.

A dependência reflete no relacionamento em todas as esferas, e é possível notar todos os sinais. O ideal é que o dependente seja encaminhado a uma clínica de internação, dessa forma os profissionais especializados poderão tomar as providências necessárias para diminuir os efeitos causados.

*Este conteúdo é uma colaboração especial para o Folha Geral

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Fazer uma pós-graduação EAD é mais fácil que presencial?

(Imagem ilustrativa/Freepik)

O que fazer quando o dependente químico não quer se tratar?