em

Descubra como os músculos se regeneram após os exercícios

Pesquisa da Universidade de São Paulo revela dados surpreendentes sobre a regeneração dos músculos para quem busca hipertrofia muscular

Estudiosos da USP (Universidade de São Paulo) fizeram uma importante descoberta, que pode auxiliar no tratamento de quem sofre com perda muscular e também para os atletas que desejam manter o corpo definido com uma rotina de exercícios.

Segundo dados divulgados pelos pesquisadores, o fator mais importante para a regeneração dos músculos após um exercício físico aeróbico é a mudança no consumo de oxigênio em suas células satélite, um tipo de célula-tronco que está no tecido muscular. A partir dessa descoberta, o tratamento de doenças ou da perda muscular pela idade pode ser ainda mais aperfeiçoado.

No caso de pessoas adultas, as células satélite ajudam a regenerar e preservar o tecido muscular durante toda a vida, seja para treinos de hipertrofia ou no caso de lesões e outros ferimentos no corpo.

Em pesquisas anteriores, já era possível perceber que os exercícios com sobrecarga eram capazes de aumentar o número de células satélite. Ou seja, atividades como a musculação faziam com que os indivíduos tivessem uma quantidade maior desses tipos de células.

Porém, a descoberta ajuda a entender o funcionamento dos treinos aeróbicos, que até então eram mais associados com o aprimoramento da capacidade muscular. Com isso, os pesquisadores também apontam que será possível aprimorar a dieta para hipertrofia.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Alterações metabólicas

O grupo de pesquisadores da USP conseguiu observar que as atividades aeróbicas conseguem expandir as células satélite, desvendando quais são as alterações metabólicas que estão por trás desse fenômeno.

Phablo Sávio Abreu Teixeira, que foi o responsável pelo desenvolvimento da pesquisa, também destaca que há uma redução no consumo de oxigênio. Esta foi a primeira vez que uma pesquisa conseguiu observar a influência do exercício aeróbico no metabolismo das mitocôndrias das células, podendo relacionar com o fenômeno da regeneração muscular.

Metodologia do estudo

A pesquisa foi realizada no Instituto de Química da USP e teve como supervisora a professora Alicia Kowaltowski, que tem estudado as mitocôndrias desde os anos 1990. Além disso, Kowaltowski integra o Centro de Pesquisa de Processos Redox em Biomedicina (Redoxoma).

O estudo foi feito com a utilização de pequenos animais, como camundongos, que passaram por experimentos monitorados pelo grupo. Os resultados foram publicados no Journal of Cachexia, Sarcopenia and Muscle, sendo considerados muito importantes para auxiliar no processo de regeneração do músculo.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Foto: Divulgação)

Sistema e-Fiscalização vai intensificar cobrança do ICMS com base em cruzamento de dados

(Imagem ilustrativa/Freepik)

5 hábitos para fazer do seu cartão de crédito um ótimo aliado