em

Uso contínuo do álcool gel exige cuidados com a hidratação

Produto é um grande aliado na luta contra o Covid-19 e deve ser usado frequentemente. Para evitar o ressecamento que pode causar na pele das mãos, é recomendado o uso de hidratantes apropriados

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Desde 31 de dezembro de 2019, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu o primeiro alerta do novo Coronavírus, o Covid-19 se alastrou e o mundo vem travando uma intensa batalha para detê-lo. Entre as recomendações médicas, estão: evitar contato físico, etiqueta respiratória, não compartilhar objetos de uso pessoal, manter os ambientes ventilados, não frequentar locais com aglomerações e higienizar bem as mãos com água e sabão ou álcool gel.

“Esse é um problema grave para a saúde pública do Brasil. Vemos os números aumentarem diariamente, mas manter-se calmo e informar-se corretamente são os recursos importantes para lidar com a doença neste momento”, afirma o dermatologista André Piancastelli (CRM: 29915 – MG). Assim como o Ministério da Saúde, a Sociedade Brasileira de Dermatologia, da qual Piancastelli faz parte, indica utilizar álcool gel na impossibilidade de lavar as mãos com água corrente e sabonete.

O álcool gel recomendado é o 70% medicinal, que é apropriado para a pele e diminui o tempo de vida do vírus para um minuto, em até 70% dos casos. Devido a sua alta sobrevivência em superfícies – nas de metal, vidro e plástico é de nove dias -, o cuidado com a higiene das mãos torna-se fundamental para evitar contaminações.

“Graças a eficácia e praticidade de uso, o álcool gel é um grande aliado na luta contra o Covid-19. É importante usá-lo continuamente, mas com atenção ao ressecamento que pode causar na pele”, completa o Dr. André.

O uso frequente do produto compromete a camada de gordura e reduz a umidade natural da pele. Além disso, lavar as mãos continuamente pode causar o ressecamento, pois, o excesso de água retira o NMF, sigla em inglês para fator de hidratação natural. Esse importante fator é solúvel em água e é fundamental para a descamação normal da pele. As mãos, então, ficam com sensação de ressecamento, aspereza e aspecto descamativo. O ressecamento também compromete a função de barreira da pele, contribuindo para o surgimento de dermatites e outras patologias. Para contornar esse ponto, a Sociedade Brasileira de Dermatologia indica a aplicação de cremes e loções hidratantes de três a quatro vezes ao dia, sempre após o álcool gel evaporar por completo das mãos.

Ao escolher o hidratante, é importante considerar o tipo de pele para que o efeito seja o desejado. A linha Cetaphil conta com produtos específicos e que podem evitar o ressecamento das mãos.

(Imagem: Divulgação)
(Imagem: Divulgação)
(Imagem: Divulgação)
(Imagem: Divulgação)

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Foto: Divulgação)

Bahia registra 3.140 casos de Covid-19 e 117 óbitos

(Imagem: Anna de Oliveira/Secom Ilhéus)

Governo do Estado anuncia implantação de 110 novos leitos de UTI para Covid-19 no sul da Bahia