em

Brasileiro relata desespero com passagem do super tufão Mangkhut pela China

O empresário brasileiro Rodrigo Luis, que mora em Shenzhen, na China, desde 2005, relatou o desespero vivido com a passagem do supertufão Mangkhut pela cidade neste fim de semana.

“O momento mais crítico aconteceu às 14h30 do domingo (16), quando os ventos passaram de 200 km/h derrubando árvores e estraçalhando vidros das casas e edifícios. Moro no 22º andar e senti meu prédio balançar. Colocaram barricadas para que as pessoas não pudessem sair dos prédios e ir para as ruas. Foi, sem dúvida nenhuma, o pior dia da minha vida”, conta o sócio-diretor da Winpoint Technology, empresa que ele criou em 2009 em Shenzhen.

Antes da cidade em que mora o brasileiro, o supertufão Mangkhut (nome em tailandês da fruta mangostão) deixou dezenas de mortos nas Filipinas e provocou destruição em Hong Kong, Macau e Cantão.

O ciclone tropical é considerado o mais forte a atingir a região neste ano, com força equivalente à categoria 5 dos furacões do Atlântico. Por isto a Administração Meteorológica da China emitiu um alerta de tempestade vermelha neste domingo (16), o mais alto em um sistema de alerta de quatro níveis.

Como não poderia deixar de ser, serviços em aeroportos, estações de trens e metrô, ônibus, táxi, escolas e creches foram suspensos em Shenzhen. De acordo com o Centro de Emergência da cidade muitas pessoas ficaram feridas.

Confira abaixo as dicas de segurança da Sede Provincial de Guangdong para Controle de Inundações, Secas e Tufões:

  1. Monitore notícias locais e ajuste sua programação previamente. Evite ir para áreas afetadas pelo tufão, especialmente áreas costeiras. Não pegue nenhum barco de passeio.
  2. Mantenha longe de áreas perigosas, incluindo praias, áreas montanhosas, margens de rios e garagens.

  3. Proteja-se em edifícios sólidos e seguros antes de o tufão chegar e evite ir ao ar livre. As pessoas que vivem em prédios desatualizados e perigosos, prédios de fábricas, casas com painéis de ferro e casas de trabalhadores temporários devem se mudar para áreas mais seguras. Não se refugie do vento e da chuva sob construções inseguras, como barreiras temporárias, outdoors e torres de rádio. Evite dirigir veículos em áreas com vento forte.

  4. Verifique se portas, janelas, unidades externas de aparelhos de ar condicionado, aquecedores solares de água, etc, estão seguros e protegidos. Se não, proteja-os para garantir a segurança.

  5. Cuidado com inundações e outros perigos geológicos. Residentes que moram perto de montanhas e rios devem evacuar previamente para áreas mais seguras.

  6. Cuide da sua vida e nunca subestime o poder destrutivo dos tufões. Fique de olho nas advertências oficiais emitidas pelos departamentos relevantes, como o departamento de inundação, controle de secas e tufões, observatório meteorológico, administração oceânica e escritórios hidrográficos.


Comunicar erro






Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

Almirzinho Serra. Foto: Carpe Dien / Divulgação

Sambista Almirzinho Serra agita festa de 14 anos de grupo de motociclistas roqueiros

Algodão. Foto: Abapa

Vazio sanitário do algodão no oeste da Bahia tem início na próxima quinta-feira (20)