em

20 de abril de 2018: A Lei de sharia impera

Chicotadas morais à prostitutas e a pessoas que tem demonstrações de afeto em público ainda são permitidas na Indonésia

Foto: AFP
20 de abril de 2018: A Lei de sharia impera
Foto: AFP

O mundo evolui a olhos vistos. A cada dia descobrimos novas tecnologias e formas de comunicação mais velozes e que aproximam cada vez mais pessoas no mundo todo. Podemos ir a Oslo, Pequim ou Colômbia. Para isso basta pegar nossos celulares.

Mas nem toda esta tecnologia e conhecimento serve para frear tradições de redenção milenares em alguns lugares do mundo. Indonésia é um desses lugares.

Vivendo sob as rígidas leis Islâmicas a Província de Banda Aceh ainda pratica castigos públicos à prostitutas, casais que tem gestos de afeto em público (beijos e abraços) e anúncios de venda de sexo na internet sob o véu da Lei de Sharia.

20 de abril de 2018: A Lei de sharia impera
Foto: AFP

Ao todo foram oito pessoas no flagelo. Cinco mulheres e três homens punidos pela Lei de Sharia em praça pública em frente a Mesquita de Banda Aceh capital da província no extremo norte da ilha de Sumatra. Ao som de palmas, vaias e celulares em riste das centenas de pessoas que assistiam ao castigo, incluindo dezenas de turistas da vizinha Malásia, aos oito condenados que recebiam o castigo em silêncio.

Além dos favores sexuais, carinhos em público e ofertas de serviço na rede. Beber em publico, manter relações homossexuais ou praticar jogos de azar estão entre as coisas proibidas nesta província de constituição secular do país muçulmano mais populoso do mundo.

Em 2001 Aceh obteve junto ao governo central da Indonésia em Jacarta a liberação para aplicar as punições conforme a Lei Islâmica através do Estatuto de Autonomia.
Esta lei intitulada Lei de Sharia foi cedida a província em meio a tentativa do governo em apaziguar o movimento separatista que tomava forma na região de extremos conservadores. E é rigidamente fiscalizada.

Movimentos de defesa as mulheres e diretos humanos vem ao longo dos anos tentando derrubar a lei. Contudo Sharia ser aplicada em Aceh serve de orgulho e exemplo para as outras regiões. Delegados de áreas que adotam a forma conservadora do islamismo visitam a região constantemente para fiscalizar a aplicação da lei.

Existe até a Policia de Sharia que nos dias ensolarados e nas noites quentes do arquipélago perambulam em meio a orda de turistas em sua maioria alheios aos a
acontecimentos por hotéis, restaurantes, praias ruas e vielas em busca de atividades imorais.

Banda Aceh e uma das províncias mais pobres da Indonésia. A guerra que existia até 2005 quando a Lei de Sharia foi adotada deixou marcas profundas. Fato que foi ainda mais agravado com o tsunami que afetou o Oceano Indico e deixou 230 mil mortos. Quase 20% da sua população o vive abaixo da linha da pobreza.

Recentemente o governo local anunciou que os castigos públicos deixariam de existir e seriam praticados somente dentro das prisões. Mas esta lei ainda não entrou em vigor.

Banda Aceh foi a porta de entrada do Islamismo vindo da Arabia Saudita.

20 de abril de 2018: A Lei de sharia impera
Foto: AFP

Por Mia Vargas

Publicista, colunista, assessora de Imprensa e curiosa sobre a Vida!




Sugerido por MGID

Loading...



Lilian Gonçalves, Carla Fiori, Alexandre Garzoti

Tais Lima comemorou seu aniversário e a estreia do programa “Boa noite Galerinha” da SotTV

Celso Luiz Tracco

A escorchante e injusta carga tributária brasileira