em de

A Lua está virada ao contrário do outro lado do planeta

Quando viajamos pelo mundo para o hemisfério oposto, as estações do ano são todas ao contrário. E parece que a Lua Cheia não escapa desse fenômeno

Ilustração. Foto: Pixabay

Não só é incrivelmente estranho, como a peculiaridade curiosa do nosso planeta redondo também tem implicações surpreendentes para os cientistas que tentam investigar o céu noturno.

“Do nosso ponto de vista, a Lua e o céu noturno estão realmente virados 180 graus em comparação com nossos amigos do hemisfério norte”, explicou Jake Clark, astrônomo da Universidade de Southern Queensland, na Austrália. “No sul, vemos o mar escuro da Lua ‘Oceanus Procellarum’ no canto sudeste comparado com o canto noroeste de um observador do norte.”

Esse fenômeno acontece porque, fisicamente, estamos de “cabeça para baixo” em comparação com alguém que está no hemisfério oposto.

Isso também se estende à lua crescente – dependendo de onde se está no mundo, se terá rotações diferentes do crescente. “Da próxima vez que estiver planejando uma viagem de férias para um país perto do Equador durante uma lua crescente, parecerá uma cara sorridente”, explica Clark.

E não é apenas a Lua que está propensa a mudar de orientação. Todas as estrelas estarão ao contrário. “Depende de onde estiver localizado na Terra, mas geralmente as constelações que vemos no hemisfério sul são viradas novamente em 180 graus em comparação com o hemisfério norte”, diz Clark.

Mas isso não é perfeito. A constelação Cruzeiro do Sul, por exemplo, é visível praticamente o ano todo no Hemisfério Sul, mas no Hemisfério Norte é sorte ter uma breve observação do conjunto de estrelas.

O que significa tudo isso para os astrônomos? Para Clark e Horner, não muito – eles procuram exoplanetas medindo minúsculas mudanças na cor ou intensidade da luz das estrelas. Mas se as estrelas que querem estudar não podem ser vistas no seu lado do mundo, pode ser um pouco complicado.

“Isso dificulta a astronomia se for um astrônomo norte-hemisférico querendo trabalhar com uma estrela do sul, que nunca verá de casa”, explica Clark.

Há uma boa razão pela qual existem tantos telescópios em todo o mundo – e até alguns no espaço. “Nós, astrônomos, temos telescópios de classe mundial espalhados por todo o globo – do Monte Mauna Kea, no Havaí, ao Monte Kent, em Queensland, tentando desvendar os maiores mistérios do Universo, não importando em que hemisfério se esteja.”

Ciberia // ZAP

Ciberia

Conteúdo fornecido por Ciberia.com.br
Informações: info@ciberia.com.br

Deixe sua opinião

(Brasília - DF, 08/01/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro durante reunião do Conselho de Governo. Foto: Alan Santos/PR

Bolsonaro confirma revogação da adesão ao Pacto Global para Migração

Gizelle Maritan

Mamãe sensual!! Gizelle Maritan faz ensaio ousado 1 ano após a gestação