em

Estudantes protagonizam projetos artísticos e culturais no Espaço Educar para Transformar da FLICA 2018

Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira
Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira
Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira

O imponente casarão em estilo colonial, da Fundação Hansen Bahia, localizado na rua 13 de maio, em Cachoeira (118 km de Salvador) é o endereço, até domingo (14), de estudantes da rede estadual que estão apresentando suas criações artísticas e culturais em distintas linguagens (Literatura, Artes Visuais, Arte Patrimonial, Música, Dança e Audiovisual), durante a Festa Literária Internacional de Cachoeira 2018 (FLICA). No local, foi aberto o Espaço Educar para Transformar, nesta quinta-feira (11), onde diversas atividades programadas pela Secretaria da Educação do Estado serão realizadas nos quatros dias da FLICA, incluindo saraus, encontros literários, lançamento de livros e até apresentações sobre o uso de ferramentas tecnológicas no processo de ensino e aprendizagem.

O secretário Walter Pinheiro destaca que a festa literária é uma oportunidade para que os estudantes possam mostrar seus talentos. “Este é um espaço importante, uma vez que nestes quatro dias Cachoeira recebe visitantes de toda parte do mundo. Além de ter acesso a muitos conteúdos, os estudantes se tornam protagonistas apresentando seus projetos e criações, demonstrando seus múltiplos talentos para uma plateia diversificada. Por isso, a Secretaria preparou uma programação extensa e diversificada”, destacou.

Mais de 100 estudantes protagonizam os projetos Tempos de Arte Literária (TAL), Artes Visuais Estudantis (AVE), Festival Anual da Canção Estudantil (FACE), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Escolas Culturais e e-Nova Educação. Eles são de escolas estaduais da capital e de cidades do interior como Candeias, Saubara, Santo Amaro, Feira de Santana, Paulo Afonso, Guanambi, Itaberaba, Ilhéus, Serrinha, Barreiras, Senhor do Bonfim, Bom Jesus da Lapa e Santa Maria da Vitória.

A fanfarra do Colégio Estadual de Cachoeira fez uma apresentação pelas ruas da cidade, o que marcou o início das atividades do espaço Educar para Transformar. As estudantes e irmãs Mayana e Mayane Barbosa, de Saubara, foram finalistas do FACE, e irão se apresentar na FLICA. Elas falam sobre a importância de mostrar a arte musical no evento. “É um ganho muito grande, porque estar em um projeto como este e chegara até aqui é emocionante”, disse Mayana. “A gente se envolveu com a arte musical no Colégio. E o FACE abriu as portas para a participação em um evento internacional como a FLICA. O sentimento é de orgulho, felicidade e gratidão “, acrescentou Mayane.

As estudantes Fernanda Gomes e Fernanda Souza, 3º ano, do Colégio Estadual Landulfo Alves, vieram de Caravana com os colegas de Cruz das Almas. “É a primeira vez que eu venho e estou adorando”, disse a Gomes. “Estou com grandes expectativas e quero aproveitar o máximo de tudo. Foi muito legal a escola ter trazido a gente para cá. A FLICA é uma grande aula a céu aberto”, disse a Souza.

Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira
Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira

Tecnologia – Uma das novidades da rede estadual de ensino na FLICA 2018 é a participação de professores e estudantes do Centro Educacional Gastão Guimarães, em Feira de Santana, e do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Áureo de Oliveira Filho, em Ilhéus, que estão apresentando, de forma interativa, o que já fazem com o G-Suite. A ferramenta é utilizada em sala de aula, no âmbito do projeto e-Nova Educação, em parceria com o Google, que está levando tecnologias digitais para as escolas estaduais, integrando acesso à internet de alta velocidade com os dispositivos móveis, dentro da proposta de propiciar a contextualização da Educação no século XXI. Em salas multiuso, os professores e estudantes simulam aulas com o uso de cromebooks e atividades experimentando essas ferramentas tecnológicas voltadas para o processo de ensino e aprendizagem.

Livro digital – Os visitantes das salas multiuso também estão podendo acessar o livro digital ‘Bahia, Brasil: identidade, trabalho e inovação’, outra ferramenta disponibilizada pela Secretaria da Educação do Estado, por meio do projeto Ciência na Escola, para apoiar e motivar os professores a desenvolverem uma pedagogia baseada na realidade dos Territórios de Identidade da Bahia. O livro também é utilizado dentro do e-Nova Educação e aborda diversas áreas do conhecimento, de forma ilustrativa e dinâmica. Ainda no contexto do e-Nova, o CEO do Google for Educacion está apresentando as vantagens do uso de ferramentas tecnológicas na educação, como uma proposta de modernizar a educação nas escolas.

Programação – A programação do Espaço Educar para Transformar inclui, ainda, diferentes oficinas artística, como de cordel, fanzine (revistas em quadrinhos), papo de cinema, rodas de conversa, encontros literários e o Sarau Pedro Calmon: Um homem à frente do seu tempo, com a participação de estudantes selecionados no Concurso Festa Literária na Rede Estadual da Bahia e da Roda de leitura – Imagem, música e literatura: as múltiplas linguagens do nosso cotidiano. A grade envolve, também, o Sarau Literomusical e o lançamento da coletânea de artigos do livro ‘Nelson Schaun merece um livro’.

Contação de história – Já na Praça 2 de Julho e na Praça Teixeira de Freitas, os estudantes do grupo de dança de rua “ABW”, através do projeto Escolas Cultuais, realizam apresentações. Na Praça 2 de julho também acontece a contação de histórias, envolvendo as crianças, a partir de obras literárias editadas pela Secretaria da Educação do Estado, e que são usadas para a alfabetização das crianças na idade certa.

Confira a programação completa:

Dia 11

9h – Abertura – Apresentação da Fanfarra da Escola Estadual
9h às 20h – Exposição das artes estudantis do AVE e do EPA
10h às 11h – Oficinas artísticas – Cordel
10h30 às 13h (Sala A) – Apresentação de duas unidades escolares – Centro Educacional Gastão Guimarães e CEEP Áureo de Oliveira Filho, com 40 estudantes e quatro professores apresentando o que já fazem com o G-Suite – Projeto e-Nova Educação.

14h às 15h – Papo de cinema
15h às 17h – Lançamento da coletânea de artigos do livro ‘Nelson Schaun merece um livro’
16h às 19h (Sala A) – Apresentação do livro digital ‘Bahia, Brasil: identidade, trabalho e inovação – Livro Digital do Projeto e-Nova Educação
17 às 18h30 – Sarau Pedro Calmon: Um homem à frente do seu tempo

Dia 12

9h às 20h – Exposição das artes estudantis do AVE e do EPA
9h30 às 10h30 – Rodas de leitura – Imagem, música e literatura: as múltiplas linguagens do nosso cotidiano
9h30 às 18h (Sala B) – Hackathon – Maratona de programação com estudantes e frequentadores da FLICA, mediados pela professora Carla Almeida.
10h30 às 12h – Oficinas artísticas – Fanzine
14 às 15h30 – Mesa Literária: #Papodeescritor
14 às 15h30 – Rodas de leitura – oficina Contos de terror
16 às 18h – Encontros literários – bate-papo com a autora de histórias infantis: Celina Bezerra
18h30 às 20h – Sarau literomusical

Dia 13

9h às 20h – Exposição das artes estudantis do AVE e do EPA
9h30 às 12h – Ofícinas artísticas – eu escritor e Papéis interativos
10h30 às 13h – Apresentação do projeto e-Nova Educação pelo CEO Google for Education – Apresentação do livro digital ‘Bahia, Brasil: identidade, trabalho e inovação – Livro Digital do Projeto e-Nova Educação.
14 às 16h – Encontros literários – fala escritor (estudantes da rede estadual)
16h às 17h – Encontros literários – Afluentes poéticos
17h às 18h – Apresentação de dança Escolas Culturais – Apresentação artística de dança grupo ABW
18h30 às 20h – Sarau literomusical

Dia 14
9h às 12h – Exposição das artes estudantis do AVE e do EPA

Da Redação*

*Com colaboração de (jornalista, agência, assessoria ou especialista)

Eleição Cepram

Quatro entidades rurais do Oeste baiano estão na nova composição do Conselho Estadual de Meio Ambiente

crianças, brincando, child-3281615_1280

Dicas fundamentais para a segurança das crianças fora de casa