em

Estudantes protagonizam projetos artísticos e culturais no Espaço Educar para Transformar da FLICA 2018

Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira
Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira
Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira

O imponente casarão em estilo colonial, da Fundação Hansen Bahia, localizado na rua 13 de maio, em Cachoeira (118 km de Salvador) é o endereço, até domingo (14), de estudantes da rede estadual que estão apresentando suas criações artísticas e culturais em distintas linguagens (Literatura, Artes Visuais, Arte Patrimonial, Música, Dança e Audiovisual), durante a Festa Literária Internacional de Cachoeira 2018 (FLICA). No local, foi aberto o Espaço Educar para Transformar, nesta quinta-feira (11), onde diversas atividades programadas pela Secretaria da Educação do Estado serão realizadas nos quatros dias da FLICA, incluindo saraus, encontros literários, lançamento de livros e até apresentações sobre o uso de ferramentas tecnológicas no processo de ensino e aprendizagem.

O secretário Walter Pinheiro destaca que a festa literária é uma oportunidade para que os estudantes possam mostrar seus talentos. “Este é um espaço importante, uma vez que nestes quatro dias Cachoeira recebe visitantes de toda parte do mundo. Além de ter acesso a muitos conteúdos, os estudantes se tornam protagonistas apresentando seus projetos e criações, demonstrando seus múltiplos talentos para uma plateia diversificada. Por isso, a Secretaria preparou uma programação extensa e diversificada”, destacou.

Mais de 100 estudantes protagonizam os projetos Tempos de Arte Literária (TAL), Artes Visuais Estudantis (AVE), Festival Anual da Canção Estudantil (FACE), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Escolas Culturais e e-Nova Educação. Eles são de escolas estaduais da capital e de cidades do interior como Candeias, Saubara, Santo Amaro, Feira de Santana, Paulo Afonso, Guanambi, Itaberaba, Ilhéus, Serrinha, Barreiras, Senhor do Bonfim, Bom Jesus da Lapa e Santa Maria da Vitória.

A fanfarra do Colégio Estadual de Cachoeira fez uma apresentação pelas ruas da cidade, o que marcou o início das atividades do espaço Educar para Transformar. As estudantes e irmãs Mayana e Mayane Barbosa, de Saubara, foram finalistas do FACE, e irão se apresentar na FLICA. Elas falam sobre a importância de mostrar a arte musical no evento. “É um ganho muito grande, porque estar em um projeto como este e chegara até aqui é emocionante”, disse Mayana. “A gente se envolveu com a arte musical no Colégio. E o FACE abriu as portas para a participação em um evento internacional como a FLICA. O sentimento é de orgulho, felicidade e gratidão “, acrescentou Mayane.

As estudantes Fernanda Gomes e Fernanda Souza, 3º ano, do Colégio Estadual Landulfo Alves, vieram de Caravana com os colegas de Cruz das Almas. “É a primeira vez que eu venho e estou adorando”, disse a Gomes. “Estou com grandes expectativas e quero aproveitar o máximo de tudo. Foi muito legal a escola ter trazido a gente para cá. A FLICA é uma grande aula a céu aberto”, disse a Souza.

Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira
Flica 2018. Foto: Cláudia Oliveira

Tecnologia – Uma das novidades da rede estadual de ensino na FLICA 2018 é a participação de professores e estudantes do Centro Educacional Gastão Guimarães, em Feira de Santana, e do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Áureo de Oliveira Filho, em Ilhéus, que estão apresentando, de forma interativa, o que já fazem com o G-Suite. A ferramenta é utilizada em sala de aula, no âmbito do projeto e-Nova Educação, em parceria com o Google, que está levando tecnologias digitais para as escolas estaduais, integrando acesso à internet de alta velocidade com os dispositivos móveis, dentro da proposta de propiciar a contextualização da Educação no século XXI. Em salas multiuso, os professores e estudantes simulam aulas com o uso de cromebooks e atividades experimentando essas ferramentas tecnológicas voltadas para o processo de ensino e aprendizagem.

Livro digital – Os visitantes das salas multiuso também estão podendo acessar o livro digital ‘Bahia, Brasil: identidade, trabalho e inovação’, outra ferramenta disponibilizada pela Secretaria da Educação do Estado, por meio do projeto Ciência na Escola, para apoiar e motivar os professores a desenvolverem uma pedagogia baseada na realidade dos Territórios de Identidade da Bahia. O livro também é utilizado dentro do e-Nova Educação e aborda diversas áreas do conhecimento, de forma ilustrativa e dinâmica. Ainda no contexto do e-Nova, o CEO do Google for Educacion está apresentando as vantagens do uso de ferramentas tecnológicas na educação, como uma proposta de modernizar a educação nas escolas.

Programação – A programação do Espaço Educar para Transformar inclui, ainda, diferentes oficinas artística, como de cordel, fanzine (revistas em quadrinhos), papo de cinema, rodas de conversa, encontros literários e o Sarau Pedro Calmon: Um homem à frente do seu tempo, com a participação de estudantes selecionados no Concurso Festa Literária na Rede Estadual da Bahia e da Roda de leitura – Imagem, música e literatura: as múltiplas linguagens do nosso cotidiano. A grade envolve, também, o Sarau Literomusical e o lançamento da coletânea de artigos do livro ‘Nelson Schaun merece um livro’.

Contação de história – Já na Praça 2 de Julho e na Praça Teixeira de Freitas, os estudantes do grupo de dança de rua “ABW”, através do projeto Escolas Cultuais, realizam apresentações. Na Praça 2 de julho também acontece a contação de histórias, envolvendo as crianças, a partir de obras literárias editadas pela Secretaria da Educação do Estado, e que são usadas para a alfabetização das crianças na idade certa.

Confira a programação completa:

Dia 11

9h – Abertura – Apresentação da Fanfarra da Escola Estadual
9h às 20h – Exposição das artes estudantis do AVE e do EPA
10h às 11h – Oficinas artísticas – Cordel
10h30 às 13h (Sala A) – Apresentação de duas unidades escolares – Centro Educacional Gastão Guimarães e CEEP Áureo de Oliveira Filho, com 40 estudantes e quatro professores apresentando o que já fazem com o G-Suite – Projeto e-Nova Educação.

14h às 15h – Papo de cinema
15h às 17h – Lançamento da coletânea de artigos do livro ‘Nelson Schaun merece um livro’
16h às 19h (Sala A) – Apresentação do livro digital ‘Bahia, Brasil: identidade, trabalho e inovação – Livro Digital do Projeto e-Nova Educação
17 às 18h30 – Sarau Pedro Calmon: Um homem à frente do seu tempo

Dia 12

9h às 20h – Exposição das artes estudantis do AVE e do EPA
9h30 às 10h30 – Rodas de leitura – Imagem, música e literatura: as múltiplas linguagens do nosso cotidiano
9h30 às 18h (Sala B) – Hackathon – Maratona de programação com estudantes e frequentadores da FLICA, mediados pela professora Carla Almeida.
10h30 às 12h – Oficinas artísticas – Fanzine
14 às 15h30 – Mesa Literária: #Papodeescritor
14 às 15h30 – Rodas de leitura – oficina Contos de terror
16 às 18h – Encontros literários – bate-papo com a autora de histórias infantis: Celina Bezerra
18h30 às 20h – Sarau literomusical

Dia 13

9h às 20h – Exposição das artes estudantis do AVE e do EPA
9h30 às 12h – Ofícinas artísticas – eu escritor e Papéis interativos
10h30 às 13h – Apresentação do projeto e-Nova Educação pelo CEO Google for Education – Apresentação do livro digital ‘Bahia, Brasil: identidade, trabalho e inovação – Livro Digital do Projeto e-Nova Educação.
14 às 16h – Encontros literários – fala escritor (estudantes da rede estadual)
16h às 17h – Encontros literários – Afluentes poéticos
17h às 18h – Apresentação de dança Escolas Culturais – Apresentação artística de dança grupo ABW
18h30 às 20h – Sarau literomusical

Dia 14
9h às 12h – Exposição das artes estudantis do AVE e do EPA


Comunicar erro





Sugerido por MGID

Loading...



Da Redação*

*Com colaboração de (jornalista, agência, assessoria ou especialista)

Deixe uma resenha

Eleição Cepram

Quatro entidades rurais do Oeste baiano estão na nova composição do Conselho Estadual de Meio Ambiente

crianças, brincando, child-3281615_1280

Dicas fundamentais para a segurança das crianças fora de casa