Refluxo e problemas dentais são principais causas de mau hálito recorrente
Siga nossas redes

Busque no site

Publicidade

Notícia

Refluxo e problemas dentais são principais causas de mau hálito recorrente

Consulta com gastroenterologista e dentista são fundamentais para investigar razão do problema

Leitura: 2 minutos

Por Priscila Carvalho, da Agência Einstein

Incômodo e constrangedor, o mau hálito exige maior atenção quando se torna recorrente. Nesses casos, é fundamental procurar um especialista para investigar as razões do odor ruim na boca.

Entre as mais comuns estão as doenças gastrointestinais. “O refluxo é a principal afecção gastroenterológica causadora de halitose”, diz Renato de Araujo Pereira, gastroenterologista do Hospital Israelita Albert Einstein e diretor da clínica Gastroinclusive.

Isso acontece porque o ácido que deveria estar restrito ao estômago volta para o esôfago, causando uma inflamação no local que termina naquele odor forte.

Outro motivo comum é o aparecimento de divertículos, uma espécie de “bolsa” que pode se formar na parede do esôfago. Quando isso ocorre, parte do alimento fica preso no local e não segue para o estômago. “Ele acaba entrando em putrefação, o que provoca o mau hálito”, explica Pereira.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Problemas odontológicos pioram a halitose

Cáries, gengivite, periodontite e outros quadros do tipo também favorecem o mau hálito. Nesses casos, a melhor estratégia é visitar um dentista para lidar com essas questões, além de fazer uma boa higiene bucal. Limpar bem a língua com instrumentos apropriados é especialmente importante para conter o odor desagradável. 

A boca seca também contribui para o cheiro ruim. Isso porque a saliva protege essa região — logo, sua carência leva a uma descamação. “Essas células que descamam podem se depositar sobre o dorso da língua, o que gera o mau cheiro”, reforça Mário Sérgio Giorgi, cirurgião-dentista e membro da Comissão de Halitose do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

Tratamento correto depende da causa

Antes de adotar qualquer intervenção, é importante investigar as possíveis razões da halitose. O primeiro passo é checar a saúde gastrointestinal e ver se não há distúrbios no esôfago e no estômago.

“No caso do refluxo gastroesofágico, o tratamento deve ser feito com medicações que aliviam o quadro”, afirma Pereira. Em paralelo, o paciente precisará seguir uma dieta balanceada e evitar certos alimentos, como carne vermelha, bebidas alcoólicas e itens repletos de corantes ou condimentos.

Após a consulta com um gastroenterologista, recomenda-se procurar um cirurgião-dentista para investigar e tratar os problemas relacionados à língua, à gengiva ou aos dentes.

(Fonte: Agência Einstein)

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

Com foco em saúde, ciência e bem-estar, a Agência Einstein oferece gratuitamente conteúdo qualificado para jornais, revistas, emissoras de TV e rádio e sites de notícias. A iniciativa do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, tem o objetivo de difundir informação de qualidade para promover saúde e difundir conhecimento.

Veja também

Saúde

Estudo mostra relação entre horários, qualidade do sono e bem-estar; fatores socioeconômicos como gênero, raça e nível educacional impactam na condição de trabalho e,...

Notícia

Na trend, trabalhadores compartilham os benefícios que recebem das empresas

Notícia

Estudo aponta que região da Lagoa Azul, em Porto Seguro, deveria ser transformada em unidade de conservação

Notícia

Bahia inicia emissão nesta terça-feira, (9). Só faltam mais dois estados para todo o país aderir ao documento

Publicidade

Publicidade