em

Nordeste é a região com melhor índice em ranking de leitura

Das dez capitais que mais leem, cinco são nordestinas, segundo pesquisa do Instituto Pró-Livro

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Entre as dez capitais com maiores índices de leitura em 2019, cinco ficam no Nordeste, de acordo com levantamento da 5ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro. O ranking, que entende como leitor aqueles que leram ao menos um livro nos três meses que antecederam a consulta, tem João Pessoa, capital da Paraíba, na primeira posição, com 64% da população considerada leitora.

Em seguida, aparecem Curitiba, com 63%, Manaus, com 62%, Belém, com 61%, e São Paulo, com 60%, para completar as cinco primeiras posições. As dez capitais com maiores índices de leitura são: Teresina (59%), São Luís (59%), Aracaju (58%), Salvador (57%) e Florianópolis (56%), respectivamente.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Para a produção do levantamento, a pesquisa consultou mais de 8 mil pessoas em todos os estados brasileiros, entre outubro de 2019 e janeiro de 2020. Na capital campeã, a média de obras lidas no trimestre foi de 4,09. Levando em conta os 12 meses anteriores à consulta, o número sobe para oito, sendo mais da metade lidos por vontade própria, ou seja, sem que a produção literária fosse exigida em aula ou para a preparação de vestibulares.

Em uma situação inversa, Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, apresentou uma média de 3,09 livros por ano – menor do que a marca de João Pessoa em três meses –, com 26% de leitores entre a população. Até o momento, figura como a pior capital brasileira, mas a situação pode ser alterada após a apuração dos dados de Boa Vista e Roraima, a única capital que continua em análise.

Da 11ª posição ao final do ranking aparecem: Vitória (55%), Fortaleza (54%), Belo Horizonte (53%), Porto Alegre (52%), Recife (52%), Cuiabá (52%), Palmas (52%), Macapá (51%), Porto Velho (51%), Rio Branco (49%), Natal (48%), Rio de Janeiro (47%), Goiânia 42%), Maceió (37%), Campo Grande (26%) e Boa Vista (em apuração).

Importância da leitura

A leitura faz parte do desenvolvimento humano e contribui tanto para o conhecimento pessoal, quanto profissional, inclusive para quem está estudando para concursos ou vestibulares. Contudo, nem todas as pessoas têm interesse ou acesso a livros. No levantamento, ao menos entre os moradores de João Pessoa, 75% dos leitores são da classe B ou C. Em todo o Brasil, a classe C detém, sozinha, 49% dos leitores, contra apenas 4% dos mais ricos.

Por conta disso, especialistas e organizações ligadas às obras literárias são contra a proposta de taxação de 12% em livros do ministro da economia Paulo Guedes, capaz de estreitar ainda mais a diferença de acesso entre as classes sociais, especialmente C e D/E, que correspondem a 70% dos leitores do país.

Avalie o conteúdo