em

Primeira edição da Festa Literária de Uauá alcança mais de 10 mil de público durante os três dias de evento

Fliu contou com programação infantil, musical, bate papo e diversos artistas

Foto: Divulgação
Primeira edição da Festa Literária de Uauá alcança mais de 10 mil de público durante os três dias de evento. Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Palco da primeira batalha da Guerra de Canudos e passagem de Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, a cidade Internacional do bode, Uauá, durante os dias 14 e 16 de novembro foi palco da literatura. A primeira edição da Festa Literária de Uauá – FLIU reuniu autores representativos da literatura regional e nacional no Sertão Baiano.

Com público de mais de 10 mil, entre moradores e visitantes, a festa na sua primeira edição teve números expressivos. Foram 17 artistas no palco da praça principal, 33 nomes divididos nas oito mesas literárias e mais de 50 colaboradores envolvidos.

Primeira edição da Festa Literária de Uauá alcança mais de 10 mil de público durante os três dias de evento
Foto: Divulgação

Quem esteve em Uauá, curtiu encontros literários, shows, teatro, oficinas, artes visuais, filmes e a Fliuzinha, como foi batizada a programação infantil. Paulo Lins, Mariana Bigio, Wilson Freire, Cida Pedrosa, Franklin Martins, Josyara, Lirinha, Bule Bule e Emiliano José são alguns nomes que marcaram presença na programação.

Nesta primeira edição, a FLIU homenageou o professor e historiador Manoel Neto, que recebeu o título de cidadão de Uauá, em reconhecimento ao seu envolvimento com o município e toda a região que foi palco da Guerra de Canudos. Coordenador do Centro de Estudos Euclides da Cunha (CEEC/UNEB), o historiador, poeta, escritor e roteirista são considerados uma das mais respeitadas autoridades acadêmicas da Bahia sobre a temática de Canudos.

Primeira edição da Festa Literária de Uauá alcança mais de 10 mil de público durante os três dias de evento
Foto: Divulgação

Responsável pela curadoria, Maviael Melo, ficou feliz com o resultado positivo. “Fazer uma festa literária numa cidade como Uauá, mesmo tendo a efervescência cultural, o pertencimento nativo que as pessoas têm pela cultura local, apesar disso, a gente fica temeroso, principalmente com público das planárias, que era o que mais nos preocupávamos, mas todas as mesas foram um público bacana, atencioso, o desenrolar das mesas sempre de uma forma muito contextualizada, dinâmica, sem ser muito amarrado e isso demonstra que fizemos as escolhas certas nos nomes das mesas” analisa Maviael.

O artista plástico Bel Borba levou para a Fliu a exposição “O mar virá Sertão”, criada especialmente para o evento. Na Câmara de Vereadores de Uauá, o artista visual reconhecido internacionalmente, fez 16 desenhos em nanquim com água destilada sobre papel Hahnemühler. A mostra abordou a temática da caminhada de Antônio Conselheiro pelos Sertões de Canudos.

Primeira edição da Festa Literária de Uauá alcança mais de 10 mil de público durante os três dias de evento
Foto: Divulgação

A Fliu é uma realização da Uauá projetos criativos e da Prefeitura de Uauá, idealizada por Mércia Beatriz com coordenação e produção de Ellen Ferreira, Lorena Ribeiro e Antônio Nikiel, com curadoria de Maviael Melo.

O evento tem patrocínio do Governo do Estado da Bahia, por meio da Secretaria de Turismo/Bahiatursa, Secretaria de Desenvolvimento Rural/CAR, Secretaria de Educação e da Secretaria de Cultura/Fundação Pedro Calmon, além do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (COOPERCUC) e do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA).



Patrocinador
Loading...
Foto: Divulgação

Campanha de descarte de resíduos perigosos amplia postos de coletas de pilhas e baterias no Oeste da Bahia

Foto: Divulgação

TRT BA abre seleção para estagiários