em

Comurg recolhe 640 objetos durante ação do Cata-treco

Após ligação do solicitante a coleta é feita em até dez dias. Sofá e guarda-roupa estão entre os mais descartados. O serviço é gratuito e agendado

Comurg recolhe 640 objetos durante ação do Cata-treco. Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O serviço de Cata-treco, realizado pela Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), recolheu cerca de 640 objetos entre móveis e eletrodomésticos, durante uma operação especial no último domingo (17/11). A ação faz parte do cronograma do órgão e visa reforçar o serviço nos fins de semana.

A coleta de bens domésticos aconteceu simultaneamente em todas as regiões de Goiânia com início às 7h e término às 23h, dividida em dois turnos. O serviço é gratuito e agendado. Após ligação do solicitante a coleta é feita em até dez dias.

Por mês, a Companhia recolhe uma média de três mil objetos, que são encaminhados para as 14 cooperativas cadastradas no Programa Goiânia Coleta Seletiva. O material mais recolhido é o sofá, com cerca de 65% das solicitações. Televisores, cadeiras, camas, fogões e guarda-roupas também estão entre os objetos mais recolhidos. De janeiro a agosto deste ano foram recolhidos 21.770 objetos.

Segundo o presidente da Comurg, Aristóteles de Paula, além de otimizar o serviço prestado à população, a operação nos finais de semana tem o objetivo de deixar a cidade mais limpa e ainda auxiliar o cidadão que quer se desfazer de objetos que são difíceis de serem descartados. “Ao fazermos a coleta desses materiais aos domingos, a possibilidade de encontrar o morador é bem maior”, finalizou.

A Comurg orienta que para dispensar algum móvel ou objeto basta agendar pelo telefone (62) 3524-8555, pelo WhatsApp (62) 98596-8555 e por meio do aplicativo Prefeitura 24 horas, disponível para download nas lojas Google Play e App Store.

*Com informações da PMGO



Patrocinador
Loading...
SAC Digital. Foto: Divulgação

Começa pré-matrícula para Educação Inclusiva na rede estadual de ensino com processo 100% online

Ilustração. Foto: Pexels

Segurança energética no varejo, porque é essencial se preocupar