in ,

DJ Ilka Oliver, “A dama das pickups”, diz que público GLS gosta muito da música eletrônica

Ilka Oliver. Foto: Donizeti Aguiar / MF Press Global
Ilka Oliver - Revista Cool Magazine
Ilka Oliver. Foto: Donizeti Aguiar / MF Press Global

A DJ Ilka Oliver, que está sendo considerada a revelação do cenário eletrônico mundial, diz que o público GLS ajudou com que a música eletrônica voltasse com mais força.

“Temos um público GLS realmente muito grande na cena eletrônica e eles têm ajudado para que a música voltasse com mais força. É super bacana, até porque a música eletrônica vai dos jovens até as pessoas mais velhas, gays e etc. É uma música livre e por isso adorada no mundo todo. Até pela forma de se expressar, dançar e tudo mais. Isso só traz cada vez mais público para a música eletrônica”, destaca Ilka Oliver, chamada de “A dama das pickups” e “DJ Sexy” por sua atitude e desenvoltura à frente das pickups.

Ilka Oliver - Revista Cool Magazine
Ilka Oliver. Foto: Donizeti Aguiar / MF Press Global

“Na minha opinião a entrada maçante do público gay na cena eletrônica é resultado da mudança que eles conseguiram na sociedade através inclusive da Parada Gay em São Paulo, que hoje é o maior evento gay do mundo. O machismo é parte de uma sociedade e não da cena eletrônica. A música é uma arte e até por serem obrigados economicamente, donos de casas noturnas tiveram que seguir o tempo e deixar fluir a verdadeira arte da música eletrônica seja ela para jovens, idosos, negros, índios, brancos e por aí vai. Para nós, mulheres, acredito ser mais fácil estar entre os gays pois somos sempre adoradas e até idolatradas com os homens eles se sentiam (e alguns se sentem até hoje) afrontados por esse carinho que sempre foi visto como assédio desrespeitoso. A sociedade mudou e foi necessário se adequar a conviver e respeitar todos os tipos de pessoas, raças e até etnias. Os donos das casas perceberam que este é um público altamente culto e que está disposto a gastar para estar em locais com bons DJs e nós, no caso, estamos ali para mostrar nossa arte. Preconceito já não cabe mais em pleno século XXI”, completa Ilka Oliver.

Ilka Oliver - Revista Cool Magazine
Ilka Oliver. Foto: Donizeti Aguiar / MF Press Global

Nascida em Valença, na cidade do Rio de Janeiro, ela começou sua carreira internacional aos 21 anos, ganhando destaque na cena eletrônica mundo afora em 2007 com suas mixagens que colocam qualquer um para dançar. Apaixonada por música, Ilka Oliver é conhecida pela criatividade em seu DJ Set, já visto em seu primeiro disco, Pink Ep, pela gravadora brasileira 11hz Recordings.

O sucesso imediato foi tão grande que alcançou o top 18 do ranking de vendas. Requisitada, a DJ já se apresentou em diversos clubs do Brasil e do mundo, incluindo Sirena, Clock, NYX club, Club, Ballrrom, Med Sensation, entre outros. Atualmente, ela possui uma faixa no vinil Samba do Futuro, chamada Star Criminal, do gênero Minimal Techno, além de ter lançado seu segundo Ep em março chamado Small Crime, pela gravadora Nacional Sick Society. Não à toa Ilka Oliver está entre as revelações femininas no cenário eletrônico mundial.

Ilka Oliver - Revista Cool Magazine
Ilka Oliver. Foto: Donizeti Aguiar / MF Press Global

Por Da Redação

Folha Geral é um portal/jornal/revista online conhecido no Brasil e no mundo por abordar os principais assuntos do cotidiano nacional e internacional.




Sugerido por MGID

Loading...



Encontro de motos Hayabusa pode bater recorde na Bahia

Encontro de motos Hayabusa pode bater recorde na Bahia

Juju Ferrari

Juju Ferrari comemora 3 milhões de seguidores e diz que fatura alto com a rede social